Café com Chai

Observações de uma brasileira sobre a cultura indiana.

terça-feira, 30 de abril de 2013

Música Mashallah do filme Ek tha Tiger

"Mashallah" é uma canção Hindi, sucesso do filme de Bollywood em 2012, Ek Tha Tiger. O Diretor  Kabir Khan disse que foi difícil colocar esta canção em um filme que foi um thriller de ritmo rápido e um gênero repleto de ação. Mas Katrina e Salman estavam trabalhando juntos, eles decidiram direcionar uma canção que atingiria instantaneamente o público e, portanto, Mashallah foi feita. 

Mas não pense que você vai ver essa música no meio do filme como a maioria dos filmes indianos. Eu sei que isso não se faz mas não quero causar a decepção que eu tive quando assisti o filme pensando em ver o clipe e ele não apareceu no meio da história como nos outros filmes. 

Sajid-Wajid escolheram a trilha sonora para este filme, e decidiram usar uma música de fundo oriental em meio à canção indiana. Shreya Ghoshal com sua voz deu graça à canção e disse que foi a primeira vez que ela cantou uma música autêntica do Oriente Médio e que simplesmente adorou. Foi a primeira vez que ela cantou em tom baixo, o que mais uma vez caiu perfeitamente bem para ela. A letra foi escrita por Kausar Munir.


Vaibhavi Merchant, o diretor de coreografia disse que contrataram 60 dançarinos de Londres que tivessem um tipo de pele peculiar do Marrocos, a fim de encaixar a sensação e o ambiente da música. Ele disse: "Mashallah é uma canção que atende a um público que gosta de música e dança em um filme."
Salman Khan disse que se divertiu muito durante as gravações de Mashallah. No momento em que entrou nos sets de filmagens lhe foi dado um passo para ensaiar e ele teve que aprendê-lo em 15 minutos de tempo. Katrina Kaif, conhecida por suas perfomances nas músicas de Bollywood achou a música incrível e levou apenas quatro dias para ensaiar todos os passos, mas infelizmente adoeceu um dia antes das filmagens. A produção do clipe só pode realizar as gravações no dia seguinte.
Embora seja possível sentir que o clipe foi filmado nas ruas de Marrocos, na verdade foi filmado em Mumbai. 

Aqui vc pode selecionar a legenda em português.
Making of the song - Mashallah. 
com os cantores Wajid Khan e Shreya Ghoshal



quarta-feira, 24 de abril de 2013

Coisas que aprendi: o livro

Isso muita gente já sabe: Asiático que é asiático dá muito valor aos estudos. Eu comparo a determinação do indiano mesma forma que chinês, japonês e coreano. Pelo menos aqui no Brasil os chineses e japoneses são os mais esforçados nos cursinhos e conseguem lugar nas melhores faculdades. O método de estudo varia, mas sempre levam muito a sério.





Veja a diferença com que os indianos celebram o Dia dos Professores.
Acho super bonita essa homenagem. São grandes celebrações nas escolas. E olha que lá na Índia professora não dá moleza não! Bate mesmo nos alunos, é tudo na base do puxão de orelha e palmatória, bem diferente daqui onde os professores tem medo dos alunos.

Professoras mostram suas medalhas no "Delhi State Award Ceremony"

Ministros da Educação homenageados

Vice-diretor da faculdade de Direito recebe as honras de professorem Chennai


Estudantes celebram dia dos professores


Professores durante celebração em Chennai

Retrato do lendário professor e ex-presidente Dr. S. Radhakrishnan, por ocasião do seu aniversário e 'dia dos professores' 
Alunos entregam flores para a professora 



Homenagens



Alunos dançam em festival







Também homenageiam os professores que já partiram

"Se você consegue ler isso, agradeça ao professor" 


Beijos!

Comerciais indianos: Seda e Dove

Interessante que os comerciais são o reflexo da sociedade:

Esse aqui eu achei curioso: Shampoo Seda com óleo de mostarda


Comercial da Dove.





Beijos!!

terça-feira, 23 de abril de 2013

Sotaque indiano:cenas de Raj e entevista (Big Bang: A Teoria)

Eu me lembro de quando estava aprendendo inglês exatamente na fase que conheci meu marido..nem preciso dizer que eu não entendia nada do que ele falava. Eu já não entendia um americano imagine um indiano falando inglês! A primeira vez que vi um vídeo de indiano falando inglês juro que eu não acreditei que aquilo fosse inglês. Isso porque o inglês do meu marido é fluente, e agora que tenho o inglês fluente posso dizer que o sotaque dele nem é tão carregado assim em comparação com outros indianos. Mas tem palavras que o R ele ainda puxa igual italiano..o L toca o céu da boca..hehe eu acho tão fofo o sotaque indiano!!

Adoro esse seriado "Big Bang: A Teoria" principalmente a parte do indiano Raj! Eles sempre mostram um pouquinho da cultura indiana com muito humor.

Não deixe de assistir ao final do post a entrevista com ele. O ator fala sobre alguns costumes da Índia, como casamento, as diferenças que ele sentiu ao viver na América e claro, brincadeiras com o sotaque. Bem legal!

Selecionei as melhores cenas!

Raj e a namorada americana


 Sem legenda - Veja um trecho que o indiano tenta falar com sotaque de americano rs


Pra mim essa é a melhor! Raj recebe um telefonema de uma garota mas ele não sabe como conversar com mulheres, então o amigo dele pega o telefone e fala no lugar do Raj. É sem legenda, mas dá pra entender o sotaque.



Sem legendas - Mais trecho do Raj..ele apresenta os pais aos amigos e do nada os pais começam a falar sobre casamento arranjado com ele rs

Pois é o youtube não permitiu colocar o vídeo então deixo o Link da Entrevista no Youtube - Legendas em português


Kunal Nayyar (Raj - The Big Bang Theory) - Entrevista legendada PT-BR




Panelão

 Um indiano foi fotografado lavando uma panela gigante em Anandpur Sahib, no estado de Punjab. A panela é usada para preparar uma bebida não-alcoólica servida durante as comemorações do festival Sikh Hola Mohalla.



Beijos!!

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Sutiã indiano que dá choque é moda contra a violência à mulher

Protótipo de sutiã que dá choque desenvolvido por estudantes indianos
A forte repercussão do estupro coletivo de uma estudante indiana de medicina em um ônibus, no final do ano passado, levou um grupo de universitários do país a desenvolver um protótipo que pretende servir de arma para mulheres se defenderem contra ataques sexuais - um sutiã que dá choques. A vestimenta é capaz de dar choques de 3.800 quilovolts em qualquer um que tente apertar, apalpar ou beliscar os seios da mulher.


Manisha Mohan, Niladhri Basu Bal e Rimpi Tripathi, estudantes de engenharia aeronáutica da Universidade SRM, na cidade de Chennai, decidiram desenvolver o sutiã especial após ouvirem relatos de mulheres que viviam em abrigos sobre suas experiências com assédio sexual. "O estupro coletivo em Nova Déli foi o gatilho [para o projeto], mas também a dormência das mulheres e dos legisladores sobre essa ameaça social", explica Mohan. "Já era tempo de as mulheres conseguirem uma mudança", diz ela.

Mensagens de texto

O sutiã recebeu recentemente um prêmio para projetos de jovens inovadores da Sociedade para Pesquisas e Iniciativas para Tecnologias e Instituições Sustentáveis, baseada na cidade indiana de Ahmedabad.

O protótipo foi batizado de SHE (Society Harnessing Equipment, ou Equipamento de Controle da Sociedade, na tradução livre), que na sigla em inglês significa "ELA".

Além do choque para espantar possíveis molestadores, o equipamento também é capaz de enviar uma mensagem de texto para algum parente ou amigo e para a polícia, com a localização exata da vítima determinada por GPS, segundo Mohan. O sutiã tem um sensor de pressão conectado a um circuito elétrico.

Para garantir que o choque não seja dado na própria vítima, o sistema conta ainda com um tecido de dupla camada para garantir o isolamento elétrico. "Também é possível calibrar o sensor para pressão por aperto, beliscão ou agarrada. A força aplicada por um abraço não satisfaz as condições para a atuação do equipamento", conta Mohan.

Segundo ela, há também um dispositivo para que a própria mulher dispare o choque ao se sentir insegura.

Projeto em andamento

Os estudantes estão agora trabalhando para tornar o sutiã mais prático e comercialmente viável. Os componentes elétricos usados no protótipo ainda são grandes e precisam ser miniaturizados para torná-lo prático.

Eles também querem usar tecnologia bluetooth para ligar o sutiã a um aplicativo de smartphone.

O sutiã ainda é um projeto em andamento, mas os três anteveem grandes possibilidades no futuro próximo. "Minha visão é ver todas as mulheres andando com confiança pelas ruas em todas as partes do mundo, mesmo em horários não convencionais", diz Mohan.

"Eu pretendo dar uma sensação de segurança para as mulheres que vivem em áreas rurais também", afirma. Ela diz sentir uma grande responsabilidade sobre seus ombros, já que "muitas mulheres confiaram no equipamento".



http://mulher.uol.com.br/moda/noticias/bbc/2013/04/16/sutia-indiano-que-da-choque-e-moda-contra-a-violencia-a-mulher.htm


1ª Edição Brasileira do Holi!!!

Em setembro, no Ibirapuera - SP vai acontecer a primeira edição da Festa das Cores (Holi) no Brasil. (Confirme a programação em sites oficiais para se informar sobre possíveis alterações na data do evento).



Vídeo Oficial

confira mais detalhes http://www.guiadasemana.com.br/turismo/noticia/1-edicao-brasileira-do-festival-das-cores-acontece-em-setembro

Aqui no Brasil será celebrado em setembro..vale lembrar que o festival foi celebrado mês passado na India. Com é um festival que tem a ver com a chegada da primavera, aqui será celebrado em setembro, mês que a primavera dá início no Brasil.

Imagens do Holi 2013











domingo, 21 de abril de 2013

Entrevista de uma brasileira casada com indiano

Mais uma inspiração aos casais indo-brasileiros. Para aqueles que perguntam o que é que o indiano tem, ou por que as brasileiras se encantam por eles, a resposta da entrevistada ao final diz muita coisa.



 Não posso deixar de mencionar (e transcrever) um artigo que li no blog mulheralienigena.blogspot.com.br onde a autora explica com clareza e de forma sucinta as questões  mais frequentes:


"Por que este fenômeno está acontecendo?

Eu creio que isso se dá pelo encontro de duas necessidades crescentes que estamos vivendo no mundo de hoje, a necessidade de um comprometimento, de romance e de atenção que as mulheres ocidentais estão vivenciando, e as necessidades sexuais dos indianos. Não são todos os indianos que estão à procura apenas de sexo, mas a maioria, como aqui no Brasil ou em todo mundo, só quer isso.A diferença é que lá no país deles a sexualidade é totalmente reprimida, os homens não tem muito contato com as mulheres e muitos se casam virgens. Eles aceitam a sua sorte e esperam pelo casamento, mas enquanto isso, vão tentando se divertir com mulheres de culturas mais livres, como a brasileira. Para isso eles não economizam o seu hingles, passam horas diante da tela do computador falando com as amadas, mandam mensagens, cobram, mostram-se enciumados, chamam suas amadas de minha vida, meri jaan, jannu, e por ai vai. As brasileiras, que vivem nessa cultura permissiva e que estão totalmente carentes, querendo se sentir especiais, viver um grande romance de filmes, caem imediatamente de amores, se apaixonam perdidamente como nunca. Elas são capazes de tudo por estes indianos, atravessam oceanos para encontrarem o grande amor de suas vidas, mas este grande amor não quer se casar com uma brasileira, ele vai se casar com a indiana respeitável e virgem que a família escolher, por que é assim que tem que ser e pronto. A não ser que sejam indianos que já participam de um pensamento mais avançado e sem preconceitos, que são poucos.

O que atrai indianos e brasileiras?

As brasileiras são atraídas pelo exotismo, pelo romantismo exagerado e irreal, pela dedicação, pelas promessas de um grande amor, de uma nova vida, umas querem se ver livres da promiscuidade, estão cansadas da superficialidade dos relacionamentos. Os indianos querem se relacionar com mulheres, querem descobrir, querem namorar, uns querem uma facilidade para o visto, a maioria quer sexo apenas e alguns, realmente, querem encontrar um grande amor fora de sua cultura.Ambos são atraídos por aquilo que falta na cultura de cada um, e todo o mundo gosta do diferente, como diria o ditado, a grama do vizinho sempre parece mais verde.

O que cada um quer?

As brasileiras querem um príncipe encantado, um casamento perfeito, um marido que valoriza a família, algumas também só querem se divertir com eles. Os indianos querem aprender, querem sentir, querem aproveitar os momentos. [...[".

Beijos

sábado, 20 de abril de 2013

Um dia reflexivo

Hoje é um domingo introspectivo, de reflexão..pois lá na Índia é o último dia de orações (como se fosse uma missa) para o meu sogro. 

Dois dias atrás tive um sonho que me deixou intrigada..sonhei que estava conversando com uma senhora e nesse sonho eu quis dar uma das minhas dupattas a ela. Então eu peguei todas as minhas dupattas, todas dobradas e coloquei na frente dela para que escolhesse uma que lhe agradasse. Então ela pegou uma dupatta. Eu fiquei incomodada e pensei "mas ela quer justo essa dupatta"..e ela dizia "eu quero essa!" mesmo discordando eu entreguei a ela. Quando acordei fiquei pensando porque aquele sonho mexeu tanto comigo, pois a dupatta que ela havia escolhido era a mesma que eu havia usado no luto do meu sogro, e dupatta branca significa luto. E aquilo não saía da minha cabeça e eu tentava entender porque o sonho me marcou tanto, e porque sonhei com algo que significa luto na cultura indiana, por que eu não conseguia esquecer o sonho.  Se é coincidência, eu não sei, mas fiquei sabendo que hoje é a ultima cerimônia de adeus ao meu sogro. 

Da mesma forma que realizamos missa de 7 dia, 1 mês, um ano, etc..lá na Índia é parecido. Então de acordo com o costume não posso usar nenhum perfume, maquiagem, cosméticos, enfeites, pulseiras, sindoor, roupas coloridas, nada disso hoje. Pediram também para usar branco e adivinhem: a mesma dupatta branca a qual eu sonhei . É um momento íntimo principalmente para a família do meu marido, por isso não vou me prolongar ou entrar em detalhes mas ao mesmo tempo tudo é muito novo, cada hora um costume diferente, uma forma diferente de lidar com as situações. 

Mas uma coisa é certa: sentimento não tem nacionalidade, não tem costume que mude essa essência. Você pode nascer na Índia, no Brasil, na China..os costumes mudam, mas os sentimentos não! Amor é amor em qualquer lugar do mundo.  Saudade é saudade em qualquer lugar do mundo..e quanta saudade meu sogro deixou!

Beijos

Chapinha indiana


Brincadeira! 
Mas nós sabemos que até no Brasil algumas mulheres que não tinham dinheiro pra comprar uma prancha usavam esse método (ou ainda usam). Eu não tenho coragem, prefiro deixar o cabelo ao natural do que detonar ele num ferro quente. Quando vejo fotos assim me lembro de uma garota de 15 anos vizinha nossa lá na Índia, que me pediu uma chapinha daqui do Brasil. Ela é muito pobre, um doce de garota e não tem condições de comprar uma prancha. Eu queria muito poder entregar pessoalmente mas não sei quando será possível, afinal  só uns 15.000 Km separam a gente. O jeito é  me recorrer aos Correios e torcer para que façam esse tipo de entrega.



Momento desi

Qualquer semelhança...

sexta-feira, 19 de abril de 2013

Barbie indiana parte 2

Encontrei mais fotos dessas bonecas lindas!!


















Claro que não é Barbie, mas achei interessante colocar no rol das bonecas indianas