Café com Chai

Observações de uma brasileira sobre a cultura indiana.

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Dica de turismo - Amritsar


Quando se fala em Índia, a maioria das pessoas tem em mente Taj Mahal, Nova Delhi, Templos Hindus e mulheres de sáris ao sul da Índia. As empresas de viagens só oferecem pacote para esses lugares e pouca gente sabe alguma coisa sobre o norte da Índia. Essa região é riquíssima em história, culinária e costumes.

Cada região da Índia tem um costume diferente, uma comida diferente, etc..vale a pena conhecer o norte desse país, e em Punjab - Amritsar pertinho do Paquistão está o templo mais importante para os sikhs: O Templo Dourado. Todo feito de ouro atrai milhares de visitantes. Em Punjab você verá muitas mulheres vestindo salwar kameez no lugar dos sáris, muitos homens exibindo seus turbantes coloridos contrastando com a barba.

Prepare-se se para degustar pratos com frango, carne de bode, batata, iogurte e além das masalas, os temperos conhecidos como o coentro, açafrão, cominho, cebola, gengibre, e claro, pimenta! Roti com manteiga, grão de bico ou lentilhas (daal). 
Não se esqueça do chai.

Amritsar, literalmente,  rio de Nectar, deriva seu nome do Amrit Sarovar , o lago santo que envolve o fabuloso Templo Dourado. Quem visita pela primeira vez Amritsar pode ter a impressão de que Amritsar é como qualquer outra pequena cidade no norte da Índia. Mas Amritsar está  acima de qualquer outra cidade , seu status elevado e santificado pela presença do  venerável Templo Dourado.

Localizado no coração de Amritsar, o complexo do templo é rodeado por um labirinto de ruas estreitas , ou katras , que tem um dos mercados mais movimentados na Índia. Mas o Templo de Ouro é uma presença serena , irradiando uma calma que faz as pessoas abaixarem a cabeça em sinal de reverência . O gurudwara , como templos sikhs são chamados, é o mais sagrado dos sikhs santuários . Não é apenas Sikhs que viajam para o Templo de Ouro em homenagem , o santuário sagrado é igualmente reverenciado pelos hindus, muçulmanos e pessoas de outras religiões que , também, fazem a peregrinação para oferecer orações em Harmandir Sahib .

Há mais de Amritsar do que isso - Entre outros pontos turísticos está Jallianwala Bagh , local do  horrível massacre de indianos desarmados pelas tropas britânicas . A grande atração turística nos dias de hoje é a fronteira indo -paquistanesa cruzando em Wagah , a uma curta distância de Amritsar , com sua elaborada mudança de guardas.

Se você pretende conhecer o norte da Índia , Amritsar é uma cidade que você não deve perder. É fácil viajar para lá de Delhi por estrada e por via férrea. É fácil passaear pela da cidade e você poderá contar com o apoio de guias.
Meu marido tirou várias fotos do Templo Dourado e vou dividir com vocês.
























terça-feira, 29 de outubro de 2013

Perguntas frequentes

Ao me casar com um indiano, me habituei a responder sempre as mesmas perguntas. Hoje vejo tudo com naturalidade, mas teve um momento que nem eu nem meu marido suportávamos mais tantas perguntas.

É engraçado como aqui no Brasil (sim, em outros países isso também acontece) as pessoas olham muito quando percebem que a pessoa é estrangeira. No início eu me incomodava com os olhares, mas a maioria olha somente por curiosidade e sempre que pode a pessoa puxa assunto, tenta fazer amizade, então nos acostumamos também com toda essa "atenção". Hoje vejo com naturalidade. Mas até hoje o questionário não muda:


1) A pessoa aponta para a testa e pergunta:
_ Que lindo!  O que é isso?

Eu respondo: "bindi"

_ O que??

Eu: _Bindi.

_Ahhh...e o que significa?

Eu: _ Felicidade para o casamento, respeito à cultura, intuição feminina..etc etc

_ Adorei!

Eu: _ Obrigada!

2) A pessoa olha para o bindi e pergunta:

_Árabe?

O marido toma a frente: _ NÃO! INDIANO! (ele fica louco porque todas as vezes confundem indiano com árabe rs)

Sem entender a diferença a pessoa dá um sorriso e repete as peguntas anteriores.

3) _Você machucou a testa???

_Não, é sandoor. É um sinal de mulher casada...

_Entendi!

4) _Where are you from? (De onde vocês são?)

_ Índia

_Oww!! Ela também é indiana?? (perguntam sobre mim para o marido)

Eu: _Não. Sou brasileira

_Ahhh você fala português!

Eu: simm!!rs

_Bem que percebi, você fala bem português!

Eu: _ Sim, eu falo...

_Mas você mora no Brasil faz tempo??

Eu: _Sou brasileira

_Ahh entendi! heheehe

5)" _ Nossa..você teve que conhecer um homem do outro lado do mundo? Não tinha mais perto não?"

6) "Mas como você se veste? Você tem que usar burca?"

7) "Onde vocês se conhecerem? "Aqui ou lái?"
Eu respondo:" _ Aqui mesmo". (Me resumo a isso. Não gosto de contar os detalhes, contar tudo começou pela internet, bla bla bla)

8) "_Muçulmano??"

"_Não. Sikh".

9) "Vocês moram aqui no Brasil?"

10) "Você já visitou o país dele?"

11) Uma pergunta que achei engrçado:  Duas mulheres já me perguntaram isso super envergonhadas..

"_Erhh..ehh..hã..o homem indiano é carinhoso? São bons maridos?"

Respondi:" _Normal! "(Poxa o que eu ia responder?)

12) "_Acho tão lindo as mulheres se arrumam para o marido! Brasileira não gosta de se arrumar!Você se arruma em casa para seu marido também né?"

(Eu já não concordo com essa frase que já ouvi várias vezes dizendo que brasileira não gosta de se arrumar. Eu acho que a brasileira é bem vaidosa, sim)

13) Ele pode ter mais de uma esposa??

14) E a família dele, o que achou?

15) Qual a casta dele?

16) Nossa, mas o que você veio fazer no Brasil???

17) Você sabe falar a língua dele?? Como vocês se entendem??


Bom, o que eu lembro é isso. Hoje não tenho muito tempo para escrever, mas acho que deu pra pegar o espírito da coisa! rs

Beijos



segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Segunda chance?

Uma das joalherias mais famosas da Índia, Tanishq, quebrou as regras ao gravar um comercial o qual mostra uma noiva que já tem uma filha. O próprio vídeo não menciona se a mãe é divorciada, viúva ou solteira, ou seja, deixou para livre interpretação.


Pontos interessantes:
A noiva parece confiante, sem aquela expressão triste e deprimida como a maioria das noivas indianas.

A noiva não é branca como a maioria dos comerciais indianos. Ela tem a típica cor de pele que a maioria dos indianos tem (que pejorativamente é chamada de "dusky complexion" pelos próprios indianos)

A criança sabe o que está acontecendo

A criança conhece o homem e se sente confortável com ele.

Todos estão felizes. O noivo aceita a criança como sua filha.

O anúncio foi um passo na direção certa em algumas maneiras - seja casada ou não, ela é uma mãe solteira, a filha está familiarizada com o noivo, e parece gostar dele, e ele a trata bem , a noiva mostrou-se feliz, e acima de tudo, a filha estava envolvida no casamento e realmente animada sobre isso - ela não era uma fonte de vergonha para família e para o pai que a assumiu.

Um comentário que achei interessante: Como criamos nossas "famílias" está mudando. Agora temos mais opções.

Quebrando regras:
No norte da Índia algumas famílias preferem realizar um segundo casamento da mulher divorciada ou viúva em comunidades agrárias. Detalhe: as crianças eram deixadas para trás com seu pai biológico ou com os avós porque o novo marido não era responsável pela criança, com raras  exceções. Pelo contrário, sempre houve pressa para casar novamente a mulher divorciada sem nem mesmo dar-lhe tempo para se recuperar do choque e pensar no que aconteceu. 


As próprias indianas dizem que não aguentam mais os comerciais de mulheres lavando, cozinhando e submissas..

Estariam essas mulheres mais perto do direito de decidir a própria vida?


quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Sinais de que algo está errado no relacionamento virtual

Eu sempre procuro dar conselhos quando escrevo sobre relacionamentos virtuais, mas não me lembro de ter escrito algo específico. Não tem segredos, o texto é clichê:

1 - Os homens tem uma tática infalível para conquistar a mulher que eles querem: eles se mostram "sinceros" logo no início. Essa sinceridade é dividida em 2 principais pontos:
a) O rapaz já sai falando que é pobre, que é um coitado, que não pode ir contra papai e mamãe, que sofre na mão de uma sociedade conservadora. Assim a mulher fica com pena e dá mais atenção a ele até que um dia ela fica dominada pela situação e o rapaz faz o que quer, inclusive pedir dinheiro para depois desaparecer.

b) O homem assume que é casado. A mulher se impressiona ainda mais com esse tipo de sinceridade. Ele se faz de coitado novamente, diz que a mulher não é carinhosa, ele não sente nada por ela, casou forçado só para satisfazer a vontade dos pais, bla bla bla. Assim ele ganha a sua confiança, afinal ele te faz se sentir uma confidente. Você acha que ele te ama tanto que chega a contar esses mais ocultos sentimentos. Isso é só para ganhar sua confiança.

2 - Não mande dinheiro. Pode ser a maior desculpa possível, como cirurgia do pai, morte da bezerra da vizinha, etc etc. Lá na Índia eles arrumam dinheiro, pedem para os vizinhos, amigos, etc.

3 - Não fiquem bravas comigo, mas gente....cair nesse papo de intimidades e se mostrar nua na câmera já é demais. Cada casal tem um ritmo, tem casal que gosta de um assunto mais picante, mas não acredito que quando isso acontece deixe de ser virtual. Tem mulher que pensa que vai deixar o cara doidinho, com vontade de provar a realidade e largar tudo para se entregar a ela apenas para saciar o desejo dele..não não...ele mata o desejo dele no banheiro depois de conversar com você. Mas o amor, respeito e fidelidade ele está guardando para a esposa. Não aceite os pedidos dele, não mostre seu corpo. Se ele pediu para ver algo mais ou já foi logo falando de intimidades, tem coisa errada aí.

A maioria desses rapazes não tiveram contato íntimo com nenhuma mulher, eles estão perto da idade de casar, então a curiosidade aumenta, eles ficam imaginando como será a noite de núpcias com a mulher que os pais vão escolher, os hormônios estão à flor da pele, então eles vão descobrir o corpo feminino na internet com aquelas que estejam dispostas a servir de "escola" para eles. Assim quando chegar a hora H, ele vai saber o que fazer, ele vai saber como é.
Tem gente que vai achar que é loucura minha, mas é a pura verdade. Não precisa ir muito longe, lembra de uma época que aqui no Brasil as coisas antes do casamento eram um pouco mais difíceis, aí o pai pegava o filho e o levava para sair com uma moça da vida para saber como é?? Todo homem quer saber como é..seja virtual ou real. Mas o que deixa eles de fato malucos é a curiosidade. Homem dá até a lua para matar a curiosidade. A mulher esperta captou a mensagem.

Portanto, nunca façam tudo o que eles querem quando o assunto é aparecer na câmera.
Vou dar uma dica, quando comecei a conversar com meu marido na internet e ele me pediu para ligar a webcam, eu morri de medo de ele pedir alguma coisa indecente e eu me decepcionar profundamente, aí já fui logo avisando que eu só ligaria a webcam se ele não me pedisse nada imoral ou indecente. Se ele não me respeitasse eu nunca mais falaria com ele.

Deixe claro aquilo que você é e como gosta de ser tratada. Não fique com medo de perder o cara porque não fez as coisas que ele queria. Esteja disposta a mostrar o seu caráter. Pra quê ficar com uma pessoa que não te trata com o respeito que você espera? Mas para ele saber o quanto deve te respeitar, você deve impor esse respeito primeiro. Se mesmo assim o cara pisar na bola é um grande sinal para você não perder seu tempo com ele.

Esses são os assuntos mais abordados nos e-mails que eu recebo. Sempre envolvendo desculpas esfarrapadas para não se encontrarem com elas ou os assuntos picantes que deixam muitas mulheres magoadas, afinal, as mulheres que se apaixonam se sentem usadas, ficam tristes, deprimidas, decepcionadas. Então vamos prestar atenção nos detalhes, ok!

Beijos

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Meu jejum para o marido

Mesmo não vivendo na Índia eu decidi celebrar o Karwa Chauth. Esse é o nome do festival indiano que as esposas jejuam para seus maridos. Não tenho experiência nisso porque nunca celebrei na Índia. Não tinha por perto as mulheres da família para me ajudarem e nenhuma indiana ou amiga casada com indiano para celebrar comigo e explicar tudo nos mínimos detalhes. Fiz o jejum sozinha, acho que se fizesse na companhia de mais mulheres eu me distrairia mais e teria sido mais fácil. Mas só de pensar que naquele mesmo momento muitas esposas estavam fazendo o mesmo pelos seus maridos isso me deu mais força, porque as mulheres que vivem fora da Índia assim como eu também comemoram.

Então fiz assim, levantei bem cedo antes do sol nascer, bebi água e comi amêndoas. Quando o sol nasceu iniciei meu jejum. Fiquei procurando coisas para me distrair, fiquei na internet, assisti TV e passei longe da cozinha. Confesso que ainda não tenho esse controle sobre a fome então para não quebrar meu jejum antes da hora preferi ficar longe da cozinha. Eu deveria ter cozido algo antes do jejum para ter algo para comer na hora que o quebrasse, mas não fiz (vivendo e aprendendo!)

Teve hora que senti a pressão cair então não fiz nenhum esforço ou serviço de casa. Depois de um tempo eu já não sentia mais fome, porém sentia fraqueza. Eu não quebrei o jejum e resisti a tentação porque na história fala que não é de boa sorte iniciar um jejum e quebrá-lo antes da hora.

Nesse dia eu vesti um punjab suit vermelho que ganhei de presente de casamento, pulseiras vermelhas de vidro que minha sogra deu e as jóias que usei no casamento. Eu deveria ter vestido minha roupa do casamento, mas como me casei na igreja, o meu vestido é o tradicional branco então achei que ficaria meio estranho. Eu poderia vestir o punjab suit que usei no casamento civil mas como ele era muito pesado para vestir sozinha, preferi vestir o punjab suit vermelho. Passei meu sandoor em pó e coloquei um bindi.

Quando o marido chegou me ajudou nos preparativos. Ele não sabia direito os detalhes porque na verdade as mulheres que fazem tudo e o marido só participa no final. Ele disse que na Índia enquanto ele era solteiro, o Karwa Chauth era uma "festa" para os rapazes de lá porque nesse dia todas as garotas saem de casa para fazer mehendi, fazer compras, então os rapazes adoram as ruas cheias de mulheres heheh

Ele abriu o youtube..e enquanto o vídeo narrava a história do Karwa Chauth ele traduzia para mim. Depois que ele contou a história eu ouvi as músicas, deu 20:38 exato momento que a lua apareceu aqui, fomos ao terraço com minha bandeja, dupatta, vela, copo com água, um doce indiano e amêndoas.

Ofereci água para a lua, vi a lua através de uma "peneira" e depois com a mesma peneira olhei para ele. Ele então quebrou meu jejum com a água, me deu o doce e as amêndoas. Ao final eu toquei os pés dele para receber a benção. Fomos jantar fora porque nesse dia eu não cozinhei e recebi meu presente. Para mim foi muito lindo, tem uma simbologia incrível. Mesmo não participando na Índia não quis perder a oportunidade, afinal é só uma vez ao ano e acho que isso é importante para ele, afinal ele cresceu na Índia vendo as mulheres fazendo isso para seus maridos. Acho que ele também esperava que um dia sua esposa fizesse o mesmo.


Beijos!

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Meu jejum - Karwa Chauth

Karva Chauth é uma antiga tradição indiana, onde mulheres casadas fazem 1 dia de jejum (sem comer e sem beber água)  para garantir vida longa aos seus maridos. É um festival hindu um tanto polêmico entre as indianas mais feministas (é possível ler algumas manifestações de indianas na internet) porque só a mulher faz jejum e o homem não. Não é obrigatório, isso é da escolha da pessoa, tem mulheres que optam por não jejuar, mas acredito que muitas mulheres na Índia fazem o jejum porque são cobradas pela sociedade. 




Dessa vez estou jejuando. O único jejum que fiz em minha vida foi para exame de sangue hehe não me lembro se fiz isso por alguma outra razão.
O ano passado eu esqueci do karwa Chauth porque aqui no Brasil as pessoas não comemoram, como a comunidade indiana é muito pequena, a data passou despercebida. Acho que só nos lembramos um dia depois.


Dessa vez eu resolvi consultar o calendário cuidadosamente e disse ao marido que dessa vez vou jejuar. Como alguns já sabem, marido é indiano sikh mas como todo indiano ele tem uma forte influência hindu então os festivais hindus são celebrados na família dele.
Ele me disse que o sikhismo não é a favor do jejum, então me deixou à vontade para fazê-lo ou não.

Pois é, resolvi fazer mas não está fácil não, ainda mais com esse calor que está fazendo aqui em SP.

Vamos ver se aguento.

Ainda bem que é só por um dia, acho que se fosse por vários dias como em outras religiões eu ia enlouquecer, pelo menos pra mim não é fácil, estou sentindo o cheiro de qualquer comida, a comida da vizinha, o cheiro de café, estou faminta, é uma sensação totalmente diferente porque eu vejo a comida na minha frente e não posso comer.

Essa fome é diferente da fome que eu sinto normalmente quando passa da hora do almoço e mato essa fome com qualquer coisa como uma fruta, iogurte ou uma própria refeição. Mas dessa vez não posso aliviar essa fome com nada. Imagino o que passa uma pessoa que sente fome todos os dias e vê os outros comendo através das vidraças das lanchonetes e restaurantes, imagino o que essas pessoas sentem ao passar em frente a uma padaria, sentem o cheiro do pão e não podem comer.

Não é fácil, mas estou aprendendo que jejuar é bom para dar valor à comida, à vida, gratidão, companheirismo, isso me faz lembrar o sacrifício do marido em trabalhar para colocar comida dentro de casa, essa é minha forma de mostrar minha gratidão espero que um dia ele leia isso (apesar de ele nunca ler o blog) e saiba a real razão para eu celebrar o Karwa Chauth.



Karwa Chauth na Índia

As mulheres fazem jejum do nascer ao pôr-do-sol,  vestem roupas novas ou as roupas (principalmente de cor vermelha ou pink) e jóias que usaram no dia do casamento,  e só quebram o jejum quando a lua aparece e o marido oferece água e comida à esposa.

A lua desempenha um papel muito importante, pois o jejum só pode ser quebrado se ela aparecer, ou seja, nada de nuvens... as mulheres se reúnem, vão até o terraço da casa para ver a lua ... é muito comum as crianças correrem para o terraço e trazerem a notícia que a lua surgiu, a lua aparece muito grande criando um cenário encantador ...

A antiga tradição de desenhos de henna na mão forma uma parte bonita de Karwa Chauth. Há um simbolismo de boas-vindas aos deuses e deusas nos desenhos do mehendi ... os desenhos são ilimitados e cada um é único. O mehendi é importante sempre que tem um festival. Ele também é visto como um bom sinal quando uma mulher participa de um ritual com a mão decorada com belos desenhos. 


A crença é que o diya ou uma lâmpada acesa no Karwa Chauth não deve nunca ser apagada, uma vez que é um símbolo de amor eterno. Portanto, quando as mulheres vão para o terraço em busca da lua, elas protegem o pavio de qualquer brisa ...


Pulseiras vermelhas, de preferência de vidro, são um must no Karwa Chauth. Estas, misturadas com as jóias do casamento fazem os acessórios perfeitos para Karwa Chauth

A marca vermelha na divisão do cabelo é o sinal de uma mulher casada, e este ritual para algumas é uma obrigação diária, mas por ocasião do Karwa Chauth todas as mulheres casadas usam essa marca vermelha, mesmo aquelas que não usam diariamente usam no dia especial ...

Finalmente, o mangalsutra, o colar que deverá ser usado em todos os momentos, é certamente um item imprescindível a esposa hindu no Karwa Chauth. Composto por miçangas pretas e ouro, representa o amor sagrado e proteção contra mau-olhado.


Puja ki Thali, é composta por chawal, um mithai, diya e outros itens. Esse é um item essencial de Karwa Chauth. É esta thali (bandeja) que as mulheres casadas oferecem orações para a lua ...

No Punjab, presentes de uma sogra com um conjunto de guloseimas são dados como uma bênção para a nora já que ela está orando por seu filho. Sargi (ਸਰਗੀ)é uma refeição antes do amanhecer que a esposa faz para manter um jejum do amanhecer ao anoitecer. Compreende mathri, mithai, frutas secas e afins ...

Depois do Sargi vem Baya, um presente simbólico que a sogra dá para a nora para marcar a ocasião especial na vida das duas mulheres

O ponto importante do Karwa Chauth, se faz quando a lua é vista..



No Punjab, há uma canção para Karwa Chauth. Quando as mulheres vão para o terraço em grupos e passam seus thalis, elas cantam uma música com sete estrofes, seis delas referentes às coisas que não se deve fazer durante o jejum.

No dia do Karva Chauth, também é importante ouvir a história da rainha Veervati, em cuja vida o festival se baseia. 
Sua história é lida por um religioso para as mulheres casadas que jejuam e se reúnem em grupo. Diz a lenda que Veervati era a única irmã de sete irmãos amorosos. Ela passou seu primeiro Karva Chauth (quarto dia da quinzena escura, também chamada de Krishna Paksh, no mês de Kartik) como uma mulher casada na casa de seus pais. Ela começou um rigoroso jejum depois do nascer do sol, mas à noite ficou com muita fome e não podia esperar para ver a lua, porque só depois de ver a lua que seria possível quebrar o jejum. No entanto, seus irmãos não suportaram ver sua irmã em tal aflição e penduraram um espelho em uma figueira e assim parecia que a lua havia aparecido. Veervati confundiu o espelho com a lua e quebrou o jejum. No momento em que ela quebrou o jejum fora da hora, chegou a notícia de que seu marido tinha morrido. Desolada, ela rezou e rezou pelo seu marido e pedia para trazer de volta a vida dele, assim seu desejo foi realizado e vida foi concedida ...







De acordo com o calendário gregoriano, o mês corresponde a Outubro ou Novembro. O festival ocorre cerca de nove dias antes do festival de Diwali.

... a famosa cena do filme Hindi "Dilwale Dulhaniya Le Jayenge" mostrou o herói com a sua heroína em seu jejum do amor ...

Imagens do Karwa Chauth na Índia

Marido ajuda a esposa atender o celular enquanto ela faz mehendi. (IE photo: Jaipal Singh)

Recém casada mostra suas mãos depois de fazer mehendi (IE Photo: Rana Simranjit Singh)

(IE Photo: Jaipal Singh)

(IE Photo: Jaipal Singh)

(PTI)

(PTI)

Marido segura a bolsa e sandálias da esposa enquanto ela faz mehendi nas mãos e nos pés.(IE Photo: Gurmeet Singh) 

(IE Photo: Gurmeet Singh)

Beijos!!

domingo, 20 de outubro de 2013

"Ele sempre me dizendo que me ama, mas notei que esta mudado, esta distante"

Compartilhando e-mail:

Boa Tarde, Star!

Como varias amigas postaram no seu blog, eu me encontro no mesmo desespero
Infelizmente a 3 meses me envolvi com um indiano pelo face, ele chegou ate a postar uma reserva de passagem para o Brasil em outrubro, mas não veio, escreveu meu nome em seu peito declarando que me ama trirou uma foto e enviou para mim, nos dois primeiros meses ficávamos quase 8 a 10 horas conversando, no inicio eram juras de amor depois as conversas ficaram muito apimentadas, ele me adicionou como noiva dele desde agosto no seu face, hoje já não conversamos muito, pois não estou mais aceitando apimentar nossas conversas, ele sempre me dizendo que me ama, mas notei que esta mudado, esta distante, porem disse que vira ao Brasil em dezembro e continua noivo comigo em seu face, seus amigos até congratulam ele por isso.  Já pedi para ele me libertar varias vezes, me dizer a verdade que não me ama, mas ele continua dizendo que me ama, posta fotos dele nas mensagens e quando alguma mulher  entra no seu face no outro dia peço pra deleta-las e ele as deleta. Já me ofereci para enviar passagens para ele vir ao Brasil, ofereci ajuda e ele não quis. Eu estou perdida não sei mais o que pensar eu acho que ele conversa com mulheres no site Zoosk, mas tenho duvidas.


Me ajude por favor

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Depoimentos

Eu recebo um número muito grande de e-mails sobre mulheres apaixonadas por indianos. São tantos e-mails com histórias e dúvidas que eu gostaria de compartilhar aqui no blog com a devida privacidade sem mencionar os nomes das pessoas envolvidas.

Dessa forma, quem gosta de participar do blog pode ter outra visão para a solução do caso em questão e ajudar a leitora que me enviou o e-mail.

Caso a pessoa desejar me escrever e não quiser o seu e-mail publicado é só pedir, ok!

Beijos!!


segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Óleo de Jasmim

Jasmim (Jasmine vem da palavra persa Yasmin) é uma flor muito usada pelas indianas para enfeitar e perfumar os cabelos. As mulheres da Índia e Oriente Médio apreciam muito a fragrância do jasmim além de usarem em incensos, óleos, perfumes, rituais religiosos, guirlandas de casamento, chá. A flor faz parte principalmente dos enfeites das mulheres do sul da Índia.



Alguns dos países produtores de óleo essencial de jasmim são a Índia, Egito, China e Marrocos.

O óleo de Jasmim é caro devido o grande número de flores necessárias para produzirem uma pequena quantidade de óleo. Dizem que um quinto de óleo é extraído de 10 mil a 15 mil flores. Por isso ele  é diluído e assim rende mais e seu preço se torna mais acessível. As flores têm de ser recolhidas à noite porque o cheiro de jasmim é mais poderoso ao anoitecer. As flores são colocadas em panos de algodão embebidos em outros óleos por vários dias e, em seguida, são extraídos com a verdadeira essência do jasmim. 


A fragrância tem propriedades relaxantes, alivia tensões, motivos deram ao aroma o título de afrodisíaco. 

 Existem aproximadamente 200 espécies, e apenas uma é nativa da Europa. As flores são nativas de regiões tropicais e subtropicais da Ásia, África e Austrália.O centro de diversidade está no Sul e Sudeste da Ásia.




Um dos perfumes mais inspiradores da poesia indiana e árabe.