Café com Chai



terça-feira, 30 de outubro de 2012

Tráfico de Mulheres

(Não deixe de assistir os vídeos no final do post)

Eu já imaginava que esse seria o assunto do momento com a estreia da novela novela da Glória Perez, Salve Jorge.  E aproveitando o "gancho" quero alertar muitas meninas para não caírem nas mãos dos aliciadores e como se manterem longe deles. Como esse é um blog ligado a assuntos internacionais eu vou fazer a minha parte de não jogar a sujeira pra debaixo do tapete.

Esse é um assunto sério, que infelizmente havia sido esquecido pela mídia, os meios de comunicação não veiculam mais notícias desse tipo, porém o tráfico continua ali firme e forte. Passa aquela falsa impressão de que tudo está controlado. As pessoas não pensam que as garotas que no passado ouviram "notícias-bombas" desse tipo não são as mesmas. Existem aquelas que cresceram sem tocar no assunto, são as garotas da geração internet. O alvo ficou muito mais fácil pela carência de informações, e esse tipo de crime merece mais atenção.


Os aliciadores estão em qualquer lugar:

E isso não acontece só no sertão do Brasil não!

As vezes o aliciador pode ser alguém do seu convívio social, trabalha ou estuda no mesmo lugar que você. Isso não acontece só em outros países. Ás vezes eles oferecem um emprego para trabalhar em outro Estado do Brasil mas na verdade a pessoa é forçada a se prostituir ou fazer trabalho escravo.

Tomem cuidado com agências de emprego que oferecem vagas no exterior. Pois muitas são terceirizadas e não conhecemos a procedência dessas agências. Eles anunciam uma coisa, em site de confiança, você faz entrevista, tudo certinho, assina os documentos, contratos e quando chega lá é outra coisa, é pra ficar viciada em drogas, passar fome para procurar clientes, contrair doenças. Como já vimos em noticiários, aquelas que tentam fugir ou conseguem escapar a maioria aparece morta. É um risco muito grande. Vamos alertar essas garotas jovens que não tem idéia de que isso existe e não é só com os outros. Principalmente agora com a internet as mulheres se tornaram presas fáceis.

Eu apresentei uma monografia sobre esse assunto na faculdade, graças a Deus foi o que me esclareceu bastante coisa na época, peguei vários relatos de garotas que passaram por isso e pesquisei bastante. Foi o que me ajudou a identificar esse tipo de gente e ficar longe deles. Mas uma pessoa vulnerável que não está preparada e é pega de surpresa pode não ter a mesma sorte de perceber a intenção das pessoas pois eles tem uma lábia muito boa.

Graças a Deus tenho uma família e meus pais sempre fizeram de tudo pra cuidar de mim, e me educaram, mas e aquelas que não tem o amor em casa? Vivem na miséria? Passam fome?
Os aliciadores chegam das mais diversas formas e com as mais diferentes propostas. E não é só pra trabalhar como modelo. Eles também inventam passeios, programas de TV, trabalhos em lanchonetes, restaurantes, babás, dançarinas, etc e até propostas de casamento e pode ter certeza de que nessas horar eles vão te mandar pra um lugar que pouca gente fala inglês ou não vão deixar você se aproximar de brasileiros pra ficar difícil de você pedir ajuda.

Gente, sair do seu país para trabalhar no exterior é coisa séria. Desconfie de propostas fáceis de emprego, principalmente aquelas que só cobram uma pequena taxa do candidato a vaga, não exigem experiência profissional, não tem recomendação, não fazem questão do inglês, fazem propostas como se fosse o melhor emprego do mundo, a oportunidade da sua vida com ose você fosse morrer se não aproveitar essa chance.  

Não fique pensando que você perdeu uma proposta que poderia ser verdade.

Como diz meu pai: "É melhor errar pelo excesso de cuidado do que pela falta dele".




Meninas, fica então o meu alerta.

Vamos entender o que é e como funciona o tráfico internacional de mulheres.

1 Conceito de tráfico de mulheres.

O tráfico de mulheres tornou-se uma importante fonte de renda para o crime organizado. Atualmente 99% das pessoas traficadas são mulheres, pois os traficantes aproveitam a frágil situação social e econômica dessas e as aliciam, prometendo–lhes vastos ganhos.

O artigo 3º do Protocolo da Convenção de Palermo define o tráfico de pessoas, ressaltando a especificidade do tráfico de mulheres como o recrutamento, o transporte, a transferência, o alojamento ou o acolhimento dessas, recorrendo à ameaça ou uso da força ou outras formas de coação, ao rapto, à fraude, ao engano, ao abuso de autoridade ou à situação de vulnerabilidade ou à entrega ou aceitação de pagamentos ou benefícios para obter o consentimento de uma pessoa que tenha autoridade sobre outra para fins de exploração. Tal exploração inclui a exploração da prostituição de outrem ou outras formas de exploração sexual, o trabalho ou serviços forçados, à escravatura ou práticas similares à escravatura, a servidão ou a remoção de órgãos.

No Brasil, o tráfico de mulheres é hoje uma indústria que movimenta milhões de reais e escraviza meninas e mulheres. O país é visto como um dos mais atraentes roteiros sexuais do mundo.
A necessidade de ganhos financeiros para a sobrevivência, e a violência intra-familiar influenciam na decisão das mulheres em aceitar as ofertas ilusórias dos aliciadores. As propostas realizadas por esses deixam as mulheres deslumbradas com a possibilidade de juntarem dinheiro no exterior, conquistarem um emprego estável e rápido enriquecimento.

Quando chegam ao país receptador, as vítimas veem-se diante de uma situação totalmente diferente da prometida. Tem seus documentos confiscados, são trancafiadas em dormitórios e, quando saem para o trabalho sexual ao qual serão forçadamente submetidas, tem seus movimentos monitorados e restritos. Muitas dessas mulheres, além de estupradas e agredidas, são drogadas pelos traficantes.
A rotina dessas mulheres é de exploração sexual contínua. O dinheiro com a prostituição é entregue aos exploradores com a finalidade de quitar suas impagáveis dívidas adquiridas. Algumas delas conseguem fugir, porém, se deparam com a dificuldade de pedir ajuda, por não falar a língua local, e com o receio de serem punidas pela entrada ilegal no país.

As máfias que comandam o tráfico de mulheres mantem um esquema bem articulado. Os donos das boates financiam as viagens, o sustento, fornecem drogas e álcool, e marcam os primeiros programas das vítimas, que ficam presas a eles até pagarem todas as suas dívidas de locomoção e de sobrevivência. O regime imposto muda de boate para boate. Algumas impõem o regime fechado, no qual as vítimas ficam presas na própria boate. Outras permitem que elas saiam sob constante vigia, desde que voltem diariamente e paguem pelo dia de trabalho.

1. 1 O perfil do traficante.

De acordo com dados da mídia, 59% dos aliciadores são homens, que atuam no processo de aliciamento, agenciamento e recrutamento de mulheres para a rede de tráfico para fins sexuais. A faixa etária dos aliciadores oscila entre 20 e 56 anos. A maioria dos aliciadores é estrangeiro, provenientes, principalmente, da Espanha, Itália, Portugal, China, Israel, Bélgica, Rússia, Polônia, Estados Unidos e Suíça. Os aliciadores brasileiros pertencem a diferentes classes sociais, com idade entre 20 e 50 anos.

A máfia dos aliciadores esconde-se sob a fachada de empresas comerciais (legais e ilegais), voltadas para o ramo do turismo, do entretenimento, do transporte, da moda, da indústria cultural e pornográfica, das agências de serviço (massagens, acompanhantes e etc.), dentre outros mercados que facilitam a prática do tráfico de exploração comercial.
As mulheres são abordadas pelos traficantes através de anúncios em jornais, procurando bailarinas, empregadas de mesa, animadoras de clubes noturnos, ou por recrutamento direto em bares e discotecas, ou seja, são atraídas pelas falsas promessas de dinheiro.

1.2 Sujeito ativo do tráfico de mulheres.

De acordo com o artigo 231 do Código Penal Brasileiro, somente pode ser sujeito ativo do tráfico de mulheres aquele que promove ou facilita a entrada ou a saída do território nacional de mulher, com vista à prostituição dela. Caso o crime tenha sido cometido com o fim de lucro, prevê o § 3º do mesmo artigo cominação cumulativa de pena pecuniária (tráfico mercenário).
O sujeito ativo pode ser qualquer pessoa, independentemente do sexo. Em geral, o crime é cometido por diversos agentes.

1.3 Sujeito passivo do tráfico de mulheres.

Sujeito passivo é a mulher, como se depreende da descrição típica.
A mulher só poderá ser considerada como vítima quando a mesma desconhece a real motivação de seu deslocamento (por ter sido obtido por meio de fraude) ou quando não tenha havido consentimento seu (emprego de violência ou grave ameaça). Assim sendo, dependendo das circunstâncias em que o tráfico ocorreu, pode-se ter diferentes sujeitos passivos, ou seja, havendo conhecimento e anuência por parte da mulher acerca da prostituição, o bem jurídico é a moral e os bons costumes, figurando a sociedade como sujeito passivo. Inexistindo aqueles, a mulher passa a ser a vítima do delito, e, de forma indireta, a sociedade.

2 Dados sobre o tráfico internacional de mulheres.

De acordo com dados da divisão das Nações Unidas para Drogas e Crimes, mais de 700 mil pessoas são traficadas todo o ano com o propósito de exploração sexual e/ou trabalho forçado. Elas são levadas para fora de seus países e vendidas para o que se pode chamar de novo mercado da escravidão.
No Brasil, o tráfico para fins sexuais é, predominantemente, de mulheres e garotas negras e morenas, com idade entre 15 e 27 anos.

Segundo Relatório da Anistia Internacional, o tráfico de seres humanos é a terceira maior fonte de lucro do crime organizado internacional, depois das drogas e armas, movimentando bilhões de dólares. Relatório do Departamento de Estado dos EUA de 2000 afirmou que entre 45 mil e 50 mil mulheres e crianças traficadas ingressam no país por ano.

Relatório divulgado a propósito do Dia Internacional da Mulher de 2001 pelo órgão executivo da União Européia destacou que 120 mil mulheres e crianças são introduzidas ilegalmente, por ano, na União Européia, a maioria procedente das regiões leste e central do continente, e obrigadas a trabalhar como prostitutas. A ONU e a Federação Internacional Helsinque de Direitos Humanos aduzem que 75 mil brasileiras estariam sendo obrigadas a se prostituir nos países da União Européia.

Conforme informações do grupo de pesquisa norte-americano Protection Project, dois milhões de mulheres e crianças são vendidas a cada ano. As asiáticas são "vendidas" para bordéis da América do Norte por 16 mil dólares, cada; cerca de 200 mil meninas do Nepal, a maioria menor de 14 anos, trabalham como escravas sexuais na Índia;
pelo menos 10 mil mulheres da antiga União Soviética transformaram-se, forçosamente, em prostitutas em Israel; o governo tailandês relatou a venda de 60 mil crianças para o mercado da prostituição; 10 mil crianças, entre seis e 14 anos de idade, passaram a trabalhar como escravas sexuais em bordéis de Sri Lanka; cerca de 20 mil mulheres e crianças de Mianmar foram obrigadas a se converter à prostituição na Tailândia.

O grupo norte-americano diz, ainda, que, dos 155 casos de prostituição involuntária ou forçada levados perante tribunais na Holanda, apenas quatro resultaram na condenação dos traficantes sexuais.
O Brasil é hoje o maior "exportador" de mulheres escravas da América do Sul. Há uma estimativa de que a maioria das mulheres nessa situação vêm, pela ordem, de Goiás, Rio de Janeiro e São Paulo.

O tráfico internacional de mulheres traz irreversíveis conseqüências: de cada 100 mulheres traficadas, 24 adquiriram algum tipo de doença sexualmente transmissível, 3 contraíram o vírus HIV, 15 ficaram grávidas, 26 sofreram ataques físicos por parte dos clientes, 19 foram atacadas sexualmente e 9 sofreram algum tipo de ameaça ou intimidação.

Este crime necessita de baixo investimento, pois para cada vítima, são gastos, entre falsificação de documentos, transporte, hospedagem e alimentação, 30 mil dólares. Mas para que a vítima seja liberada, tanto da prostituição quanto dos inúmeros trabalhos escravos, ela deve gerar um lucro de 50 mil dólares, o que se configura em 2 anos de subordinação.

2. 1 Rota do tráfico internacional de mulheres.

Os países subdesenvolvidos são responsáveis pela maioria das mulheres traficadas no mundo, mas o segmento que mais cresce está localizado na Europa Central e Oriental e nos países da antiga União Soviética. O fluxo está dirigido para os países industrializados e envolve praticamente todos os membros da União Européia. O padrão indica que as mulheres saem dos países do chamado Terceiro Mundo, ou das novas democracias, e se encaminham para os países desenvolvidos.
Acredita-se que as mulheres traficadas vêm de quase todo o mundo, destacando, como região-fonte do tráfico, Gana, Nigéria, Marrocos, Brasil, Colômbia, República Dominicana, Filipinas e Tailândia.


Atenção: Vídeos não recomendados para menores. Os vídeos  foram postados a nível educativo com o objetivo de alertar sobre a realidade e riscos do tráfico internacional de mulheres. 

Na Ásia:

Muitas garotas esperam clientes nas ruas , e são forçadas a isso.

Repugnante. As garotas tem números e ficam sentadas para que um cliente faça a escolha. E ainda são classificadas por mais caras e mais baratas. E pelo que vi as ocidentais são as mais caras e geralmente ficam "escondidas" dentro das casas. 

Por dentro das boates



Pattaya - Tailândia


Aqui as moças ficam desfilando o dia inteiro no saguão do hotel. Acho que elas ficam indo e vindo até que alguém escolha. Essas bolsinhas que elas carregam são o kit que inclui preservativos o que eu duvido que usem.


Virgindade vendida. A garota diz ter dormido com uns 700 homens em apenas um ano.

Trecho de um curta que mostra a história de uma menina que pensava que trabalharia num restaurante, mas quando vê o lugar não é nada do que esperava. Era uma máfia de prostituição. Ela, é claro, não aceitou nada e enfrentou problemas por isso. Uma colega  que tinha a confiança da cafetina tentou sair do local com a desculpa de comprar um balm pra massagem e aproveitou o momento pra ir à polícia. O vídeo é uma crítica a respeito da a negligência das autoridades. Muitos não fazem nada e ignoram o assunto.




Eu poderia ficar dias postando vídeos aqui. Mas eu quis te poupar tempo, por aqui já dá pra ter uma idéia desse mundo asqueroso do tráfico de mulheres.


ZQUIERDO, Luís. Tráfico internacional de mulheres. Disponível em: . Acesso em: 31/07/11.

LARA, Caroline Silva de. Conceito e contexto do tráfico internacional de mulheres: a situação do Brasil. Disponível em: . Acesso em: 31/07/11.

MELO, Mônica de. MASSULA, Letícia. Tráfico de mulheres: prevenção, punição e proteção. Disponível em: . Acesso em: 31/07/11.

MOURA, Nathália de Cássia Figueiredo. Tráfico internacional de mulheres para a exploração sexual.

Beijos!!

domingo, 28 de outubro de 2012

Bata Indiana - Dicas

Adoro a bata indiana! Está sempre na moda! É algo clássico e ao mesmo tempo versátil! No Brasil nós gostamos de roupas bem leves e confortáveis no verão, por isso os vestidinhos são sempre peças-chave nessa época do ano. Então vim dar uma dica para as mais calorentas e as mais modestas ao vestir sua bata!

Vejo que algumas mulheres se confundem na hora da compra e aparece a dúvida: "isso é uma blusa ou um vestido??" 

Na maioria dos casos, se trata de uma bata, para ser usada com calça. É uma peça bem romântica e charmosa. 



Exemplos:


Bata indiana branca
Bata indiana principalmente branca costuma ter um algodão bem fino e transparente, mas transparência na região dos seios não combina com um visual indiano então use uma regatinha branca ou cor da pele por baixo (ou uma segunda pele) e nesse caso não pode ser usada nem como vestido. 

A dica é a mesma se a bata for muito decotada. Uma segunda pele ou regatinha por baixo te deixará mais elegante!

Este tipo de tecido costuma ser transparente. Procure usar com alguma blusinha branca/segunda pele por baixo



Bata com jeans
Pode ser uma bata curtinha ou uma bata longa, sempre fica bem com jeans.










Bata com calça legging
Se você for mais modesta, a opção é usar com calça. Às vezes vejo uma certa resistência para usar batas com legging, mas as indianas também usam (roupa típica do Punjab, escrevi um texto aqui) e acho muito lindo. 

Eu gosto muito de usar com calça. Me sinto mais confortável e estou sempre bem vestida para qualquer ocasião. 

Você ainda pode improvisar e montar o seu próprio conjunto punjabi (saiba o que é conjunto punjabi aqui) combinando a cor da bata com a cor da legging, pois a principal característica do conjunto punjabi é a cor da calça combinando com a bata e o lenço. A ideia é essa:






Se você usar seu look completo, prefira a legging comprida até o tornozelo.
Ou se preferir, combine com um jeans.






Bata indiana com salwar
Salwar (ou shalwar) é essa calça bem larga, típica do Paquistão e norte da India.





Bata como vestido
Talvez você queira usar algo mais jovem e descontraído. Eu não uso como vestido. Mas vejo algumas garotas se vestindo assim. Mas cuidado para não abusar na leveza do tecido se a sua intenção é usar como vestido. Vejo nas lojas diversas batas vendidas como vestidos, até aí não é nenhum problema para nós. Muitas garotas ocidentais optam por usar as batas indianas como vestidinhos, só não fica bem usar uma kaftan muito curta ou esvoaçante por exemplo porque ela pode levantar com qualquer ventinho e não te deixar confortável.

E pelo amor de Deus, meninas, prestem atenção nas fendas da sua roupa, aquele corte nas laterais. Se ela tiver fendas, mesmo sendo comprida como uma túnica vai ficar vulgar pois geralmente esse corte vai até a altura dos quadris, e desse jeito não é legal usar como vestido. Se a bata tiver fendas deixe para   usar com uma calça.
Se você optar por uma kaftan, prefira as médias e sem cortes nas laterais se quiser usar como vestido.





























Lembrem-se:

As batas indianas combinam super bem com jeans! Use à vontade!


Para sair à noite: Se for algo mais formal combine com muitas pulseiras e uma sandália de salto alto bem bonita e se quiser um visual mais completo combine com uma echarpe ou lenço comprido.

Para o dia: use sua bata indiana com rasteirinha, sapatilha ou uma sandália com salto bem baixinho. 

Quanto aos acessórios, não importa se é de dia ou de noite, brincos pequenos ou grandes, use tudo à vontade. Pulseiras também fazem parte do visual. 

As batas com cortes nas laterais devem ser usadas com calça. 

Muito cuidado com as kaftans se você pretende usar como vestido. Como a maioria é feita de viscose, é um tecido levíssimo. E isso pode se transformar numa pegadinha. Dentro de casa você está linda maravilhosa mas ao sair na rua qualquer ventinho a kaftan pode levantar e estragar seu dia.

Se o algodão for transparente, bem fininho, use alguma regatinha branca ou cor da pele por baixo.

 Deixe para usar a transparência apenas como saída de banho na praia ou no clube. 

Combine sua bata com colares, brincos e pulseiras. 

E o principal: Usar bata como vestido só vale aqui no Brasil! 

Na India use SEMPRE com jeans ou no máximo uma legging!! Nunca use como vestido! Veja como as indianas usam, sempre com jeans ou legging:

















É isso! Aproveite a estação ao seu estilo!


Beijos!!!





quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Existe música mais linda que essa?!!!

Finalmente consegui colocar um vídeo com tradução pra vocês! Me emociona muito!É linda!

Uma oração para o amor ...
Esta canção é  descrita como uma prece ...
Quando o amor está acima de tudo, e torna-se o modo de vida ...

Esta canção diz como ele sente amor ..
Ele precisa de amor ...
Como é tão inseparável dele ...
Lindo ...

Ouça-a ...

Feche os olhos, faça um passeio de sonhos ...
A letra foi tão bem escrita que você pode senti-la no seu coração ...
Simplesmente perfeito .. Nada mais!

Leia a tradução ouvindo a música, você vai entender!

Filme: Tum Mile
Letra: Kumaar
Cantor: KK


Tradução:

Dil Ibadat Kar Raha Hai
Meu coração faz uma prece


Dhadkane Meri Sun
Ouça as batidas do meu coração

Tujhko Main Kar Loon Hasil Lagi Hai Yahi Dhun
Meu coração está obcecado por você


Zindgi Ki Shakh Se Loon Kuchh Hasin Pal Mein Chun
Me deixe colher preciosos momentos da árvore da vida


Tujhko Main Kar Loo Hasil Lagi Hai Yahi Dhun
Meu coração está obcecado por você

(.....)


Dil Ibadat Kar Raha Hai
Meu coração faz uma prece


Dhadkane Meri Sun
Ouça as batidas do meu coração

Tujhko Main Kar Loon Hasil Lagi Hai Yahi Dhun
Meu coração está obcecado por você


Zindgi Ki Shakh Se Loon Kuchh Hasin Pal Mein Chun
Me deixe colher preciosos momentos da árvore da vida


Tujhko Main Kar Loo Hasil Lagi Hai Yahi Dhun
Meu coração está obcecado por você


Jo Bhi Jitne Pal Jeeyu
Todos os momentos que eu viver


Unhe Tere Sang Jeeyu
Eu quero viver com você


Jo Bhi Kal Ho Ab Mera
Não importa o que aconteça amanhã 


Use Tere Sang Jeeyu
Eu viverei eles com você


Jo Bhi Saanse Main Bharoo
A cada respiração


Unhe Tere Sang Bharoo
Eu quero estar com você

Chahe Jo Ho Rasta
Não importa qual seja a estrada


Use Tere Sang Chalu
Eu quero caminhar com você



Dil Ibadat Kar Raha Hai
Meu coração faz uma prece

Dhadkane Meri Sun
Ouça as batidas do meu coração

Tujhko Main Kar Loon Hasil Lagi Hai Yahi Dhun
Meu coração está obcecado por você

(.....)

Mujhko De Tu Mit Jaane
Me deixe adormecer


Ab Khudse Dil Mil Jaane
Deixe eu me encontrar em você


Kyu Hai Yeh Itna Fasla
Por que você está tão longe?


Lamhe Yeh Phir Naa Aane
Esses momentos nunca mais voltarão


Inko Tu Naa De Jaane
Por favor, não os deixe ir embora


Tu Mujh Pe Khudko De Loota
Se encontre em mim

Tujhe Tujhse Tod Loo
Eu deveria te afastar de você mesma

Kahi Khudse Jod Loo
Para me aproximar de você por mim mesmo


Mere Jism O Jaan Main Aa
Me deixe sentir sua fragrância

Teri Khusboo Odh Loo
E completar meu corpo e minha alma


Jo Bhi Saanse Main Bharoo
A cada respiração


Unhe Tere Sang Bharoo
Eu quero estar com você


Chahe Jo Ho Rasta
Não importa qual seja a estrada


Use Tere Sang Chalu
Eu quero caminhar com você



Dil Ibadat Kar Raha Hai
Meu coração faz uma prece


Dhadkane Meri Sun
Ouça as batidas do meu coração


Tujhko Main Kar Loon Hasil Lagi Hai Yahi Dhun
Meu coração está obcecado por você

(.....)

Bahoon Main De Bas Jaane
Me deixe viver em seus braços


Seene Main De Chhup Jaane
Me perder em seu coração


Tujh Bin Main Jaaun To Kahan
Para onde eu iria sem você?


Tujhse He Mujhe Ko Paane
Com você eu terei


Yaado Ke Woh Nazrane
Todas as lembranças mais bonitas


Ek Jinpe Hak Ho Bas Mera
Das quais somente eu tenho o direito

Teri Yaado Main Rahoo
Posso permanecer em suas lembranças?


Tere Khwabo Main Jagoo
Posso permanecer acordado em seus sonhos?


Mujhe Doondhe Jab Koi
Quando alguém procurar por mim


Teri Aankho Main Milu
Me encontrará em seus olhos

Jo Bhi Saanse Main Bharoo
A cada respiração

Unhe Tere Sang Bharoo
Eu quero estar com você

Chahe Jo Ho Rasta
Não importa qual seja a estrada

Use Tere Sang Chalu
Eu quero caminhar com você



Dil Ibadat Kar Raha Hai
Meu coração faz uma prece

Dhadkane Meri Sun
Ouça as batidas do meu coração

Tujhko Main Kar Loon Hasil Lagi Hai Yahi Dhun
Meu coração está obcecado por você




terça-feira, 23 de outubro de 2012

O que vem primeiro: Amor ou Profissão?


Mulheres lindas que estão apaixonadas! Li um texto muito interessante e pensei em repassá-lo a vocês. Importante pensar com carinho antes de largar tudo e ir ao encontro do amado. 
Forme-se antes, forme família depois
Família - Dinheiro = Desespero
Existem meninas que seguem a vida numa boa no país do amado, deixam estudos e trabalho aqui para se dedicarem apenas ao lar principalmente quando o marido tem condições financeiras. Acho lindo e um sonho a mulher poder se dedicar ao marido e filhos, mas nem sempre é tudo tão cor de rosa assim, principalmente com os homens das bandas de lá! Nós sabemos que a maioria deles são muito pobres e vivem sem o mínimo de conforto que estamos acostumadas aqui.
 Por isso é interessante pensar no outro lado da moeda e só a partir daí tomar uma decisão. Ou pelo menos ter um plano "B" caso você necessite voltar pro batente.



Muito me entristece saber que tantas mulheres da minha geração ainda se entregam ao casamento antes de terminar a faculdade, de ter uma profissão, de ter como principal fonte de renda o próprio trabalho. Tenho certeza de que não é por ingenuidade, toda nossa geração, de mulheres nascidas na década de 80, sabe muito bem que um relacionamento que começa assim em pleno 3° milênio tem tudo para dar errado. Acho que é mesmo uma mistura de ignorância com complexo de Cinderela.

Realização total
Assim como o homem, a mulher também precisa se sentir realizada em várias áreas de sua vida. A diferença em relação ao sexo masculino é que só na segunda metade do século XX nós pudemos colocar isso em prática sem sermos queimadas em fogueiras ou totalmente banidas da sociedade. Assim sendo, muitos homens ainda demonstram resistência para aceitar essa verdade. Em outros posts fiz referência a mais resistente e machista dessas alas: o alto clero da nossa santa e pecadora Igreja Católica Apostólica Romana, mas isso rende assunto para outros textos.
Quando a mulher, em pleno século XXI, abre mão de se realizar na vida social, acadêmica e/ou profissional com a ilusão de que a vida familiar irá realizá-la completamente, ela sabe que está tomando uma decisão radical e, provavelmente, muito mais emocional do que racional. Mas, se ela pudesse prever a frustação que isso lhe causará a médio e longo prazo, ela não apostaria tanto nesse conto de fadas.

Estudar é preciso, sempre
Casal apaixonado não sabe fazer conta e sempre se surpreende quando percebe que só com o que ganha não conseguirá pagar tudo o que planejara, mas o rombo é sempre maior quando só o homem trabalha. Se a mulher não está trabalhando, vai ter que trabalhar. Se ela não tiver curso superior é bem provável que só consiga algo do tipo balconista, recepcionista, estoquista, frentista, vendedora de shopping, atendente de lanchonete, operadora de telemarketing… resumindo: muito trabalho para pouco salário.
Não estou desmerecendo esses cargos, a maioria de nós começa a carreira profissional em um deles e por isso damos graças a Deus por ainda existirem profissões que não exigem curso superior completo. Por causa do mercado de trabalho disputado, é cada vez mais comum também nós, graduados, termos que aceitar empregos que só exigem nível médio para não ficarmos desocupados e sem nenhum tostão até surgir oportunidade em nossa área de formação. Porém, um emprego desses é muito pouco para uma mulher ou um homem que já assumiu o sacramento do matrimônio e, provavelmente, tem ou planeja ter filhos.
Nada impede que a mulher dê continuidade aos estudos depois de casada, mas dificilmente conseguirá fazer tudo aquilo que poderia ter feito quando era solteira, sem filhos e não tinha outra obrigação grave além de estudar. Geralmente, mulheres que param de estudar por causa do matrimônio e/ou da maternidade só voltam à sala de aula quando os filhos já terminaram o Ensino Médio, se voltam.
Se a mulher para de estudar antes de entrar na faculdade ou mesmo antes de terminar o Ensino Médio e volta para a escola depois de casada e/ou mãe de família, ela dificilmente conseguirá fazer o curso que queria na faculdade que queria, já que o tempo e a memória dedicada aos estudos não é a mesma da juventude. É provável que faça um curso pouco concorrido em uma faculdade que ela consiga pagar, mesmo que não se identifique com as disciplinas curriculares.
Isso sem falar na maioria das mulheres que, depois que param para se dedicar à família, jamais recuperam o ânimo de estudar.

Dinheiro + Família = Alegria
Como na maioria dos casamentos o homem é mais velho que a mulher, é de se esperar que ele tenha mais escolaridade, mais experiência profissional e… uma renda maior que a dela. Numa família cristã, ou em qualquer outra família fundamentada pelo amor, isso não deve ser motivo de desentendimento, já que num casal espera-se que um supra, dentre outras, as carências afetivas, sexuais e financeiras do outro.
O que não pode haver em nenhum dos esposos é comodismo. Independente de quem ganha mais e/ou tenha carreira mais estável, ambos devem continuar estudando para que possam crescer profissionalmente. Aqui não falo mais de graduação, porque isso é o mínimo que espero de um casal de noivos cristãos do 3° milênio. Falo agora de cursos de idiomas, cursos livres, pós-graduações e até mesmo outras graduações para casos específicos.

Tempo para os filhos
O argumento de que a mulher que estuda e trabalha fora não tem tempo para o esposo e os filhos, além de machista, é mais furado que peneira. Não é preciso ser psicólogo para perceber o quanto as crianças e os adolescentes que não passam o dia todo com os pais são menos mimados e egoístas; mais independentes, sociáveis e auto-confiantes. Tudo isso porque convivem mais com outros adultos - babá, avós, tios, professores - e com outras pessoas da mesma faixa etária - irmãos, primos e colegas. Pais que passam parte do dia longe dos filhos valorizam mais a presença deles e por isso se esforçam para tornar a convivência familiar muito mais intensa, eficaz e agradável.
Problemas entre pais e filhos por causa da aparente falta de tempo são, na verdade, causados pelo falta de maturidade e autoridade dos pais na administração do tempo. Ainda assim, problemas justificados pela "falta de convivência" costumam ser menos graves dos que os causados pelo "excesso" dela. Eu sei bem o que é isso por experiência própria. Quem lê meu blog com freqüência sabe do que estou falando, mas não vamos mudar de assunto agora.

A Cinderela e seu Príncipe Encantado
Uma mulher com complexo de Cinderela, ao se casar com o "príncipe", vai logo soltando: "Para quê vou continuar estudando e trabalhando se o salário dele(a) é o dobro do meu"? Além de ignorar o risco de frustração futura por ter jogado no lixo a oportunidade de se realizar profissionalmente, essa pessoa pensa que "o príncipe" é perfeito e imbatível: alguém que nunca perde o emprego, que nunca adoece, que jamais será aposentado por invalidez, que não vai morrer, que não vai me largar para ficar com outra…
É claro que quando nos unimos a alguém para constituir uma nova família não queremos pensar no pior. Não queremos, mas devemos. Afinal, estamos nos casando por amor com alguém de carne e osso, como nós. Essa pessoa que eu amo e que pode me sustentar hoje, amanhã pode precisar de ajuda e eu, por amor, vou ajudá-lo, mas vai ser muito mais fácil se quando isso ocorrer eu já estiver trabalhando e atualizada nos estudos.
Se algumas mulheres se acham a Cinderela, também existem homens que se submetem ao papel de Príncipe Encantado. Nos casos mais comuns, o "príncipe" não incentivam a mulher a se realizar profissionalmente. Nos casos mais graves, ele proíbe ela de se dedicar a qualquer coisa que não seja para a família e dentro do lar.

Conseqüências na vida sexual
O que esse homem não sabe é que as mulheres que são exclusivamente donas-de-casa são as que têm maior probabilidade de se tornarem frígidas. Como só vive para o marido e para os filhos, a dona-de-casa perde, com o tempo, o gosto de se arrumar, de comprar roupas novas, de se maquiar, de se perfumar. Se não há capricho com a própria aparência, não há elogios. Sem elogios não há auto-estima. Sem auto-estima não há sexo.
Mas o caminho da dona-de-casa para a frigidez pode ser ainda mais curto, já que ela pode perder a auto-estima só de pensar na disparidade entre o que sonhava ser na juventude e o que realmente se tornou por ter se precipitado ao assumir os papéis de esposa e mãe.
Se há frigidez nas mulheres, os homens não estão isentos. Porém, nos homens a queda de libido e as disfunções eréteis são causadas principalmente por estresse, geralmente conseqüência da sobrecarga de muitos anos como único provedor da família.
Fonte: HTMHelen

Agora, a minha opinião! hehe

É claro que você é quem toma a sua própria decisão e sabe o que é melhor!





Beijosss


Um pouco do Punjab

 Às vezes eu quero escrever mais coisas sobre a cultura, mas eu gosto de ilustrar. E nada melhor do que assistindo, pois assim vou me lembrando de alguns detalhes tão pequenos que nem dariam um post, e dessa forma vemos várias coisas de uma só vez.

O que você vai pode ver nesse primeiro vídeo:
 As grandes plantações e  vilarejos.
Vizinhos fofoqueiros.
Comida típica é o sarson da saag feito de creme de espinafre acompanhado com roti/chapati.
Os anciãos e que geralmente resolvem alguma lide nos vilarejos e seus famosos bigodes!



O segundo vídeo mostra um lado negativo que também existe. Mulheres que são pressionadas a realizar aborto.  Alguns rapazes que exageram no consumo do álcool.
Uma coisa boa é uma cena que mostra uma garota massageando as pernas de uma senhora. Isso é muito comum,  os mais jovens fazem massagem nas pernas dos idosos como forma de respeito para aliviar as dores e melhorar a circulação devido à idade. Você não verá o contrário. É sempre o mais novo que faz massagem no mais velho.





domingo, 21 de outubro de 2012

Roupas - O que eu aprendi quando mudei a forma de me vestir

Eu havia escrito esse post antes, mas não sei o que aconteceu e o blog não salvou muitas coisas que escrevi, fiquei louca da vida e precisei refazer.

Não pense que só o Alcorão defende a modéstia e só a mulher muçulmana precisa se vestir decentemente.

A modéstia sempre foi uma virtude cristã, apesar de esquecida nos dias de hoje. A mulher cristã busca se vestir com modéstia para agradar a Deus e seguir o exemplo de Maria também. 

Nas palavras de São Paulo, Bíblia Sagrada: “Do mesmo modo, quero que as mulheres usem traje honesto, ataviando-se com modéstia e sobriedade” (I Tim 2, 9). A Bíblia é sábia e reconhece o valor do corpo, de modo que não atraia tanto que seja o primeiro motivo para a aproximação das outras pessoas.

Certo cristão anônimo disse: " A modéstia é o forte que guarda o castelo e o quadro que destaca a pintura".

Várias vezes me pego pensando: como eu mudei ao me relacionar com um indiano! E vejo que não é apenas comigo que isso acontece. A palavra "mudança" muitas vezes soa como algo cruel, forçado. Mas algumas mudanças são para nosso bem, e seria o certo, mudar para melhor.

Como qualquer mulher que se relaciona principalmente com um homem asiático ou do oriente médio isso é inevitável!

Mas muitas vezes mudamos porque queremos e sentimos necessidade disso. E também precisamos ceder algumas coisas pra entrar nesse mundo louco deles.
 Imagine seu mundo de cabeça pra baixo. É assim que você pode se sentir no começo, pois tudo é muito diferente, muito mesmo!!

A primeira coisa que mudei foi a forma de me vestir. Com isso percebi que não preciso estar em forma, usar silicone, fazer lipoaspiração, fazer dietas malucas, entrar numa academia, usar roupas apertadas e decotadas pra ficar bem comigo mesma.

Juro que antes eu me preocupava demais com isso. Sério! Parece absurdo mas eu era preocupada demais com a aparência de acordo com o estereótipo que "exigem" aqui.

 Não quer dizer que agora você precisa andar esculachada ou seja lá o que for. A mulher deve se cuidar e também manter sua higiene pessoal.
Mas percebi que a mulher para ser bonita não precisa de loucuras ou se submeter a super exposição para alguém gostar dela.

 Aquele vestidinho curtinho já não me pertence mais. No começo foi difícil mudar de uma hora pra outra pois eu não via mal nenhum e achava que por estar no Brasil poderia me vestir do jeito que quisesse. Estava errada.
 Hoje em dia me sinto muito mais segura com uma saia longa do que uma mini saia. Sim, você vai perceber que saia longa é para a mulher SEGURA DE SI.

Quanto mais curta uma roupa, mais insegura a pessoa é. Talvez você não perceba mas faz sentido, pois essa pessoa precisa de aprovação dos outros com o lema: "o que é bonito é pra se mostrar" e depois ela se pergunta: "será que estou bonita mesmo? preciso emagrecer, meu cabelo está horrível..etc".

Você não precisa disso!

Hoje eu aprendi a mostrar meu corpo somente para o meu marido. É para ele que devo estar bonita e é para ele que eu me arrumo. Por isso algumas pessoas não entendem minha mudança, pensam que estou dominada por ele. Mas eu sei que meu marido também não precisa mostrar para os outros homens a mulher que está ao lado dele, se é gostosa ou não, e ele prefere assim.

Procuro roupas mais discretas, uso vestido curto sim (na altura do joelho), mas não precisa ser mini, e só uso os meus vestidos na altura do joelho de vez em quando assim como regatinhas ou blusinhas de alcinha na praia, num sol escaldante ou dentro de casa.

 Aprendi que o conceito de beleza deles é diferente do nosso.
Não me sinto mais um objeto de vitrine. Quando ando na rua, as pessoas se aproximam pelo que eu sou, e não pelo que pareço ser.

A gente sabe que os homens aqui também assediam muito as mulheres, e isso incomoda pois quando eles se aproximam a primeira coisa que a mulher pensa é: "acho que ele só quer aquilo!". Isso é uma prova de que nós mulheres sabemos que os homens pensam assim. Portanto a roupa também nos protege desses safados.

Logo quando a gente começou a namorar na net eu já comecei algumas mudanças, usava algum lenço cobrindo os ombros ou o decote, usava vestidos e saias mais longas.

Se hoje eu saio na rua com mini saia me sinto nua hahaha!

Foi quando comecei a me preocupar em não usar roupas desconfortáveis ou que mostram demais. Confesso que me senti muito bem assim. Com o tempo você se acostuma, e só vai perceber quando um dia você sair na rua e não se sentir bem com aquela roupa mais decotada ou curta.

Meninas, quando o homem te achar bonita ele não vai olhar a roupa que você está usando. A gente sabe que homem já nem repara em detalhes. Mas se você estiver com algo "vulgar" a atração dele será apenas visual e a primeira coisa que ele vai querer com você é sexo.

No cérebro dele isso funciona como um convite.  Se você usar algo mais discreto você tem a impressão de que o assédio diminui e pode parecer que você não está atraente, mas você está sim e muito!

A modéstia é uma excelente defesa que coloca a mulher fora do alcance de homens que não estão preparados para assumir um relacionamento sério ou não estão dispostos a respeitá-la.

A mulher pela sabedoria da natureza já é atraente, já tem sua beleza. A natureza já fez nossas curvas, nossos feromônios, nossa delicadeza, fragilidade e força ao mesmo tempo.

Não precisamos de loucuras pra nos sentirmos bonitas e atraentes.

 Quando o homem quer algo sério, seja gringo ou brasileiro, ele vai direto na mulher modesta, pois ela parece mais segura de si com a própria aparência, então ele muda a abordagem, se aproxima com mais educação, com respeito e presta mais atenção na conversa. Mas se você estiver usando um vestido mini, por exemplo, ele nem vai se interessar em te conhecer direito e não verá a hora de te levar para outro lugar onde possa ficar a sós com você..

Você certamente já viu fotos de feministas que fazem protestos nuas ou com os seios à mostra, né?
 Já reparou que não funciona? Poucas delas conseguem alcançar o objetivo do protesto mostrando o corpo? Quando aparecem na mídia, o que chama atenção é o fato de estarem semi-nuas com os seios de fora mas o motivo do protesto fica em último plano, e na verdade nem nos preocupamos em saber sobre o que elas protestam, apenas pensamos: "aff..mais uma que saiu pelada" ou  "ela só quer aparecer".

O corpo da feminista nua passa uma imagem e os cartazes passam outra. Quando elas saem nuas, a nossa moral fica tilintando e a primeira coisa que vem na cabeça é: "nossa ela saiu pelada!" Pode ser questão de milésimos de segundos, mas essa é a primeira e mais forte mensagem que chega até nós.

Por isso esquecemos rapidamente o que elas tentavam dizer e o que estava escrito nos cartazes pois a nossa atenção foi desviada para a nudez!.

É uma forma equivocada de chamar atenção para defender algum propósito.


Com um homem funciona do mesmo jeito. Se você usar algo vulgar a mente dele ficará muito ocupada prestando atenção nas suas curvas, e coisas mais importantes não serão feitas, como te conhecer melhor, por exemplo.

 Faça um teste: Mostre a foto de uma feminista pelada para um homem e depois de 2 minutos pergunte sobre o que elas protestavam, provavelmente ele dirá:  " Não sei. Não me lembro".



Isso porque elas deixam o corpo como assunto principal, e infelizmente corpo e intelecto não são analisados juntos de imediato: ou analisamos primeiro o corpo ou analisamos primeiro o intelecto, mas as duas coisas ao mesmo tempo não dá.

Se você usar seu corpo como atrativo, a atenção do seu caráter e personalidade será desviada. Isso é natural do ser humano.

 Óbvio que uma pessoa muito bonita vai chamar atenção pela sua beleza primeiro, mas o problema aparece quando é feita uma exposição do corpo como atrativo de sedução, e isso pode ser um desastre para qualquer pessoa.

Os homens indianos gostam de uma curiosidade. Dizem que quanto mais as mulheres mostram o corpo mais perdem a graça.

Há quem diga que a roupa curta não diz quem você é mas a postura da pessoa sim.
Deveria ser assim, mas não é!
Até hoje ninguém conseguiu mudar o conceito de que a roupa não diz quem você é, pelo menos num primeiro encontro.

Por que para uma entrevista de emprego você usa a sua melhor e mais decente roupa, e para sair acompanhada ou com as amigas você usa sua menor e mais indecente roupa?

Por isso aquele papo de que a garota usa vestido "piriguete" mas é uma santinha pode até ser verdade de que ela tenha boa índole, mas não cola para a maioria dos homens pois o corpo dela passa uma mensagem e a personalidade passa outra. E nesse caso o que chama atenção primeiro? Tá bom, ele pode até se apaixonar depois...mas até lá ela terá que provar que não é só um corpinho bonito.

Não sou contra a forma de nos vestirmos aqui no Brasil, cada um na sua, temos muita liberdade e tem aquelas que só querem curtir e não estão nem aí pra casamento,  mas ao se relacionar com um homem asiático ou do oriente médio vestido piriguete não funciona.

No Brasil temos o hábito de usar roupas curtas no verão, mas é possível se vestir sem ser vulgar. Comece por usar algo que te deixe a vontade sem a intenção de atrair olhares invasivos e maliciosos porque sua saia está tão curta que você não pode se sentar ou subir uma escada, por exemplo.



Meninas, isso vale para aquelas que conhecem o cara que já está morando aqui no Brasil também. De vez em quando eu vejo mulheres com roupas mini e decotes mostrando tudo numa balada só porque o cara que vai com ela e com as amigas é árabe, por exemplo.

Elas querem mostrar o que a brasileira tem. É uma disputa pra ver qual é a mais bonita e que vai roubar o coração dele. Mas eles só querem bagunça, eles ficam loucos claro, mas não vão ter nada sério, pois eles não estão lá pensando em amor.

Você já reparou que a maioria dos homens do oriente se divertem, namoram só mulher bonitona e sarada no nosso país, mas na hora de casar aqui ele escolhe alguém da mesma cultura dele e que se veste de acordo com as vestes deles? Portanto não se engane. 


Gente, não se iluda com um gringo que te leva pra jantar, enche a mesa de balde de bebida e gelo e paga a sua entrada na balada. Pois eles tem um conceito diferente de beleza. E eles fazem isso só pra se divertirem e não porque você é única pra ele. Estrangeiro solteiro que vive no Brasil é um perigo, gosta de ostentar e nem sempre pensa em compromisso sério.

 Até existe um ou outro perdido por aí..uma colega minha conheceu um gringo na balada, logo depois se casaram e ela foi morar com ele na Alemanha. Mas repararam uma coisa? Eles não namoraram, não ficaram por meses sem compromisso. Eles se conheceram e pouco tempo depois marcaram o casamento. Gringo não namora, geralmente ele casa rápido.

A mulher pra casar com ele não precisa andar com roupa da moda, e ter um corpão. Na hora de casar ele pensa diferente. Por isso não se iluda com esses que te conheceram com vestido piriguete e não querem saber de compromisso sério. Infelizmente eles ainda nos julgam pelas roupas.
É o que eu disse, é outro mundo! Tudo é muito diferente pra gente.

Como saber a hora de mudar? Sabe aquela roupa que você fica no estica-e-puxa e precisa se policiar para não aparecer o decote quando você se abaixa ou o cofrinho quando você senta! Ou aquela saia que você tem medo de que levante de uma hora pra outra com uma rajada de vento? E aquela blusa que aparece o sutiã? Ou transparência? Quando isso acontece, é sinal de que algo pode ser mudado.












Se você acha que uma roupa não causa nenhuma impressão veja o que as pessoas pensam através dessas piadas de internet (detalhe que são piadinhas de brasileiro para brasileiro):








Quer mais?? 
Se é assim que as pessoas pensam aqui, imagine seu namorado indiano ou das arábias! 

Se você quer ser respeitada nas ruas, ou tem um  namorado na internet, comece pelo seu próprio corpo, cuidando dele, valorizando-o mas sem expô-lo demasiadamente. Agradeça que no Brasil temos a opção de nos vestirmos como desejamos e por isso o homem respeita a mulher mais modesta. Tire  isso a seu favor. Infelizmente em outros países muitos homens não respeitam as mulheres nem quando estão vestindo burcas, seja na rua, no trem ou no ônibus.

O que eu aprendi é que sim, as roupas tem uma influência negativa ou positiva mesmo aqui no Brasil. Passei a enxergar o que antes eu não conseguia. E senti a diferença no dia-a-dia. Percebemos isso no trabalho, no almoço com amigos etc..

Nunca se esqueça de que você merece olhares de quem te admira pelo que você é, pela sua personalidade, e por causa disso quer assumir relacionamento sério com você e não de quem só quer usufruir e se aproveitar da sua beleza!


Exemplos de modéstia cristã:








Beijos!!