Café com Chai

Observações de uma brasileira sobre a cultura indiana.

quarta-feira, 9 de março de 2016

O que a barba diz sobre a personalidade?

Muito interessante essa pesquisa de um estudo australiano feito com homens americanos e indianos, que disse ter encontrado uma ligação entre barba e misoginia, e resolvi colocar para vocês:

"Um novo estudo australiano disse ter encontrado uma ligação entre barba e misoginia.
A correlação não implica necessariamente causação, ou seja, não quer dizer que ter uma barba faz necessariamente uma pessoa ser sexista. De qualquer forma, apesar das conclusões possíveis, os pesquisadores disseram ter encontrado algum tipo de link entre as duas coisas.

O estudo

O estudo foi conduzido por cientistas da Escola de Psicologia da Universidade de Queensland e da Escola de Ciência Psicológica da Universidade de Tecnologia de Swinburne, ambas na Austrália. Um artigo com os resultados foi publicado na revista Archives of Sexual Behaviour.
532 homens americanos e indianos responderam um questionário online sobre o quanto eles concordavam com certas declarações sobre mulheres, juntamente com seu status atual de pelo facial.
Depois de levar em conta fatores como nacionalidade, idade, escolaridade, status de relacionamento e orientação sexual, os pesquisadores afirmaram que os homens com mais pelos faciais eram mais propensos a ter crenças e atitudes sexistas misóginas.
Por exemplo, eles descobriram que 86% dos homens indianos barbudos e 65% dos homens americanos barbudos têm “atitudes sexistas hostis”, um número significativamente maior do que os seus colegas sem barba.

O sexismo

Homens que tiveram atitudes sexistas eram mais propensos a concordar com declarações como “Uma vez que uma mulher faz um homem se comprometer com ela, geralmente tenta colocá-lo em uma coleira apertada” e “Mulheres procuram ganhar poder obtendo controle sobre os homens”.
O estudo também analisou o que chamou de “sexismo benevolente”. Essa atitude foi definida como os homens assumindo um papel “protetor” e paternalista em relação a mulheres.
“Atitudes sexistas benevolentes” incluíam concordar com afirmações como “As mulheres devem ser cuidadas e protegidas por homens”, bem como comportamentos como abrir portas para as mulheres e insistir em pagar para um jantar. Se você está pensando “mas isso pode ser uma gentileza!”, lembre-se que os pesquisadores procuraram medir um comportamento muito diferente, que revela a mentalidade de que mulheres não podem nunca pagar pelo jantar ou se cuidar sozinhas.

E agora? O que a barba tem a ver com todo o resto?

O estudo propôs que a ligação entre barba e misoginia pode ser explicada da seguinte forma: os homens que já possuem crenças sexistas gostam de crescer a barba porque isso afirma sua masculinidade e reforça os ideais de dominação.
No entanto, os pesquisadores também sugeriram que crescer a barba pode levar os homens a adotar comportamentos de acordo com noções culturais percebidas de masculinidade.
Ou pode ser apenas uma coincidência que esses homens barbudos eram sexistas. Afinal, barba está na moda novamente, e o preconceito de gênero ainda é uma coisa forte na sociedade – assim, pode ser que a barba tenha um papel menor do que pensado. Mas essa é só minha opinião. O fato é que é difícil explicar a correlação encontrada nessa pesquisa.
Por isso, vale a pena lembrar que julgar alguém baseado em seu sexo é errado. MUITO ERRADO. Mas também é errado julgar o caráter de alguém pelo comprimento de sua barba, então não saia fazendo isso por aí, ok? "

3 comentários:

  1. Acredito q esse tipo de pesquisa, esta ligado ao uso livre ds barba, nao nos casos ligados a religiao, pois o fato da pessoa respeitar e cumprir a doutrina ou vestimenta q se é estabelecida, nao necessariamente pode-se julgar diretamente a sua conduta comportamental, se é sexista ou nao, eu acho ne rsrs, beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ótima observação e concordo 100% com você. No islamismo, sikhismo e judaísmo a barba está ligada a religião. No sihismo, por exemplo,o homem deixa a barba crescer porque eles dizem que devemos respeitar nosso corpo, afinal, Deus fez assim então não cabe ao homem mudar nada. Assim como os cabelos, tanto para o homem quanto para a mulher, não devem ser cortados.

      Fico imaginando se tivessem pesquisado homens sikhs, que deixam a barba crescer e o cabelo também, por isso acredito que essa teoria de que homem barbudo é machista, cai por terra.

      Excluir
  2. Essas pesquisas pegam características isoladas e as ligam a comportamentos, sem analisar todo o contexto sociocultural no qual tais indivíduos estão inseridos... Ter ou não barba é algo pessoal, mas acima de tudo cultural. Uma barba pode ter inúmeros significados para cada indivíduo, dentro de sua cultura, religião, formação e tudo o mais. Sentir atração por barba, igualmente, pode ser algo pessoal e/ou cultural. Como fazer uma pesquisa, por exemplo, com indianos que deixam as unhas da mão direita crescerem e não deixam as da esquerda, sem levar em consideração o significado ou motivos culturais existentes?

    ResponderExcluir