Café com Chai

Observações de uma brasileira sobre a cultura indiana.

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Por que sou contra o movimento de Apropriação Cultural no Brasil

Como casada com indiano sikh, quero deixar meu recado a respeito do movimento no Brasil que aborda o uso do turbante sempre que falam sobre "apropriação cultural". 

A visão que outros povos tem do turbante não é a mesma que o movimento impõe no Brasil. Justamente por esse motivo, o movimento brasileiro "esvazia" o significado dele nas outras culturas como se somente os negros tivessem o direito e usá-lo no Brasil. Sou a favor do respeito, concordo que o turbante não é moda, mas não sou a favor de regras fundamentadas na cor da pele. Cultura é uma coisa, cor da pele é outra.

 Como o Café com Chai é pioneiro sobre  cultura Punjabi em português,  me sinto na liberdade de me expressar e mostrar como esse movimento  está tomando o caminho errado. 

O que não falta na internet são os vídeos sobre apropriação cultural e o maior exemplo de todos é o uso do turbante como símbolo de resistência Negra hostilizando o uso de tal elemento pelas pessoas brancas.
Os argumentos que os ativistas usam são sempre os  mesmos: "negro é isso e branco é aquilo".

"Apropriação cultural ocorre quando o opressor pega elementos de um povo oprimido e muda seu significado. Exemplo disso é o uso do turbante como item fashion pelos brancos" .

O turbante não é exclusividade de um povo

Já u 
Turbante indiano - Sikh
Dread e turbante não são elementos exclusivos de pessoas negras. E vocês que defendem a "apropriação cultural",  querem colocar  na cabeça das pessoas que é somente um símbolo de resistência negra, quando o significado não é o mesmo para todas as culturas e nem no Brasil.

Deixo claro que respeito a luta e o significado que o turbante tem para a cultura negra no Brasil, mas não é certo  generalizar o significado de um elemento que não é exclusivo da tonalidade da cor da pele, afinal, quantos de nós brasileiros somos descendentes de negros mesmo não aparentando? Vejo uma enorme confusão, pois cultura é uma coisa e cor da pele é outra. Não é a tonalidade da melanina que dirá a qual cultura a pessoa pertence. Todos que nascem dentro de uma cultura, tem direito de segui-la independentemente do tom da pele e nós brasileiros, temos cultura e  hábitos totalmente diferentes dos africanos e asiáticos.  Por isso não justifica a segregação pelo uso do turbante baseada no tom da pele.

Até a forma de amarrar o turbante muda de uma cultura para a outra então por que tentam dominar algo que não é exclusivo?

Estão  se apropriando de um símbolo de outras culturas fazendo as pessoas no Brasil acreditarem que o turbante só pertence ao movimento negro. Isso já está virando extremismo e são esses que ditam regras que mais cometem a chamada "apropriação" pois querem instituir a força e opressão no lugar da liberdade e diversidade com o "eu posso e você não".

Falam tanto de "apropriação cultural", mas se não mudarem a postura, os apropriadores serão vocês mesmos). Não  preciso "avisar", xingar ou humilhar uma pessoa na rua como vejo "emponderadas" fazendo e tampouco gravar vídeos com os nervos à flor da pele.

Vocês, do "movimento" no Brasil, estão generalizando o significado de turbante para símbolo de "resistência negra " quando  um turbante não significa apena isso,  então o que o movimento no Brasil  também está cometendo "apropriação cultural" pois outros povos também são minoria e também sofrem perseguições ( exemplo disso são os refugiados no Brasil, e povos de culturas que também usam turbantes).

Mas os ativistas impõem somente o que o turbante significa para o "movimento negro", o que não é certo.

Minorias no Brasil são ignoradas pelo "movimento"

O turbante indiano Sikh representa a força para proteger as minorias e os mais fracos. E que bela contradição temos no Brasil quando vejo pessoas ligadas ao movimento ignorarem as minorias e os mais fracos!

Vou explicar por quê: Uma vez considerei o uso do turbante pelos indianos e a resposta que me deram é que a cultura indiana não é conhecida no Brasil, não vivemos a cultura indiana por isso eles não significam nada nessa luta. Que vergonha!!

Gostam de falar de preconceito? Vejamos o que um indiano de turbante passa aqui no Brasil. Veja o que realmente é minoria no nosso país. E pensar que já ouvi dizerem que não devemos nos preocupar com as culturas minoritárias no Brasil! Onde está a empatia de que falam tanto? Então só porque no Brasil a cultura negra é maior do que a indiana devemos oprimi-los?

Quando meu marido chegou no aeroporto do Brasil tirou o turbante. Ano passado um amigo dele apanhou (de pessoas do alto escalão) porque usava turbante sendo que nem português falava para se defender. Assim  que esse amigo chegou em São Paulo, tirou o turbante, cortou o cabelo e a barba para não ser mais agredido.

Então, entenda de uma vez por todas que isso é ser minoria, isso é viver o Preconceito. Isso sim é ser oprimido, é viver onde existe uma comunidade pequena e não ter quem te represente. Mais uma vez, onde está a empatia com as minorias? Quando passamos por cima dos mais fracos não nos tornamos os opressores?  

Não  importa quantas pessoas são seguidoras da cultura indiana no Brasil, não importa se a cultura indiana é conhecida no nosso país ou não.

Meu marido não usa turbante no Brasil para não sofrer perseguições religiosas, assim como a maioria dos indianos no Brasil então  sem essa conversa de que quem usa turbante é visto como "macumbeiro". Vocês  não sabem o que é ser chamado de "terrorista" por causa de um turbante e não ter nenhuma comunidade disposta a te defender porque o argumento que eles usam é "mas no Brasil não temos a cultura indiana".

 As pessoas no Brasil não sabem o que é um turbante Sikh e confundem com terrorista.  Veja como existem  pessoas e culturas que  sofrem muito pelo uso do turbante e nem por isso geram ódio na internet como os "ativistas".  

O movimento no Brasil não faz ações humanitárias e não age pela igualdade

Sempre vejo o movimento no Brasil realizando uma disputa de egos: "eu posso e você não".

Querem  mudar  a forma como o turbante é visto? Aprendi muito com os indianos coloque  um turbante na cabeça e vá fazer caridade, pois só a caridade engrandece. Não adianta colocar um turbante e fazer vídeo toda nervosinha ou nervosinho e jogar no youtube.

Junte a comunidade, esqueça a cor da pele e vá às ruas fazer o bem como esses indianos, que usam o turbante há muito mais tempo do que vocês brasileiros que usam turbante fazem!! Aliás, eles usam o turbante de geração em geração desde crianças! E vocês do movimento no Brasil só descobriram o gosto pelo turbante agora.
De resistência, o mundo está cheio.  














O "movimento" não trabalha pela inclusão social

 Mostre que quem usa turbante é do bem. Deixe o seu amigo ou vizinho sentir como é usar um turbante, e ver que não tem nada de errado nisso. As pessoas precisam de informação. A comunidade indiana Sikh faz em vários países o Sikh Turban Day onde convidam a população para conhecer o turbante e sentir a experiência de usar um.
Por que não vemos algo parecido feito pelos ativistas do Brasil ?







Contradições entre o que o "movimento" apoia e o significado do turbante 
nas outras culturas

O que muitos ativistas brasileiros usam na cabeça não passa de um pedaço de pano porque um turbante de verdade não  representa o ódio nem o rancor. Turbante não representa o egoísmo.



Ele  representa união, fé, respeito, e o principal: HUMILDADE,  justamente o que a maioria da internet não  mostra.
Antes de ser "rainha" ou ter sua "coroa", seja humilde pois diante de Deus somos todos iguais. Aí sim o que você usa na cabeça será chamado de turbante.
A luta que o turbante representa é uma luta justa para proteger os mais fracos. Não é uma briga de ego como vejo na internet.

O turbante indiano fora do Brasil 

Curioso que muitos países que também não tiveram influência indiana ou árabe em sua cultura ( Nova Zelândia, Canadá, Estados Unidos) pensam diferente de nós. 

Os indianos conquistaram o uso do turbante em profissões de destaque dos órgãos do governo americano, canadense, britânico etc. trazendo as pessoas para perto deles, mostrando que um turbante significa paz e amizade.  
A polícia de New York tem policiais de turbante. O exército canadense e americano também. E essa conquista não foi através de vídeos com ódio e segregação como vocês do movimento fazem. Eles foram inteligentes!




Policial indiano de New York com turbante







Eu gostaria que no Brasil  as pessoas pudessem sair com seus turbantes nas ruas mas o que eu vejo é o contrário, vocês que inventaram essa coisa de apropriação cultural. 
Vocês, do movimento,  só pensam no próprio umbigo e na cor da pele mas não lutam pela conscientização da sociedade, só geram ódio e divisões de cor e raça.

Sou a favor sim de lenços inspirados em turbantes e da propagação dele pois somente a maioria vence. Enquanto  o uso de tal elemento for minoria, ele continuará sendo mau visto pela nossa sociedade.

Não é certo dizer que o turbante é símbolo de resistência negra, quando não é esse o motivo pelo qual outras pessoas usam e não deve satisfações a ninguém sobre os motivos.

Vocês, do movimento, deveriam ser os primeiros a respeitar os outros significados do turbante, tranças e afins e deixar as pessoas livres para usarem o que quiser! O problema não é apropriação cultural e sim o racismo. Devemos  combater o racismo e não "elementos" de cultura pois o mundo não gira somente em torno de UMA cultura, não somente da SUA, não somente da MINHA.

As redes sociais estão saturadas de vídeos cheios de ódio e  preconceito.  Quem está  mudando o significado do turbante é o próprio "movimento".


 O que é  um símbolo de união e humildade está sendo usado  por pessoas  orgulhosas, arrogantes, presunçosas, cheias de ódio e rancor na internet tentando mostrar a supremacia. 

Conclusão: O movimento não faz distinção entre ego e causa
A evolução vem  de dentro. E antes de querer mudar o mundo, comece por você  mesmo. O movimento a favor do turbante no Brasil ainda tem muito o que aprender, crescer e evoluir e no sentido literal da palavra, tirar o ego da cabeça.


Encontrei um vídeo sensato:



Abraços

8 comentários:

  1. Exatamente, antes de querer mudar o mundo, mude primeiro você!

    As pessoas hoje em dia pensam apenas no que as favorece...

    ResponderExcluir
  2. Sou sua seguidora no Instagram e você está de parabéns. Texto maravilhoso e inspirador!

    ResponderExcluir
  3. Bom dia! descobri seu blog hoje, pois um amigo meu da Índia me mandou uma mensagem linda de Happy Lohri. Fui pesquisar extamente o que era e achei a resposta em seu blog.
    Concordo plenamente com vc quando fala de "apropriação cultural" e o racismo e preconceito imbutidos nessa apropriação. O Brasil aparenta ser um país de pessoas acolhedoras, mente aberta, democrático, mas infelizmente tem mostrado outra coisa! É lamentável que a visão mesquinha e preconceituosa de alguns tentem sufocar a beleza e a harmonia de outras culturas. Todos merecemos amor, atenção e respeito a nossas diferentes culturas e crenças.
    Direito de ir e vir sem sermos vítimas da ignorância e preconceitos exacerbados que levam, inevitavelmente, a violência.
    Adorei o que escreveu. Parabéns!

    ResponderExcluir
  4. Eu já estou cansada das demonstrações de egoísmo,futilidade,hipocrisia e preconceito desse país,esse é um dos lugares com maior mistura de etnias e ainda sim o mais cego e surdo à essa questão,é muito mimimi e pouco respeito,é muita opinião não pedida e pouca busca por informações ,que bom que ainda existem pessoas como você,que nos trás conteúdos informativos e explicativos,que a nossa busca pelo saber nunca termine!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  5. Esse foi provavelmente o texto mais lúcido sobre "apropriação cultural" (e põe aspas nisso) que já li. Muito obrigada por expressar tudo o que uma multidão sente e não pode falar por medo de ser taxado de preconceituoso etc. Gostei principalmente da parte de normalizar o uso do turbante e de outros elementos icônicos que ainda são vistos pela maioria como coisas ruins, nunca tinha pensado nisso exatamente.

    ResponderExcluir
  6. Ótimas palavras! Só li verdades escritas! Infelizmente no Brasil os movimentos q mais falam sobre inclusão são os que segregam sumariamente, movimentos que pregam a diversidade são os primeiros a ignorar e odiar os diversos! O brasileiro deve crescer muito ainda, espiritualmente e mentalmente, precisa perder seu ego inchado, seu orgulho em ser ignorante, em ter prazer em ser contra as leis... Em suma devemos ser mais integros, abertos e tolerantes e a cada dia que passa, essas são coisas que eu vejo menos!!

    ResponderExcluir
  7. Já li sobre o sikh acho uma cultura muito bonita, mas quando falam não de sikh mas de mulcumanos, e diretamente da cultura islamica, me assusta, quando olho para europa, e olho para os paises do oriente medio, principalmente os de maioria mulcumana, que odeiam qualquer cultura, que venha de fora, o turbante ainda vai, mas o veu islamico não, quando a gente olha para os paises mulcumanos, primeiro não podemos falar ou panfletar sobre jesus la, mas querem panfletar e falar sobre o profeta mohammad aqui e ate panfletam no centro, amo a cultura indiana, acho muito bonita, mas quando vejo que o numero de mulcumanos cresce la me assusta pois a india sofrera graves consequencias, com os mulcumanos, como os europeus e ate chineses ja estao sofrendo!

    ResponderExcluir
  8. o veu islamico não é aceitavel, mas o veu indiano ainda vai, é bonito e rico em cultura, mas quando vejo pessoas com veu islamicos, a gente ja sabem o que querem explodir coisas, eles(mulcumanos) amam isso!

    o sikh uma mistura de hindu com isla ainda vai, quando mistura! A UMA INTERAÇÃO o problema é que quando não querem fazer interração, ai fode tudo!

    ResponderExcluir