Café com Chai

Observações de uma brasileira sobre a cultura indiana.

domingo, 29 de novembro de 2015

"A Culpada é a Mulher"

Se tem uma coisa que estou cansada de ver é mulher machista. Não sou feminista e nem me ligo a isso mas desde que comecei o blog venho observando o comportamento de muitas mulheres quando o assunto envolve relacionamentos. Algo natural que não passa despercebido. Mulheres sempre são criticadas por...outras mulheres. 

 Salientamos a todo momento as dificuldades que uma mulher indiana, árabe, paquistanesa etc tem para fazer suas próprias escolhas, como escolher um marido, escolher onde ir, o que vestir, até mesmo escolher se deve falar ou não e nós brasileiras adoramos enfatizar nossos privilégios. É justamente isso que me incomoda porque na hora que uma brasileira que sai do Brasil e sofre na mão da família do marido, se divorcia ou passa por algum relacionamento traumático, as primeiras coisas que ela escuta ou lê de outras brasileiras são críticas de que ela é burra, idiota, tinha que se dar mal porque acreditou que seria feliz. Não estou falando de passar a mão na cabeça, mas por que nunca vemos algo como "levanta e sacode a poeira.." ou "bola pra frente" ou "procure essa ong ou ligue esse telefone.." qualquer coisa que não a desmoralize nem a envergonhe?

Há alguns anos, eu seguia o blog de uma australiana casada com um indiano, parecia a família mais perfeita do mundo. De repente ela escreveu que havia se divorciado (o que foi um choque para todos os leitores) e desde então ela passou a escrever o quanto foi difícil superar essa fase, assumir o problema, tinha criança envolvida e ainda precisou lidar com reprovações pois as pessoas enxergavam a situação como se ela não tivesse sido forte o suficiente e lamentavam por ser "fracassada".

Sim, muitas vezes avisamos, aconselhamos e quando a pessoa enfia o pé pelas mãos não dá para negar o inconformismo e é claro que dizemos "está vendo, eu avisei!!" ou "falta de aviso não foi!". Às vezes a gente acha graça, faz uma brincadeira, leva no espírito esportivo, tenta abrir os olhos, da uma opinião sobre o assunto, mas chegar ao extremo de chamar uma pessoa de fracassada porque o casamento não deu certo ou de burra porque está num relacionamento abusivo passa a ter caráter inquisitório. Vejo pessoas que abrem suas vidas, contam seus problemas mais íntimos na internet,  e logo abaixo vemos dezenas de comentários pejorativos, humilhantes que denigrem a moral da pessoa e 98% desses comentários são de outras mulheres. Recentemente vi casos de pessoas chamando a outra de maluca e recomendando psiquiatras. 

Me lembro de que logo quando a minha curiosidade sobre a Índia aumentou, passei a pesquisar na internet  e me deparei com um blog antigo que na época foi muito bom, quebrou paradigmas mas de repente a pessoa passou a deixar insultos destinados aos leitores do sexo feminino. Os textos terminavam com "suas burras hahahah" é claro que perdeu a credibilidade para mim e fiquei totalmente desinteressada em continuar acompanhando pois como uma pessoa inteligente, instruída chama as leitoras de burras? O que eu fazia lá então? Estava adquirindo conhecimento ou perdendo meu tempo sendo insultada? 

Porque mulheres divorciadas tiveram um casamento "fracassado" e os homens não? Uma mulher que gosta de carro é "Maria Gasolina" , a mulher que trabalha em meio a muitos homens é desleal.

Ouvimos também a mesma coisa que ouviríamos séculos atrás que a "mulher sábia" mantém o casamento e é o "pilar da casa" (A mulher sábia edifica a sua casa,mas com as próprias mãos a insensata derruba a sua. Provérbios 14:1) leia aqui também  Mulher de Deus Que Transforma Casa em Lar mas por que as pessoas não citam os deveres do marido?

Leia aqui Deveres do Marido




E quanto ao homem? Será que é por isso que até hoje colocamos toda a responsabilidade na mulher? Ela que deve ser inteligente o suficiente e não cair em armadilhas do coração, ela deve ser sábia o suficiente para manter um relacionamento a vida inteira. Ela que não foi uma boa dona de casa e esposa. Ela que foi burra por acreditar nas palavras doces de um homem. Ela que foi tola porque teve anseio por uma vida melhor.

Não estou justificando, mas façam uma autoanálise, será que mudamos? Será que nós mulheres fazemos nossa parte? Realmente conseguimos nosso espaço e temos voz? Além de vóz, nos sabemos escutar a outra sem julgar? Um homem divorciado é chamado de fracassado da mesma forma que a mulher é chamada?  O erro cometido pela mulher é visto da mesma forma que o erro cometido pelo homem? Por que a mulher desiludida vira alvo de piada de outras mulheres por que achou que com ela seria diferente?  Por que a mulher é sempre julgada e criticada por outras mulheres nas redes sociais?

Vemos pouquíssimas mulheres alertando na internet com seriedade sobre os riscos de se aventurar com outras culturas. É um trabalho fantástico, em contrapartida, a massa que acompanha deixa dezenas de comentários humilhando até mesmo quem tenta alertar.

Cobram a responsabilidade das mulheres e deixam os homens em sua zona de conforto. Será que na nossa sociedade o machismo vem somente dos homens? Dessas mulheres que insultam as outras não vejo nenhuma informação útil.

Vamos criticar menos e ajudar mais. 


Abraços 





sábado, 21 de novembro de 2015

Como foi nosso Diwali no Brasil

Olá pessoal, tudo bem?

Reclamei há alguns dias atrás que não existe Diwali no Brasil, mas eu encontrei um lugar! Vi na parede de um restaurante vegetariano essa propaganda, na hora mostrei  para o esposo:



Ele não se animou muito porque para ele o Diwali é festa, música punjabi, dança e fogos de artifício e ele sabia que a comunidade hindu aqui no Brasil é mais "zen" , aquela coisa de espiritualidade, tudo muito calmo para os moldes de um indiano punjabi. Mesmo assim ele foi, disse que ia por mim afinal eu tinha curiosidade mas já deixou claro que não fazia a mínima questão de ir.

Quando chegou a noite de sábado, vesti meu conjunto punjabi que costumo usar em festas, fiquei com receio de estar exagerada cheia de brilho, mas chegando lá me senti super a vontade, vi muitas mulheres vestindo sari e a ideia que achei o máximo foi o "Armário da Lakhsmi" onde mulheres que gostariam de vestir um sari poderiam alugar um. Além disso teve maquiagem indiana e vi uma mulher fazendo henna nas mãos. 

Claro que não teve fogos de artifício porque o lugar não comportava isso, foi na Associação Beneficente Naniwa Kai mas improvisaram luzinhas. O lugar foi bom, mas acho que faltou um ar condicionado ou pelo número de pessoas poderia ser um salão mais amplo porque essa época do ano costuma ser bem quente.

 No início teve um coquetel com sucos, samosas e chutney. 
 Às 20 horas o ritual foi iniciado com mantras, uma peça teatral explicando o Diwali, dança e pooja, que é a oração para a deusa e mantras para Ganesha. Uma indiana realizou a cerimônia e explicou todos todas as etapas. Borrifaram água de rosas por todo o salão, nos deram luzes que simbolizavam as velas do Diwali e fizemos a oração.

Depois nos deram pétalas de flores para oferecer à deusa da prosperidade.

Ao final o jantar foi servido, exatamente como servido nos templos mas nesse caso deram a opção de comer à moda indiana que é sentado no chão, sem talheres e a comida é servida na folha de bananeira ou à moda ocidental que é na mesa com garfo e faca. Meu esposo não quis comer no chão e eu também preferi jantar na mesa porque o salão estava muito cheio então seria mais cômodo. Não achei barato para participar mas me surpreendi com o jantar, foi farto, as pessoas passavam de mesa em mesa nos servindo com boa vontade e um sorriso. Nada foi limitado, as pessoas podiam repetir quantas vezes quisessem que eles serviam de mesa em mesa e sempre muito bem servido, arroz com passas e nozes, grão-de-bico, paneer, roti (pão indiano), raita(salada de iogurte), sucos,  de sobremesa teve arroz doce indiano e por último o chai.  

Valeu a pena, foi muito agradável, foi muito bonito, o ritual foi levado a sério, as pessoas simpáticas e o esposo que no início não estava a fim de ir acabou gostando de tudo! Ele comeu paneer até não aguentar mais! A comida estava tão boa que esqueci de tirar foto.

Por isso eu quis dividir essa experiência com vocês porque coisa boa a gente também precisa contar mas já adianto que é para quem gosta da cultura indiana e hinduísmo, mantras, rituais hindus, porque costuma demorar um pouco antes de o jantar ser servido e o cardápio é lacto-vegetariano, não há bebida alcoólica e o principal da festa é o ritual para a deusa. 

Se você se identifica vale a pena a experiência. Em 2016 o Diwali no calendário hindu será 30 de outubro!

Beijos!  

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Minhas Gurus (de beleza) Indianas Favoritas

Eu acompanho bastante gurus indianas, adoro as dicas de makes, roupas e acessórios.




Shruti Arjun Anand

SuperPrincessjo

KeepingUpWithMona


 Farah Dhukai - Filha de africanos, mas se identifica muito com a cultura indiana então a coloquei no rol de blogueiras indianas.


Abraços!!!

"Na Índia só existe sari!"

Mentira. Essa é a frase que mais ouço e leio: na Índia só existe sari, não existem roupas ocidentais como aqui no Brasil. 

 Engana-se quem pensa que indiano não gosta de marcas internacionais e não sabe o que se passa no mundo da moda. Outro dia li num blog uma pessoa que ouviu dizer que na Índia não tem como lavar roupas e que elas são "descartáveis". Bom..tudo vai depender do seu poder aquisitivo! 

Esqueça o que você vê na TV de pessoas oprimidas e atrasadas arrastando lenços amarrados ao corpo. Existem também as pessoas que se divertem, jovens que levam uma vida normal, e o público que pode ostentar. Existem lojas boas de maquiagens e roupas para todos os gostos e bolsos. Quando eu falo que tenho blusa de alcinha, vestidinho da Índia ou quando explico que lá também existem marcas internacionais muita gente não acredita.  
 Tire as conclusões com seus próprios olhos:











Abraços!!



terça-feira, 10 de novembro de 2015

Meus canais preferidos de comida indiana

Sabe como eu aprendi a fazer comida indiana?
Youtube!!

Sim, no começo foi difícil, eu não entendia muito o nome dos principais ingredientes mas depois que fui me familiarizando tudo ficou mais simples. Aqui em casa temos os nossos chefes preferidos:

Chefharpalsingh Receitas maravilhosas 

Acho ela muito meiga e as receitas tem legendas em inglês para ajudar


VanChef: Gosto dele porque enquanto passa a receita ele realmente ensina e dá várias dicas. Além de passar a receita ele dá uma pequena aula.


Manjula's Kitchen - Comidas com jeito de vó, mas se não me engano as receitas da Manjula nunca vão cebola e alho 


Tarla Dalal

Indiana que adora cozinhar para a família mas não abre mão de receitas práticas

Abraços!!

Happy Diwali/ Deepavali!

Olá pessoal, oficialmente o Diwali 2015 será amanhã dia 11 de novembro!

Para aqueles que celebram o Diwali em seus corações desejo tudo de bom, sucesso, luz e prosperidade!!

Agora vou pra faxina porque a deusa Lakshmi visita a casa das pessoas nesse dia então é bom que tudo esteja em ordem porque de acordo com a mitologia hindu ela só visita as casas limpas. Pra você ter uma ideia de como a faxina é levada a sério algumas pessoas pintam até as casas.


http://www.boldsky.com/home-n-garden/improvement/2012/ease-diwali-house-cleaning-tips-031438.html

..http://www.diwali2015.org.in/2015/08/diwali-house-cleaning-home-finishing.html

http://www.dnaindia.com/blogs/post-cleaning-your-house-for-diwali-2024840






 Abraços!!!

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Não tem Festival das Luzes no Brasil


A festa das luzes está próxima, a Índia está se preparando para celebrar o Diwali , nas redes sociais só se fala nisso, indianas que moram nos States e outros países colocam fotos das roupas, maquiagens, a cidade toda iluminada. As gringas casadas com indianos também só falam nisso, vestem suas melhores roupas, comem, dançam... e eu aqui procurando algum lugar em São Paulo que comemore o Diwali.

Eu gostaria muito de poder celebrar o Diwali aqui na minha cidade, mas ninguém fala sobre isso, ninguém sabe nada sobre isso. Um lugar ou outro até tenta celebrar o Diwali mas ainda assim é difícil encontrar.

Não poder celebrar o Diwali é como passar o Natal e Ano Novo em branco.

Poxa até o Obama festeja o Diwali e declara feriado!






Veja como o Diwali é celebrado fora da Índia:


Londres

Sydney Opera House celebra o Diwali








Abraços!!

Curry ocidental é uma coisa, curry Indiano é outra!

Você sabia que o curry que usamos aqui no Brasil não é o mesmo curry para os indianos?

Antes eu achava que Curry era aquele tempero amarelo com um cheiro e sabor característico, muito comum nos pratos chineses servidos aqui no Brasil. Mas para os indianos, o curry é outra coisa e significa molho. Ou seja, tudo o que tem molho leva o nome de curry.

Me lembro que no início eu demorei pra compreender quando meu esposo falava "coloque mais curry" e eu olhava e dizia "que curry? Não usei nenhum curry na comida" depois que caiu a ficha e perguntei "ahh você quer dizer MOLHO?" Ele  "sim, curry é molho! ". Aí que passei a entender as receitas no youtube quando eles dizem "curry". 

Aqui no Brasil usamos o curry em pratos especiais para dar aquele tom amarelo no frango ou arroz e um sabor forte. O curry ocidental é uma mistura de temperos mas é diferente do curry indiano.
Curry no Brasil


Na culinária indiana a cor do curry não importa, pois para eles curry é um molho feito na maioria das vezes com tomate, cebola, pimenta, gengibre, especiarias como cominho, coentro, e vários tipos de masalas  por isso não tem sempre o mesmo gosto do tempero que conhecemos no Brasil, ou seja, não existe  receita e sabor universal. O sabor varia de cada casa. Principalmente no Punjab as refeições são servidas com molho. 

Curry Indiano: Tomate é refogado com temperos até que vire uma pasta, e depois acrescentam água

Isso é curry indiano




O curry indiano pode ter várias cores pois depende do tempero usado nele
Tem pessoas que dizem pra mim que odeiam curry e acham que a comida indiana é feita com aquele tempero amarelo que facilmente encontramos nos mercados, mas posso afirmar que são coisas diferentes porque no Brasil curry é mix de temperos em pó e na Índia curry significa molho.

Outra coisa que pouquíssima gente sabe é que existe folhas de curry ou Curry Pata como é o nome em hindi. Quando eu pergunto isso nas lojas as pessoas me olham estranho e dizem que não existe, mas posso afirmar que existe sim. São folhas usadas na culinária indiana e dão um toque especial, essas folhas recebem o nome de Curry Leaves e com muita sorte encontrei uma casa de especiarias que vende folhas de curry!!




Então é isso, agora você já sabe quando algum indiano te disser que gosta de comida com curry, ele está te dizendo que gosta de comida com molho!

Abraços!


Como os Sikhs escolhem o nome?

Se você é um recém-chegado ao sikhismo, ou quer saber como escolher um nome Sikh, aqui estão algumas coisas que ajudarão você a escolher um nome do bebê, de casamento, ou um nome espiritual para si mesmo.

Um nome Sikh vem da escritura Sikh do Guru Granth Sahib Ji. Diferente da nossa forma de escolher o nome de um bebê, o nome sikh é escolhido com cerimônias e orações. 
Nomes sikhs podem ser utilizados tanto para meninos e meninas e todos eles tem um profundo significado.

Diferente da nossa cultura onde os pais já decidem o nome da criança antes de seu nascimento, o nome do bebê sikh normalmente é escolhido pelos pais no momento do nascimento, ou logo após, quando a criança é apresentada ao Guru Granth Sahib. Logo que a criança nasce, algumas palavras são recitadas no seu ouvido.
http://www.4to40.com/culture/index.asp?p=Naam_Karan_-_Sikh_ceremony_of_naming_a_child

Como ocorria no passado até hoje nos tempos modernos, os sogros podem dar à noiva um novo nome no momento do casamento. A noiva ou o noivo também pode ter o sobrenome de seu cônjuge. Além disso, o noivo adiciona sobrenome Singh. A mulher adiciona o sobrenome  Kaur.

As pessoas interessadas em se converter ao Sikhismo podem escolher um nome espiritual Sikh a qualquer momento.
Um iniciado pode esperar até escolher um nome espiritual no momento do Amrit (batizado sikh), durante a cerimônia de iniciação Sikh.

A cerimônia para nomear a criança ocorre no templo chamado Gurdwara assim que o bebê e a mãe estiverem clinicamente e fisicamente aptos a participarem. Não há limite de tempo para este momento e a família não deve se sentir pressionada quanto ao momento. As únicas questões que precisam ser levadas em conta é o bem-estar da mãe e da criança. A cerimônia normalmente envolve somente os principais membros da família.

Assim que a família está pronta para realizar esta cerimônia, o pai ou outro membro sênior da família deve fazer contato com o templo local e fazer os arranjos necessários.

No dia desta ocasião feliz, a família, todos os convidados, a mãe, e o bebê assistem a reunião kirtan semanal normal.  Várias orações de agradecimento, de alegria e de apoio devem ser recitadas no templo. 

Em seguida, vem a parte principal da cerimônia que é a nomeação do bebê. O Ardaas (oração final de agradecimentos e pedidos) é feito com um pedido para a criança ter uma boa saúde; um pedido é feito dedicado aos país para a criança iluminar o nome de sua família.

Quando o livro sagrado é aberto, a primeira letra da primeira palavra do Hukam é a letra a ser usada para dar o nome à criança. Assim, por exemplo, se o verso (Hukam) é:

http://www.4to40.com/culture/index.asp?p=Naam_Karan_-_Sikh_ceremony_of_naming_a_child

 A primeira palavra do verso é "Sagal" então o nome da criança deve começar com a primeira letra, que é "S".

Depois de ter escolhido o nome do bebê, a palavra "Kaur" é adicionada aos nomes de meninas e o nome  "Singh" é adicionado aos nomes dos meninos. Então o nome da criança é pronunciado e a saudação é feita  " Jo bole so nay-hal – Sat Siri Akal."

Isso completa a cerimônia. Os pais devem, em seguida, começar a chamar o filho com o nome pronunciado  e deve ser então registado junto das autoridades legais.


 Deixo aqui um vídeo muito bonito de um casal que filmou o momento da escolha do nome da filha:



Abraços!

Referências  http://www.4to40.com/culture/index.asp?p=Naam_Karan_-_Sikh_ceremony_of_naming_a_child

http://sikhism.about.com/od/customs/a/Sikh_Names.htm

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Filme Completo : Do Outro Lado da Linha


Sinopse: Priya (Shriya Saran) é uma atendente de telemarketing indiana que atende clientes americanos  e usa o nome de Jennifer. Por telefone, ela acaba criando um forte vínculo com Granger Woodruff (Jesse Metcalfe), um homem com problemas em seu cartão de crédito. Ela Combina de Encontrar ele pessoalmente e, escondida de seus pais conservadores, viaja para os Estados Unidos. Além de descobrir a verdade sobre a jovem, Granger precisa enfrentar a família conservadora dela, que espera que Priya tenha casamento arranjado com um homem indiano.

Filme completo dublado:


Abraços!

Cabelos Volumosos estão na Moda

A minha maior inspiração para aposentar a chapinha é o penteado preferido das indianas: muito volume com a pontas onduladas. 
Veja como se inspirar em cabelos volumosos se você quiser dar férias para a sua chapinha.


Para as mulheres indianas e árabes quanto mais cabelo melhor, tanto é verdade que muitas que cobrem o cabelo com hijab (véu) gostam de usar no coque um pom-pom também conhecido por Flower Clip  por baixo do véu e isso dá a impressão de que o cabelo é bem comprido e volumoso e eu vou ser sincera com vocês, eu achava que era cabelo mesmo um cabelo enorme e volumoso!

Se você procura por inspirações as indianas são top no assunto:























Abraços!!

terça-feira, 3 de novembro de 2015

A primeira impressão é a que fica?

Ontem uns amigos convidaram meu esposo e eu para tomar um café e bater papo numa padaria aqui perto de casa. Chegando lá nos deparamos com mais pessoas na mesa que nos foram apresentadas.

Conversa vai, conversa vem, tudo estava normal, e sempre aquela curiosidade de saber um pouco mais sobre a Índia e como nos conhecemos até que veio o primeiro comentário, daqueles que você não sabe se a pessoa quer ser engraçada ou está tirando uma com a sua cara.
Um homem maduro lá pelos seus 40 e poucos anos, casado, o tipo de pessoa que você espera o mínimo de bom senso, vira para meu esposo e pergunta " e você deu uma vaca para ela ?". Nossos amigos que já tiveram a oportunidade de viajar para a Índia, tem um respeito muito grande pela cultura e não fazem parte desse rol de piadistas, ficaram com cara de paisagem sem entender "a piada" estranhando a pergunta, meu esposo entendeu menos ainda até que nosso amigo perguntou ao homem "como assim, você quer saber se ele deu uma vaca para ela?"  e o homem respondeu dando risada "ué, não tem que dar uma vaca quando casa?"


Depois disso a pessoa falou do dote dando risada (como se no Brasil isso nunca tivesse existido). A nossa reação foi a mais natural possível  mas confesso que não gostei, não me senti confortável. Mesmo assim pensei em dar uma segunda chance e não julgar a pessoa por isso, talvez ele não imaginasse a má impressão que essa "brincadeira" poderia causar mas não posso mentir que isso me incomodou. Pode ser que no futuro isso seja irrelevante, mas com pessoas assim eu acabo ficando na defensiva.

Sei que na visão de alguns estou pegando pesado e me importando por tão pouco, mas por que  pessoas que nem te conhecem insistem em fazer piadas, dar risada e desrespeitar uma crença, cultura ou religião? 

Eu acho deselegante fazer piadas sobre aqueles que acabamos de conhecer afinal não sabemos a impressão que isso pode causar. 

Tem gente que perde a oportunidade de ficar quieto.


Abraços!