Café com Chai


domingo, 25 de setembro de 2016

Mulheres que escolheram a Índia para viver


São muitas as estrangeiras (além das brasileiras) que decidem viver na Índia com seus maridos indianos. Muitas americanas, australianas, europeias, latinas também fazem essa escolha. Cada pessoa tem uma razão para viver na Índia e parece que elas acertaram na decisão. Coloquei dois vídeos que mostram o estilo de vida das estrangeiras que decidiram viver na Índia. 

Lauren, saiu de UK e vive na Índia com o marido.

Sharell Cook, deixou a Austrália para viver na Índia desde 2005. Ela tinha um blog onde contava sua experiência e casamento, mas hoje mudou o foco da vida pessoal para o trabalho e abriu sua agência de viagens na Índia.



Maya, peruana e vive na Índia com o marido e filhos do casal.


Precisamos acabar com o estereótipo de que aqueles que optaram por viver na Índia estão levando uma vida difícil. Não importa de qual país a esposa seja, se o marido tem uma vida confortável na Índia eles tem todo o direito de viver lá e se a mulher trabalha fora é porque o marido sabe que a esposa ocidental foi educada de uma maneira diferente e isso faz parte da cultura dela. Nós mulheres ocidentais temos outro ritmo de vida, que atire a primeira pedra aquela que sempre trabalhou fora e quando se tornou do lar sentiu uma pontinha de arrependimento por ter deixado o trabalho. Com o tempo se acostuma, mas é difícil ou não é deixar de trabalhar fora? Não julgue aquelas que vivem na Índia e trabalham fora, assim como aquelas se deixaram seus empregos e hoje são do lar. Cada um sabe de si.

Abraços

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

O homem que te ama não muda sua religião

Olá pessoal!

Devido os últimos acontecimentos de mulheres que estão deixando o Brasil para viver um "romance" vim deixar um alerta a vocês mulheres que namoram rapazes pela internet (dessa vez não estou falando dos indianos  hindus e sikhs porque eles não compartilham do princípio de converter a religião de uma pessoa).

A maioria das brasileiras (portuguesas acompanham o blog, então o recado serve para vocês também) se relacionam com rapazes de outra cultura, totalmente diferente da brasileira com promessas de casamento. E na maioria das vezes essa promessa de casamento vem acompanhada de uma condição: que a moça mude sua religião porque a família dele pediu ou porque "ele seria o homem mais feliz do mundo". 

 Já ouvi muitas mulheres dizerem "ah mas nunca fui uma pessoa muito religiosa, para mim não teria problema". Amiga, esse pensamento é seu maior erro e vou explicar porquê:

 Durante o relacionamento a pessoa se empolga, fica obcecada por tudo o que é referente àquele novo país, nova cultura, etc. Acredite, eu já vivi essa fase.
Tudo é interessante, os problemas culturais parecem leves. Você ignora tudo e até a religião dele se torna interessante e de fácil compreensão.

Mas não se esqueça de que nos países de cultura oriental a religião muitas vezes tem os costumes acoplados, ou seja, acham que religião é costume e costume é religião. Por isso aquilo que você aprende no Brasil e na internet não é o suficiente para te fazer enfrentar o dia a dia com uma comunidade de outra cultura.

Vou te dar um exemplo: cristão brasileiro é diferente de um cristão mexicano, que é diferente de um árabe cristão etc. 

Mudar de religião no Brasil é fácil, mas fora dele não é fácil assim.  Imagine que você mude sua religião,  suas roupas e depois aparece em redes sociais com bebida alcoólica nas mãos (sim existem vários perfis assim nas redes sociais e não entendo o que se passa na cabeça dessas mulheres). No Brasil é fácil agir assim, mas e se você decide fazer isso em outro país? Você acha que é possível? Em alguns casos, voltar atrás na decisão é considerado traição com severa punição.

Alguns homens estão recebendo dinheiro para convencer você a mudar de religião enquanto você acha que isso é amor.

Uma mulher não precisa mudar de religião para casar ou para provar seu amor a alguém. Vejo mulheres que mudam de religião para "conseguirem mais direitos" ou para terem mais valor. Que bela desculpa! Direitos mesmo você terá aqui no Brasil, porque em outros países a brasileira será sempre estrangeira para assuntos legais, porque é a parte mais frágil sem conhecimento das leis, costumes e trâmites burocráticos.  Então não se iluda.


Outro assunto que quero falar é sobre dote. Algumas brasileiras se iludem com algumas culturas onde os homens dão dote. Aí o homem dá uma pulseirinha de ouro (isso não é dote) e a mulher acha que está no lucro. Aí você não trabalha no país dele e se alguma coisa acontecer com esse homem o que você vai fazer com uma pulseirinha de ouro? Outras romantizam tanto que aceitam que o homem ensine a religião dele como dote, mais uma vez te pergunto, se algo vier a acontecer com esse homem ou ele te deixar, o que você vai fazer?


Em algumas culturas o dote fica com a sogra e a esposa só terá acesso em caso de divórcio por iniciativa do marido. Ou seja, se ela quer se divorciar perde o dote. As cortes desses países estão cheias de processos de esposas que querem reaver o dote porque a família do marido não devolveu quando houve o divórcio (só procurar no Google e Youtube).

Existe também o fato de que alguns países só permitem que a mulher pegue um avião se tiver autorização expressa do marido. É aquilo que chamo de "Gaiola de Ouro". De quê adianta tanta coisa se no final de tudo você não pode mostrar seus brincos, colares e pulseiras  além de ter que pedir autorização do marido para sair do país. É loucura ou não é?

Mudar de religião no Brasil é fácil. Em outros países exige conhecimento da cultura, que muda de um país para outro.

As decisões que você tomar devem ser sem influências do namorado virtual, noivo ou família dele.

O homem que te ama de verdade não pede nem força a você mudar de religião, não faz chantagem emocional nem coloca condições. Não caia nessa ladainha em nome de casamento. Seja inteligente. 

Abraços


terça-feira, 6 de setembro de 2016

É verdade que a mulher indiana não pode dizer nome do marido?

Porque as indianas não podem dizer o nome de seus maridos?
Pergunta: Após a cerimonia de casamento, as mulheres se reúnem na sala e a noiva grita varias vezes o nome do noivo bem alto.
No dia seguinte ao casamento,e os outros restantes de sua vida,nunca mais poderá dizer o nome do marido em público,é considerado uma ofensa.Porque?

A resposta que vi na internet:   

"O casamento na Índia é sagrado, e marido e mulher se tratam da maneira mais cerimoniosa possível em público. Portanto, não é permitido que se toquem na frente dos outros, e a mulher sequer pode falar o nome do marido na frente dele. Geralmente, chama-o de pai. Nas regras hindus, a mulher deve ficar mais reservada e andar sempre atrás do marido. No quarto, o marido dorme no lado direito da cama e a mulher, no esquerdo".

Minha resposta:

 Não concordo com a resposta acima e explicarei o porquê. 

Destaquei em vermelho os pontos que pretendo explanar.

Dizem que a mulher não pode falar o nome do marido mas isso não se confunde com proibição. A mulher não é proibida.  O que falta aqui é procurar entender melhor a forma que os indianos vivem e se relacionam entre si. Eu, por exemplo, não digo o nome do meu marido porque na cultura indiana é falta de respeito chamar as pessoas pelo nome e isso não se aplica somente ao marido. 

E como isso funciona?

Vamos à explicação:

Primeiro: os indianos não chamam a pessoas mais velhas pelo nome. Até mesmo entre os amigos da mesma idade  isso ocorre, os homens se chamam de bhai , bhaji  quando o amigo ou cunhado é mais velho, ou por algum apelido de família dependendo do grau de intimidade e idade.

Exemplos:
Um senhor com turbante ou marido = sardar;
Pai = papa
Mãe = mommy ji
 Tia materna  =  massi
Tio = mama ou cha cha
Irmã, amiga = didi
Esposa do amigo ou do irmão = bhabi que significa cunhada
Amigo = bhai, bhaji
etc etc etc !!!

Então isso não se aplica apenas ao marido, não é uma proibição, é apenas um costume e forma de dar respeito. Da mesma forma que os americanos, por exemplo, gostam de ser chamados pelo sobrenome e nós brasileiros usamos senhor, senhora, dona etc .  

Segundo: dizer que as esposas chamam o marido de "pai" não é no sentido pai e filha, não misturem as coisas. A pessoa pode ter lido ou visto essa informação em algum lugar mas não significa que seja regra. Os filhos chamam o pai de "papa" que significa pai, mas essa é uma forma carinhosa da esposa de se referir ao marido que agora é pai dos filhos dela. Não tem nada a ver com o tratamento entre marido e mulher. É como as mães falam com os filhos aqui no Brasil por exemplo, "avise o "pai" que o almoço está pronto".
Alguns indianos chamam os pais dos amigos de papa ou mommy também.

Terceiro: em público os mais jovens chamam os mais velhos carinhosamente de uncle e aunt que em português significa Tio e Tia. Então é comum você ver um rapaz de 30 anos chamar um senhor de 60 anos de uncle (tio). Se no Brasil nós dizemos Senhor ou Senhora para nos dirigirmos a alguém, na Índia é comum Tio e Tia.
  
No meu caso, ninguém me chama pelo nome. Eles me chamam de bhabi que significa cunhada. Todos os amigos e amigas de meu marido me chamam assim. Porém os mais velhos  podem me chamar pelo nome se assim preferirem.

Vale lembrar que a Índia tem muitos idiomas, então as formas de tratamento mudam de um idioma para outro.

(É só você assistir bastante filme punjabi e de Bollywod que vai entender como isso funciona).

Conclusão: não se trata de uma proibição, mas em grande parte da cultura indiana principalmente no norte da Índia é falta de educação chamar as pessoas pelo nome, porque os indianos tem muitas formalidades para se dirigirem uns aos outros. Caso seja necessário, eles usam a palavra Ji no final, que significa respeito. Por exemplo, Ravi Ji, uncle ji, sardar ji..

Sobre a questão da mulher andar sempre atrás do marido não é algo imposto, na cultura indiana não é costume dos casais andarem de mãos dadas ou abraçados em público.

Outro ponto que gostaria de falar é sobre o lado de dormir na cama. Nem preciso dizer que isso é lenda, afinal quem está lá para confirmar se todo mundo dorme assim? Cada casal tem seu próprio jeito de viver.

Um feliz natal a todos!!

Abraços!

Obs: Republiquei o texto porque a primeira versão desse post teve a formatação alterada (não sei como isso aconteceu) dificultando a leitura e a única solução foi essa.


Photo courtesy of imagesbuddy.com

sábado, 3 de setembro de 2016

Fiz um vídeo para vocês

Olá!! O blog anda num ritmo mais lento do que o normal, afinal, já faz quase 5 anos que ele está ativo e passo por aqui diariamente. Se não venho para postar algo novo, venho para responder os comentários. Muita gente me acompanha desde o começo, muitas amizades se solidificaram através do blog. 

Mas me sentiria muito mal se deixasse de atualizá-lo sem dar alguma explicação a vocês. Continuarei postando, mas não com a mesma frequência. É inevitável a gente escrever um blog e não falar da vida pessoal, coisa que já fiz aqui quando o assunto era adaptação cultural, mas hoje sinto necessidade de ter o meu espaço, minha vida normal. Hoje sinto falta de meditar, de ver um filme sem me preocupar em olhar o celular a todo momento e coisas parecidas.

Portanto, não estranhem minha ausência. 

Fiz esse vídeo com muito carinho, uma retrospectiva com imagens relacionadas aos temas que já abordei no Café com Chai.
Gostei da ideia do vídeo, se der certo farei mais e com fotos do meu arquivo pessoal.

Música: Punjab
compositor: Karunesh 

Grande beijo!!!




Até mais!

sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Elas recomendam Café com Chai

Fiquei muito feliz quando vi que o Café com Chai foi recomendado por dois blogs muito influentes e bem relacionados sobre a Índia. Agradeço de coração, pois no mundo virtual é muito difícil encontrar pessoas que estreitem os laços e essa sensação de acolhimento é muito boa.

Confiram a página da Juliana https://www.facebook.com/tabibitosoul  e também da Joice Gabriela https://www.facebook.com/namastemundoporjoicegabriela/ . Vários assuntos sobre cultura indiana, atualidades, dicas de viagens e muito mais.



Abraços!

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Ministro da Índia pede que turistas não usem saias

A declaração de Manesh Sharma está dando o que falar.  Além disso, turistas receberão um "kit de boas vindas"  nos aeroportos sobre o que deve ou não deve fazer ao visitar a Índia.

"Para sua própria segurança, as turistas mulheres não deveriam usar vestidos curtos e saias. A cultura indiana é diferente da ocidental", afirmou.


http://g1.globo.com/mundo/noticia/2016/08/ministro-indiano-cria-polemica-ao-pedir-para-turistas-nao-usarem-saias.html

http://www.bbc.com/news/world-asia-india-37212219

http://edition.cnn.com/2016/08/29/asia/india-skirt-safety-advice-women-trnd/


Eu penso "em Roma, faça como os romanos". Mas será que a roupa faz diferença na hora do assédio?

India




Egito

India

Gaza

Marrocos

Marrocos


Abraços

domingo, 21 de agosto de 2016

Relacionamentos: Qual o melhor conselho?

Já faz um tempo que deixei de focar em relacionamentos. Não porque não tenho interesse, mas porque o assunto já está escasso. Já dei todas as dicas possíveis sobre relacionamentos entre brasileiras e indianos. Durante 4 anos me dediquei aos e-mails e comentários de mulheres que procuravam por alguém que pudesse entendê-las e aconselhar com imparcialidade.

Tento fazer a minha parte mas não pensem que não respondo por falta de tempo, a verdade é que tem hora que me sinto incapaz de ajudar casos tão sérios.

 Através do blog ganhei queridas amigas ao qual sou imensamente grata e tenho muita vontade de encontrar pessoalmente.

Não tenho coração de gelo, abri o blog justamente com a intenção de trocar ideias, mostrar a convivência com outra cultura e ajudar aqueles que talvez estivessem passando pelo mesmo que eu mas não tinham com quem conversar.

A esse respeito, continuo respondendo e-mails, não me fechei para o mundo, mas eu não sou a "resposta". Vejo pessoas que realmente estão sofrendo, se destruindo por causa de um relacionamento virtual que chega a se prolongar por meses ou anos. Já recebi casos de pessoas em depressão, que não conseguem trabalhar, cuidar dos filhos e estão com o casamento em risco.

Portanto, darei um conselho que talvez nunca tenha dado a alguém: não hesite em buscar ajuda profissional, ou seja, busque um psicólogo. Não estou brincando não, um psicólogo é a melhor maneira para a pessoa dar a volta por cima. Existem várias universidades que oferecem acompanhamento gratuito. Um psicólogo enxerga coisas que eu não consigo através de um e-mail, conhece tecnicamente coisas que eu não conheço. Nada como uma conversa "olho no olho". 

Eu tento dar conselhos, escrever o que penso, mas algumas vezes isso não é o suficiente. Às vezes resposta não está somente em responder se ele está sendo sincero ou não, se vai dar casamento ou não, se a família dele vai aceitar ou não. Às vezes, a própria pessoa precisa refletir, encontrar as próprias respostas, aprender a lidar com as situações, e isso não consigo fazer por ela.


Então é isso meus amores, esse é o melhor conselho que posso dar.

Abraços

sábado, 20 de agosto de 2016

Ele não gosta de dançar?

Mudei o título do post porque não consigo negar o quanto eu gosto de ver a forma que os indianos se divertem nas festas (tirando aquelas onde são servidas bebidas alcoólicas). Indiano adora uma festa. Já ouvi tanto no Brasil reclamações de que homens não gostam de dançar ou dizem que não sabem dançar e ficam parados feito estátuas.
Quanto ao indianos, não espere por isso. Dificilmente você verá alguém parado e os homens gastam sola do sapato mesmo.

A comunidade indiana ainda é pequena no Brasil, mesmo assim fazem questão de celebrar as datas comemorativas com muita dança, muito brilho e comida. O suficiente para uma grande festa. Coloquei um vídeo do Diwali/2014 realizado em São Paulo para vocês terem uma ideia. Nesse dia, estavam presentes indianos de vários Estados do Brasil. (Só lembrei das dancinhas da novela rs)




Abraços!

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Símbolo da Índia - O Pavão Azul

Proeminente em muitas culturas, o pavão foi considerado o pássaro nacional da Índia em 1963. 
O pavão, conhecido como mayura em sânscrito, tem desfrutado de um lugar especial na cultura da Índia. Freqüentemente representado na arte dos templos, mitologia, poesia, música popular e tradições, o pavão azul (um dos mais admirados) é típico da Índia e Sri Lanka.
O pavão está presente em muitas coisas da cultura indiana, como design de joias, roupas, artigos de decoração, pinturas e tantos outros itens decorativos.
Enquanto usamos dezenas de tonalidades (verde esmeralda, azul céu, azul celeste, azul turquesa entre tantas outras) os indianos encontraram a definição perfeita que é  "peacock color" que significa "cor de pavão".



A derivação de mayura no Sânscrito significa "matador de cobras".  Muitas divindades hindus estão associadas com o pássaro, Krishna é muitas vezes representado com uma pena em sua cabeça, enquanto adoradores de Shiva associam o pássaro ao corcel de Deus da guerra, Kartikeya (também conhecido como Skanda ou Murugan). 




Uma história na Uttara Ramayana descreve a cabeça do Devas, Indra, quem foi incapaz de derrotar Ravana, abrigada sob a asa de um pavão que depois abençoou-o com "mil olhos" e destemor a serpentes. 
Outra história de Indra, que depois de ter sido amaldiçoado com  milhares de úlceras, foi transformado em um pavão com milhares de olhos.  

Na filosofia budista, o pavão representa a sabedoria.

As penas do pavão são usadas ​​em muitos rituais e ornamentos. Ilustrações de pavão são comuns na arquitetura de templos indianos e muitos itens de arte moderna. 





Na mitologia grega, a origem da plumagem dos pavões é explicada no conto de Hera e Argus. A figura principal da Yezidismo, religião curda, Melek Taus, é comumente descrita com um pavão.

Estas aves foram frequentemente mantidas em zoológicos e como ornamentos em grandes jardins.
Numerosas utilizações em Ayurveda foram documentadas. Acredita-se que as aves mantém as áreas livres de cobras.


Em 1526, uma questão jurídica foi levantada para saber se pavões eram aves selvagens ou domésticas. Essa questão se tornou suficientemente importante para o Cardeal Wolsey  convocar todos os juízes ingleses para darem suas opiniões, e chegaram à decisão de que eram aves domésticas.

Na Índia é possível ver as aves nos lindos jardins dos palácios de Jaipur

Termino esse post com essa linda e majestosa cena:




Abraços!

O que fazer e não fazer no Brasil

Quando falamos de cultura indiana, é comum ouvirmos conselhos sobre como se comportar na Índia. Sempre lemos coisas do gênero: "o que fazer e o que não fazer na Índia", "coma com a mão direita", "não use roupas decotadas", "não beije em público" etc.
Vemos listas e mais listas de boas maneiras. 

Mas e quando é o contrário? E quando o indiano vem para o Brasil? Você já parou para pensar que estrangeiro também precisa de dicas para viver no Brasil de maneira harmoniosa sem enfrentar grandes problemas? Nosso país também tem particularidades negativas e positivas que fogem da realidade de outros países. 

Não sei como é o estilo de vida nos outros Estados do Brasil, mas aqui em São Paulo, o manual básico de sobrevivência foi esse:

 Cuidado com "favores". Não aceite encomendas de conhecidos, para entregar coisas a alguém como pacotes e presentes. Você não sabe o que tem dentro.

Só use o celular em locais seguros;

Brasileiro não gosta de dizer o valor do salário, para o indiano é muito normal esse tipo de pergunta, mas aqui ninguém gosta. Muitas vezes a esposa brasileira nem sabe quanto o marido ganha, quem dirá um estranho?

Nem todas as famílias brasileiras são iguais. Tem família que é conservadora, tem família que pai xinga filho e filho xinga pai, tem família religiosa, tem família que não é. Resumindo, cada família é de um jeito.

Dependendo da companhia e do lugar, o comportamento e o vocabulário também diferem de uma pessoa para outra.

Cuidado com comidas de rua, nem tudo é fresquinho e limpo.

Nem todos respeitam horários, compromissos e prazos.
Muitos se atrasam em encontros e desmarcam os mesmos com muita facilidade. Falam que vão ligar e não ligam. A culpa é sempre do trânsito e da correria.

 Cuidado com mulheres que se aproximam para conversar enquanto estiver em bar com algum amigo, elas podem colocar alguma droga em sua bebida que aqui chamamos de "boa noite Cinderela". Você não sabe se tem alguém com ela esperando por uma vítima. Um estrangeiro é alvo fácil. Depois você acorda sem carteira e sem nada. Homens também são vítimas. 

Mesmo sendo casado, tem mulher que acha que estrangeiro é rico e tenta se envolver com ele. Aqui no Brasil existe exame de DNA e pensão, então já sabe... 

Nem todo mundo que te pede dinheiro emprestado vai devolver, até mesmo quantias pequenas.

Evite opinar sobre time de futebol, aqui no Brasil as pessoas partem para a violência por causa disso. Quando perguntam qual time você torce a melhor resposta é.."não sei ainda.."

 Não aceite caronas.

Evite falar mal do Brasil. Brasileiro fala mal do país a todo o instante. Fala mal de tudo, mas não aceita que um estrangeiro faça o mesmo. Acho que os brasileiros são os que mais reclamam do próprio país. Ficam orgulhosos quando um estrangeiro diz que gosta do Brasil mas se sentem ofendidos quando o estrangeiro diz que não gosta. Não importa se vive aqui há mais de 20 anos ou tenha se naturalizado. A amizade acaba na mesma hora.
Quando for questionado de um jeito informal é melhor responder com uma visão positiva e todo mundo fica fica feliz. Dê sua opinião de forma reservada, isso não é se anular, mas é inteligente dividir suas críticas com aqueles que  poderão fazer algo por elas. Não adianta discutir com os tolos. 

A melhor coisa é ser diplomático  para manter o bom relacionamento.

Por hoje é isso, pessoal!

Abraços



quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Apropriação ou admiração?

Vocês já perceberam o número de cantores que fazem seus vídeos inspirados na Índia? Esses vídeos geram controvérsias porque geralmente as músicas não tem a ver com a cultura indiana, então para a comunidade conservadora  não há o que justifique uma cantora ocidental se vestir de indiana (bindi, henna nas mãos, saris etc) para cantar músicas americanas. Por outro lado, alguns indianos se orgulham e agradecem o reconhecimento. A maioria das celebridades já precisaram se desculpar um dia ou dar explicações a respeito do uso de acessórios indianos em seus vídeos para lá de sensuais. 

Coldplay ft. Beyonce - Hymn For The Weekend

Iggy Azalea - Bounce

Shakira - 


Madonna  - Vogue


Selena Gomez - Come & Get It

Existe uma linha tênue que dificulta identificar o que é "apropriação" e o que é admiração de uma cultura, mas se tratando de música, arte e dança só posso dizer que não fazem nada de diferente de Bollywood que sempre contrata estrangeiras para o corpo de baile dos filmes. 

O que você acha desse vídeo? 


Abraços!

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Economia da Índia - Um país rico ou pobre?

(Por favor, Aguardem as atualizações).

O post será reescrito e reformulado  porque conclui que o anterior não colaborava com o perfil do blog.

 Recebo muitas sugestões para escrever sobre a economia da Índia, pelo fato de ser um país que manteve sua economia estável mesmo com alta do dólar, diferente do que enfrentamos no Brasil. Logo mais teremos a matéria completa.




Abraços!!

Índia nas Olimpíadas - Rio 2016

Essa é a primeira vez na vida que torço para dois países.

"Segundo o presidente da Câmara de Comércio Índia Brasil,  Leonardo Ananda, a delegação conta com um número recorde. Serão 90 atletas de 11 modalidades (atletismo, badminton, boxe, ginástica artística, hóquei sobre grama, levantamento de pesos, luta olímpica, remo, tênis de mesa, tiro com arco e tiro esportivo).

Os indianos conquistaram o maior número de medalhas em uma única edição dos Jogos: seis medalhas, sendo duas de prata e quatro de bronze. Além disso, Sushil Kumar, da luta livre (categoria até 66 kg), se tornou o primeiro esportista do país a conquistar duas medalhas olímpicas em Olimpíadas diferentes. O atleta, que fora bronze em Pequim 2008, foi prata em Londres 2012.

Com uma delegação cada vez mais numerosa, a Índia espera superar novamente o seu desempenho. Além da expectativa por um alto número de pódios, o país quer voltar a conquistar uma medalha de ouro, o que não ocorre desde Pequim 2008, quando o atirador Abhinav Bindra ganhou a prova de carabina de ar 10 metros".






Abraços!!

sábado, 23 de julho de 2016

O homem mais bonito do mundo é indiano.

 De acordo com o jornal The Times of India, pela primeira vez na história o título de homem mais belo do mundo foi dado a um indiano.

O indiano Rohit Khandelwal, recebeu o título de Mr. Mundo 2016. O concurso foi realizado na cidade de Southpurt, Reino Unido.


O brasileiro Lucas Montandon ficou entre os 10 melhores, parabéns!



Abraços

sábado, 9 de julho de 2016

O que os indianos consideram belo na aparência?

Acho muito interessante esse assunto, assisto vários vídeos relacionados sobre o padrão de beleza em diferentes culturas e isso me inspirou a mostrar sob minha perspectiva o que é considerado bonito para os indianos

Pele:
Muitos já sabem que a Ásia aprecia a pele clara. Esse é o primeiro fator em muitas regiões da Índia.


Corpo:
Além da pele clara, as mulheres querem ser magras. E os homens também admiram a mulher magra.   Nos anúncios de casamento, a maioria dos homens procuram por mulheres magras porem com curvas e sem barriga.


 Altura: Os indianos admiram as pessoas altas. Percebo que isso chama muito a atenção deles, aqui mesmo no Brasil eles falam admirados "nossa, olha que mulher alta!".  Na hora de escolher alguém para casar eles também dão atenção para a altura do pretendente e não querem que a mulher seja mais alta do que o homem ou muito mais baixa do que ele. A altura dos noivos deve ser "compatível".


O cabelo comprido é muito apreciado. Indianos em geral a-d-o-r-a-m mulheres com cabelos compridos.


Nariz reto, fino e com a ponta delicada.


Muitas indianas tem o costume de tirar os pelos do braço. Elas usam aqueles cremes depilatórios. Os homens acham nojento mulher com braço peludo. Nem mesmo a moda de descolorir os pelos que temos aqui no Brasil funciona, eles dizem que é nojento do mesmo jeito.
Homens indianos gostam de raspar as axilas (o que eu acho ótimo)..



Covinhas no rosto. Para muitos indianos as covinhas no rosto são muito apreciadas.


Por último, cito os olhos grandes e amendoados.

Abraços

segunda-feira, 4 de julho de 2016

10 Benefícios do Óleo de Côco para os Cabelos

Em outro post, demos dicas sobre a umectação indiana com o óleo de côco. Se você quiser aprender como se faz leia aqui   http://cafecomchai.blogspot.com.br/2013/03/a-verdadeira-umectacao-capilar-banho-de.html

Agora, vamos conhecer mais 10 benefícios do óleo de côco em seus cabelos:

10 Benefícios do Óleo de Côco para os cabelos 



Segundo a cultura indiana, há várias vantagens no óleo de coco, tais como:

1. Ele age contra a queda de cabelo. Ele tem sido utilizado como um tratamento contra queda de cabelo na Índia durante séculos. Além disso, melhora a qualidade do cabelo e fortalece as raízes.

2.Ele ajuda a esfriar o couro cabeludo. Quando o couro cabeludo sua muito, o suor e sebo se juntam formando caspas e sujeira numa camada espessa, deixando mau cheiro no couro cabeludo. Isso prejudica o cabelo e impede que os óleos naturais cheguem até as pontas do cabelo. Como resultado, você tem cabelo sem movimento e ressecado.  O óleo de côco  não deixa isso acontecer pois ele reduz a transpiração e também ajuda a se livrar da caspa além de equilibrar o pH do couro cabeludo protegendo também contra as agressões do shampoo.

3.O óleo de coco ajuda a reter a umidade. Se você vive em um clima quente, a umidade em seu cabelo é facilmente evaporada. Como resultado, o cabelo fica seco e com frizz . Mas o uso de óleo de coco protege contra esta perda de umidade essencial.

4.O óleo de coco é um condicionador melhor do que a maioria dos químicos disponíveis de alta tecnologia. O óleo de coco mantém o seu cabelo brilhante e suave o dia todo.

5.A maioria dos shampoos anti caspa contêm óleo de coco por uma razão. massagens com óleo de coco tratam a caspa e também previnem o surgimento dela.

6.O óleo de coco derrete no aquecimento e solidifica quando frio Quando você massageia o couro cabeludo, o calor do corpo derrete o óleo e o faz se espalhar rapidamente. Quando aplicado no cabelo, torna-se mais viscoso e age como um creme ou gel.

7.Ele protege o cabelo de infestação por piolhos. As fórmulas de tratamento de piolhos contêm produtos químicos que podem danificar o cabelo. Usando o óleo de coco a fibra capilar fica mais lisa,  consequentemente o pentear para retirar lêndeas e piolhos se torna mais fácil.

8.Durante o inverno, algumas pessoas tem ressecamento em seu couro cabeludo. Isso também pode acontecer quando fica exposto por longas horas ao sol. Massagear o óleo de coco impede furúnculos.

9.As pontas duplas desaceleram o crescimento do cabelo por isso é aconselhado cortá-las regularmente. Mas a aplicação regular de óleo de coco impede o surgimento de pontas duplas.

10.O óleo de coco também evita envelhecimento precoce dos cabelos, retardando o surgimento de fios brancos.






Abraços