Café com Chai

Observações de uma brasileira sobre a cultura indiana.

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Coisinhas da India

Faz um tempo que eu fiquei de postar sobre alguns cosméticos da India que estou usando e amando..e também sobre minha paixão: bindi! É incrível como isso vira um vício! Uso bindi com jeans, com roupa formal, casual, em todo o lugar. Os produtos foram comprados na India mesmo, portanto não tenho como referência nenhum site que eu conheça e que seja confiável. Mas eu vejo que muitas meninas compram pela internet e não tiveram problemas, porém acho melhor dar uma pesquisada com alguém que já tenha comprado antes.

Não consigo mais sair de casa sem usar um bindi...é como sair de casa sem brincos! Já tive minha fase de de Victoria's Secret, eu tinha que ter toda a linha Garden, body lotion, splash, shampoo etc... Já tive a fase de esmaltes, toda semana pintava as unhas com cores diferentes e exóticas, tudo o que era novidade eu estava lá comprando e usando, pesquisando na net as tendências, depois passei para os cremes para o rosto.

Tive minha fase de perfumes importados até que fui "obrigada" a parar de comprar quando eu vi que não dava conta de usar tudo, e por último foi a fase dos shampoos. Comprava tudo quanto era shampoo e condicionador como se todos fossem milagrosos, como se somente aquele seria capaz de reparar os danos do meu cabelo. Até que parei nos shampoos profissionais e meu bolso deu sinais de alerta. 

Mas uma coisa reparei...produtos indianos realmente funcionam e sem pagar caro. 

Estes são os bindis tradicionais. Este vermelho de bolinha apenas a mulher casada usa.

Minha coleção de bindis ..hehe . Comecei com uma cartelinha e depois não parei mais. São os mais usados em festas quando requer uma produção mais sofisticada. Mas eu uso todos os dias em qualquer lugar. O interessante é que na India eles vendem a cola (caixinha cinza, acima, do lado esquerdo). Então você pode usar o mesmo bindi várias vezes. Recuperei vários com essa milagrosa colinha pois aqui no Brasil é difícil você encontrar o mesmo modelo, design..fica praticamente impossível. Santa cola de bindis!!

Achei super interessante a Palmolive ter produtos para a pele enquanto aqui só temos shampoo e sabonete. Indico para pele extra seca. Ele é super consistente (lembra aquele creme Nívea da latinha azul, e a fragrância lembra rosas). Ele é indicado para o inverno. Se você tiver pele oleosa recomendo passar longe dele.

Concorrente do Fair & Lovely....rs pra ajudar a clarear a pele e tratar, mas esse aqui é ayurvedico, ou seja, natural. 

Meu queridinho dos últimos tempos. Acho um barato essa tabelinha de cores kkk. O creme deixa a pele mais lisinha, não é aquele milagre no clareamento mas ajuda a ter uma pele com ar saudável. O perfume é uma delícia, floral.

Adoro usar esse óleo de côco. Ele tem amla, limão, henna e algumas ervas. Uso para massagear o couro cabeludo e depois lavo normalmente. Muiiito bom e não escureceu meu cabelo loiro.

Voce pode encontrar em algumas lojas indianas aqui no Brasil. Esse da embalagem de baixo é super baratinho, aqui no Brasil é mais caro pois são vendidos a uns 10 reais.  Mas vale a pena. Muito bom, eu uso todo santo dia e durou uns 6 meses, depois que você usa kajal, você nunca mais quer saber de lápis de olho, principalmente os brasileiros, que são ressecados e machucam o olho. O Kajal é super cremoso, ele brilha, não fica opaco, e depois dá aquele efeito esfumaçado em baixo dos olhos.  Deixa os olhos bem marcados. Lindos!!


Creme para o inverno, da marca Dabur. Tem óleo de rosas e uma fragrancia maravilhosa. Amooo! Mas se você sofre com pele oleosa não sei se é boa opção.


Água de Rosas!! É isso mesmo. Mas esse aqui  é uso externo. Uso com algodão para limpar e tonificar o rosto. Voce pode pingar algumas gotas no seu creme e aplicar.  Para ter uma Glow Skin tão desejada pelos indianos.



Aiii acho que essa compulsão por cosméticos não vai acabar tão cedo!!

Finalizo com um vídeo maravilhoso sobre a India.


segunda-feira, 25 de junho de 2012

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Clutch Indiana

Achei lindas essas clutches, e também as bolsas casuais tem o seu charme e beleza com design indiano. Sou louca por uma dessas.

Algumas bolsas:








Para festas
Veja agora as clutches para noivas, um luxo!



















segunda-feira, 18 de junho de 2012

Aprenda a fazer o café indiano

Eles chamam de café expresso mas de "expresso" não tem nada. O café indiano é marcado pela cremosidade, lembra o nosso cappuccino. Estudantes e aqueles que trabalham em escritórios adoram esse café.




 Em sua maioria são feitos sem o uso de máquinas. Então faça você mesmo e sirva-se acompanhado de alguns cookies. Fica uma delícia a qualquer hora do dia, no inverno então é uma boa pedida.










Aqui vai a receita, fiz em casa e deu certo:

1) 1 colher de sopa de pó de café solúvel (Nescafé)
2) 2 colheres de açúcar. Se você não gosta de muito doce diminua pra uma colher apenas.
3)
1 xícara de leite (ou 3/4 xícara de leite + 1/4 de xícara de água)

Em um copo / tigela coloque o café e o açúcar. Adicione algumas gotas de água (cerca de ¼ colher de chá) e misture. A mistura deve  ficar "quebradiça" , pastosa e não muito molhada.
Deve ficar com essa aparência.


Bata com um garfo ou colher até que fique bem pastoso com uma aparência bem cremosa e espumosa assim:

Misture bem até que forme essas bolinhas de ar.

 Ferva uma xícara de leite no fogão ou no microondas e despeje o leite sobre o café batidoMexa bem rapidamente até que tudo se dissolva bem e no topo fique com uma aparência espumosa e suave.

Polvilhe um pouco de pó de café e sirva imediatamente.

Gente é muito bom..! O resultado final do meu café foi esse:



Quermesse

A primeira vez que fomos à uma quermesse com direito a quentão, milho verde, cural, algodão doce...foi muito bom para ele conhecer as comidas típicas, dança..mas por dois fatores não saí 100% satisfeita:
1) Não teve quadrilha. Eu fui justamente porque no site oficial fala que tem quadrilha. Eu queria muito que ele visse a quadrilha..:(
2) Os valores muito altos. 10,00 Reais cada um pra entrar fora o que se gasta lá dentro. Achei os valores muito altos das comidas, o preço muito fora dos padrões pra um  quermesse. Tudo muito sofisticado, senti falta das brincadeiras, quadrilha, e fácil acesso a comidas típicas.


Percebi que nenhum pai e e mãe se preocupa hoje em dia em caracterizar os filhos, ou no mínimo fazer uma trancinha nos cabelos das meninas ou um chapéu caipira nos meninos. Os pais só fazem essas coisas quando são impostas pela escola. Aos poucos nossa festa junina está perdendo a caractéristica. Está se modernizando cada vez mais, as pessoas estão deixando de lado os detalhes e fazendo tudo mais prático. Estranho como a cultura brasileira é esquecida facilmente. Se você parar um adolescente na rua e perguntar qual é a cultura do Brasil ele não saberá responder. Acho que responderá "futebol" kk.

Mas valeu a pena ter ido.



domingo, 17 de junho de 2012

Trabalhar fora ou ser dona de casa?

Ahh como seria bom se tudo o que a gente  passa na vida pudesse ser "aprendido" antes como um BE-A-BÁ! Como aprender a ler, a professora pega na sua mão e faz junto letra por letra, como aprender um idioma você se sente criança novamente aprendendo nome das cores, alfabeto, números....aprender a dirigir, o instrutor da autoescola está sempre do lado te guiando e pronto pra segurar qualquer situação...aprender a fazer o café, amarrar os cadarços do tênis,  até mesmo a orar.

Mas e pra casar? Eu acho que poderia ter uma escola pra isso. Imagino na época das nossas avós e até algumas mães pegaram essa época em que a aluna escolhia o tipo de formação que queria fazer. Por exemplo, em ciências, em artes, etc. Não era um colegial generalizado. O aluno se matriculava em uma determinada área de atuação. E também algumas escolas tinhas economia doméstica, aulas de costura e culinária. Antigamente as meninas ajudavam a mãe na cozinha e já iam aprendendo a cozinhar, pois isso era um ponto importantíssimo quando a garota estava na idade de casar. Aprendiam a cuidar da casa.

Como sou da década de 80, confesso que me preocupei mais com a formação acadêmica quando eu era solteira, que sinto que não me preparei para cuidar de outras coisas, outras responsabilidades.  Antes eu acordava, se eu tinha fome tomava meu café e se não tinha fome, me virava com algum lanche na rua. Se eu quisesse almoçar em casa ok, se não tivesse a fim, me virava com um hamburguer do Mc Donald's e uma casquinha. Mas depois que voce casa, não adianta se você tem fome ou não. Outra pessoa quer tomar o café, outra pessoa tem horário para almoçar, essa outra pessoa depende de você para tarefas que parecem simples.

 Por exemplo, agora eu tenho que ajustar os meus horários com os do meu marido. Porque hoje eu não me preocupo comigo apenas, mas com ele também. Me preocupo se ele almoçou bem, se a comida estava com o tempero ideal, se ele tem roupas limpas e passadas, se tudo está em ordem, etc. Alguns podem dizer que não é mais do que a minha obrigação, mas o que eu quero dizer é que não é fácil essa mudança de um dia para o outro. Pra mim não foi nada fácil no começo. Acho que só agora estou sabendo administrar as tarefas da casa, com meus estudos. Eu penso, será que só eu passei por isso?  Nos primeiros meses eu passava 3 horas pra fazer um almoço!

 Mas essa vida a dois pra mim é tudo novo. Já estou melhorando nisso!

E meu marido fala que na India ele aprendeu isso na escola.  Pois éh..se voce é novata também e não sabia nem fritar um ovo, vai se preparando se está pensando em se casar com um indiano. Eles são extremamentes organizados e prezam muito a limpeza.

As indianas são rainhas da limpeza e organização dentro de casa. Não pense que ele vai querer uma esposa que saiba cantar, dançar, costurar...( tem mulher que entra na paranóia com essas coisas). Ele vai querer que a esposa cozinhe, e deixe a casa em ordem, coisa que todas nós sabemos, mas quando temos outros afazeres como estudo e trabalho no começo fica muito difícil ter tudo perfeitinho. Falo isso pois a maioria da indianas depois que se casam, passam a se dedicar apenas ao lar por isso elas não tem outras preocupações.

Mas nós que temos uma vida agitada ( quem vive em São Paulo sabe muito bem do que estou falando), com trabalho, casa, marido, estudos sabe que fica mais complicado e a impressão que a gente tem é que não sabe fazer nada. Com o tempo vamos nos aperfeiçoando. Mas fica aquele dilema, no futuro é melhor trabalhar fora ou me dedicar a cuidar apenas do lar? Bom..só vou saber no futuro mesmo porque agora já se passaram 31 minutos e não tenho mais tempo pra pensar nisso!
bjs



quinta-feira, 7 de junho de 2012

Mulheres desesperadas

Não encontrei título pra esse post mas eu queria escrever sobre isso há algum tempo. O comportamento de mulheres  com o sexo oposto.



É normal nós brasileiros sermos receptivos, demonstrarmos uma simpatia extrema, mas quando se trata de uma pessoa casada ou comprometida a coisa deveria ser um pouco diferente. Não digo em relação à receptividade,  mas ao limite que se deve ter ao cumprimentar ou conversar uma pessoa do sexo oposto que esteja acompanhado.

Não sei o por quê de um comportamento cheio de rivalidades principalmente entre mulheres. Já acontecerem muitos fatos desagradáveis, é incrível como muitas parecem estar sempre à caça de uma presa, parecem sempre estar desesperadas e querem sempre competir, mostrar que é mais bonita, culta ou inteligente, que é mais legal do que a mulher ou namorada do cara.

Desde que meu marido chegou  já perdi as contas de quantas vezes ele se sentiu sem graça, constrangido e me deu total liberdade de eu resolver a questão como eu bem entender, nem que seja pra quebrar a cara de alguma safada que se atreva a abrir as asinhas pra ele.

Não aguento mais aquele papo, "ahhh eu adoro a India!" ou "que legal voce é da India, o que veio fazer aqui..bla bla bla". Jeitinho de puxar conversa que agora to de marcação. No começo eu achava normal a curiosidade mas depois encheu o saco. 

 No país dele as coisas não são assim, as mulheres não encaram os homens, elas são mais recatadas ao falar e ao olhar para um homem. Elas não chegam dando beijinhos, abraços, mostrando o decote tentando agarrar como se fosse o último homem do mundo. Ele mesmo me disse, que nunca presenciou coisas assim e ele não sabia como reagir tamanha cara de pau de muitas mulheres, pois na cultura dele homens e mulheres não tem tanto contato, e a cara de pau se camufla na extrema simpatia.

É claro que agora ele sabe como conversar, ele percebe se a pessoa te segundas intenções e sabe como reagir, mas tem casos que nem assim adianta.

Uma vez o levei ao bairro da Liberdade pra conhecer um pouco da  colonização japonesa, passeio básico pra conhecer um pouco mais de sampa e o levei em uma grande loja de cosméticos muito famosa na região pois precisava comprar algumas coisas ...até que uma mulher já nada novinha já com filha e tudo olha pra mim e começa a falar sobre meu bindi. Aí ela vem toda sorridente e pergunta se eu sou indiana ou ele é. Eu falei que ele era indiano e eu brasileira, aí ela solta: "Ahh então você está vestida assim pra agarrar ele!" Eu respondi : "Não senhora, eu não preciso fazer isso pra agarrar ele pois ele é meu marido" , aí ela olha pra ele da cabeça aos pés e  diz "Hummm indiano bom heim!!". Caraca, nem preciso dizer que fiquei louca de raiva mas não pude dar uma de barraqueira, e também por que ela era mais velha que eu e estava com a filha, só respondi " é bom mas é meu" e fui embora.

Um dia no shopping Iguatemi, meu marido entrou numa loja indiana enquanto eu fui no banheiro. A loja era perto do banheiro, e meu marido fala alto, não deu 1 minuto já escutei a voz dele e imaginei "alguma piriguete ta puxando conversa" aí fui correndo na loja e já tinha uma falando em inglês com ele, perguntou se era indiano, disse que já tinha ido pra India, etc ele respondeu poucas perguntas e quando eu chego ele me apresenta: "essa é minha esposa" ela nem olhou na minha cara e foi embora na hora. O que ela pensou? Que o homem estava perdido, sozinho lá dando sopa?? Fiquei chateada com a falta de educação dela e até perdi o clima pra comprar alguma coisa na loja, sério foi muito chato isso.

Agora imagina se na India as mulheres fazem isso?

Outro dia na mesma loja de cosméticos eu fui num setor de esmaltes enquanto ele dava umas voltas na loja até que de repente ouço ele "gritando" meu nome (sim eu estava longe e ele não é nada discreto rs). Quando cheguei, tinha uma mulher que nem inglês falava, ele não entendia nada do que ela tentava dizer e mostrou pra ela que não falava português, aí ele vira pra mim e diz: "vê aí o que ela quer pois eu não to entendendo nada" e saiu andando me deixou lá com ela pois ele já sacou as intenções da mocinha.

 Eu perguntei o que ela queria, aí ela disse que estava procurando uma mousse de cabelo pra ajudar a enrolar. Ahhh pelo amor de Deus!! Falei pra ela procurar um atendente da loja e ela disse "eu já tentei, mas a moça não conseguiu me ajudar", aí eu falei e meu marido que nao fala portugues vai conseguir te ajudar? Peguei qualquer mousse da prateleira e falei " Toma! Usa esse que vai resolver seu problema" e larguei ela lá aí falando sozinha.
 Meu marido falou que agora sabe como resolver o problema, é só me chamar e pronto, falou que não perde mais tempo.

Outro dia numa lojinha dessas de um real, estávamos comprando velas para o Diwali, de repente eu saio um pouco do lado dele e vem uma mulher, chega falando em inglês com ele pedindo pra ajudar a encontrar um candelabro e ficou lá falando com ele.  Eu cheguei do lado dele  e falei  "pede pra ela chamar um atendente da loja", já quase indo falar diretamente com ela, até que ele disse pra procurar um atendente e ela fala: " ohh sorry sorry eu pensei que ele trabalhava aqui". Detalhe, falou em português comigo!  E foi embora sem o candelabro dela. Acho que o candelabro não era tão necessário assim neh, por que ela deixou a loja no mesmo segundo.
Só não entendi a lógica dela, como uma loja no Brasil  pode colocar um funcionario pra atender diretamente o público e que só fale inglês e não português? Por que ela não falou em português com ele então? É ridículo, acho que elas querem treinar o inglês delas e mostrar algum dom pensando que isso as torna especiais ou melhor do que qualquer mulher do planeta. Pra mim isso é desespero.

Uma vez fomos numa lavanderia Dry&Wash , acho que é assim o nome. A dona da lavanderia, casada, na hora de dar o cartão, entregou nas mãos dele com o número do celular dela atrás!! Por que não entregou em minhas mãos? Esse é o problema, depois de 2 minutos de conversa o povo pega uma intimidade já se sente à vontade de dar telefone, pedir e-mail, fazer piada, ensinar palavrão, dizer besteiras.... Já teve mulher que convidou ele pra tomar uma cerveja, e olha que ela me conhecia me convidar também não convidou né.


Pra mim o pior aconteceu num lugar que eu jamais imaginaria. Dentro da Igreja. Não tenho vergonha de dizer que foi dentro da igreja e nem quero falar mal, mas acho que se ninguém corrigir ou reclamar, isso vai continuar acontecendo. Foi na primeira vez que levei meu marido numa igreja quando meu pai nos convidou na celebração da Páscoa. Tudo ok, fomos devidamente trajados, eu de saia longa como na maioria das vezes eu uso do dia a dia e o pedi para colocar um terno. Confesso que um terno deixa o homem realmente elegante. Mas todos vão de terno.

 Chegando lá fomos muito bem recebidos por todos, todos pareciam ter muita classe, mas a partir do momento que sabiam que ele era estrangeiro, as moças começaram a se jogar descaradamente em cima dele. Não nos deixaram em paz um minuto. Só queriam falar com ele e nem perguntavam meu nome.
 Ainda mais por que algumas falavam inglês muito bem aproveitaram a chance de tentar atrair a atenção dele e me ignorar. Sério, não perguntavam nem meu nome. Incrível que elas não conversavam comigo, elas conversavam diretamente com ele e me ignoravam completamente. Isso foi extremamente desrespeitoso. Chegaram a convidá-lo para outra cerimônia e até número de telefone quiseram passar. Eu sou da opinião de que se o homem está acompanhado, eu converso diretamente com a esposa dele, ou namorada dele. Nunca diretamente com o homem e deixo a mulher de lado. Nunca olho diretamente nos olhos dele, e sim nos olhos dela, pois não tenho a intenção de atrair ninguém, e mostro que estou dando respeito a ela.

Pra mim foi o cúmulo do absurdo quando uma mulher veio querer apresentar as filhas dela para o meu marido dentro da igreja. Ela disse: "minha filha fala inglês, peraí que vou te apresentar ela.." Que absurdo!!!!  E eu ali do lado era o que??

 Gente ele estava totalmente desconsertado, saía de um lado, elas vinham de outro. Literalmente ele teve que fugir delas. Pra mim foi a pior situação. A gente se sentou no banco e mesmo assim vinha uma ou outra conversar querer conversar com ele. Passei a maior vergonha. Pensei que ele ia se sentir bem, que era um lugar de respeito entre homens e mulheres mas foi a maior vergonha da minha vida. Imagina o que ele pensou. Ele não negou que ficou super sem graça com a situação mas não fomos embora pois a gente não queria magoar meu pai, afinal ele nos convidou e nem imaginava que isso aconteceria.



 Só sei de uma coisa, por causa dessas moças não volto lá, é uma pena.
Não sou só eu que penso assim e não gosto quando uma mulher me ignora e fica batendo papo com o meu marido, é cultural..veja um exemplo:
Bom..é claro que no dia a dia as coisas vão acontecendo mas nada que a gente não resolva de forma fácil sem estresse. Hoje ele tá mais esperto e eu também. Não é ciúme da minha parte pois isso não vem dele. E sim das mulheres que não respeitam homem acompanhado.  Procuramos levar para o lado esportivo. Mas que tem mulher descarada por aí  tem até demais. Isso porque ele nao cumprimenta mulher nenhuma no rosto, não por que eu pedi, mas porque na cultura dele ele não acha isso legal. Ele que me pediu pra nao cumprimentar mais os homens no rosto e  levei numa boa.

A diferença é que o homem respeita mais a mulher acompanhada. Quando eles ficam sabendo que  Eles não vem com beijinhos no rosto e alguns evitam até aperto de mãos, dizendo que sabem que os indianos não gostam que toquem na esposa deles. Acho super legal essa consciência deles.  Já as mulheres, se puderem tirar uma casquinha elas não perdem tempo.

Até ele já percebeu isso e falou que a esposa indiana é respeitada no mundo inteiro como uma mulher de boa índole e modéstia e até o homem brasileiro sabe disso muito bem. Confesso que é verdade pois eu vejo a diferença com que os homens me tratam quando ficam sabendo que sou casada. Eles me dão muito respeito.

Mas o que acontece com as mulheres aqui?? É um descaradamento totalmente fora do controle.  Tem que se oferecer até pra homem comprometido, casado, ou é cara-de-pau mesmo??

Quem passa por isso sabe do que estou falando e não importa se o homem é estrangeiro ou brasileiro.

Não tem jeito se nao aprender a lidar com esse tipo de situações. Esse foi um dos problemas de adaptação que ele teve que aprender a lidar aqui mas com a graça de Deus e muito jogo de cintura vamos tirando de letra.


quarta-feira, 6 de junho de 2012

Parandi - Aplique da Trança Indiana

Os cabelos sempre foram muito apreciados, considerados o poder da feminilidade, sensualidade, tanto que muitas mulheres usam adornos, enfeitam, usam de muitos penteados  ou até  o cobrem a fim de evitar os olhares masculinos. Uma curiosidade é que a maioria das indianas usam os cabelos presos, e só soltam os cabelos em casa para o marido, acho que o cabelão também atrapalha nos afazeres domésticos e no trabalho.

São vários os estilos de tranças que as indianas fazem, mas hoje vim falar daquela trança longa tradicional. Nunca fui muito fã de trança, mas é o penteado que mais combina com roupa indiana e hoje em dia está super na moda nas bandas de cá. Na verdade a trança nunca sai de moda, sempre volta um novo estilo. É trança embutida, espinha de peixe, estilo barroco, etc. Aos poucos fui adotando o penteado no meu dia a dia.


Se voce quer uma trança maravilhosa, enorme e mostrar um cabelão super forte, não aqueles cabelos fininhos, use parandi. O segredo da trança indiana. PARANDI ou PARANDA.

Afinal, o que é issoi?

 Parandi é um tipo de aplique que as indianas usam na trança para dar uma aparência de cabelos longos e fortes. São vários fios entrelaçados com borlas decorativas nas pontas, e são usados ​​por mulheres Punjabi para trançar seus cabelos.. Mulheres de toda a Índia, usam uma grande quantidade de jóias - pulseiras, tikka, jhumkas, colar e nath (piercing no nariz). Mas o que faz uma roupa tipicamente Punjabi é o Parandi;  muitas vezes a trança é enrolada com fio dourado (fita) para torná-la ainda mais proeminente. Parandi é uma das expressões mais fascinantes da arte popular Punjabi. Tomou raízes há muito tempo no Punjab.

 As mulheres sempre gostaram muito  de decorar o cabelo, mas como elas precisavam cobrir a cabeça com um véu os acessórios de cabelo como presilhas e alfinetes de ouro ficavam praticamente escondidos debaixo desse véu.

Então as mulheres das famílias reais de Patiala surgiram com a idéia inteligente de adornar a extremidade inferior das suas tranças com ouro, fios multi-coloridos , fitas e pérolas, melhorando a aparência real de seus trajes, com este engenhoso acessório. Gradualmente, este tipo de trança tomou a forma de Parandis, que são uma extensão da trança, e se tornou popular entre as massas. Parandis são 3 cordas entrelaçadas que são entrançadas no cabelo.



Pode trançar os cabelos todos os dias? Ao meu ver, sim. Se isso quebrasse os cabelos, coitadas das indianas que usam esse penteado desde a época da escola de forma obrigatória e ainda na fase adulta aderem esse estilo. Os cabelos indianos são mundialmente conhecidos como fortes e saudáveis, motivo pelo qual  muitas indianas vendem seus cabelos para fazer perucas que serão mais tarde vendidas no ocidente.

A  trança é um penteado super prático, mantém seus cabelos arrumadinhos ao longo do dia, mas nunca faça com os cabelos molhados. Deixe seu cabelo secar completamente antes de trançá-lo.

Dica indiana: Você já reparou que os cabelos das indianas está sempre brilhante, e a trança sempre "ajeitadinha"? Passe óleo vegetal nos cabelos, um óleo que a fragrância sai rápido dos fios como óleo de côco, óleo de amla, até azeite de oliva, mas só um pouco, não vá encharcar os cabelos hein. Voce vai ver que sua trança vai durar bastante e não vai desmanchar nada como das indianas.

Veja alguns exemplos de aplique para trança:


À esquerda trança com parandi; à direita, trança normal sem o parandi




Veja como a trança fica mais longa







Esse é o segredo da linda trança indiana. Eu só precisava agora de um parandi para cabelos loiros rs. Dizem que com a modernidade a procura de parandis (ou parandas) está diminuindo, e atualmente muitas garotas usam apenas em ocasiões especiais como mehendi.




Beijos