Café com Chai

Observações de uma brasileira sobre a cultura indiana.

terça-feira, 28 de julho de 2015

Vamos Falar de "Apropriação Cultural"?

Algumas pessoas chegam até mim e perguntam se podem usar bindi pois elas dizem que já ouviram falar em apropriação cultural. Geralmente são mulheres que tem uma afinidade com a cultura indiana ou bailarinas de dança do ventre. 

 Na verdade, o termo "apropriação cultural" é muito, muito chato, que caiu em modinha e está sempre em forum de discussões que não chegam a lugar algum além de promoverem racismo. Não gosto desse termo, me cansa. Muitos dizem que uma pessoa se apropria quando usa algum símbolo de uma cultura que não é sua. Será mesmo? Eu discordo. O que deve ter prioridade é o bom senso e o respeito.





Leia esse artigo:



Muitas vezes a pessoa não respeita aquilo que é da própria cultura! E aí como fica? Então quer dizer que eu posso mudar o significado de um símbolo que é de minha cultura e não sou condenada por isso? 
O que os terroristas fizeram com o uso do turbante? Muitos desses homens nasceram onde o turbante também faz parte da vestimenta  mas mudaram o significado dele com atitudes condenáveis, ou seja, eles mesmos fizeram isso e  não foi preciso que nenhum brasileiro ou americano banalizasse. Por que ninguém vai lá dizer que os terroristas se apropriaram de um símbolo indiano, árabe etc e mudaram o contexto? A maior dificuldade para um sikh é usar seu turbante fora da Índia e não ser confundido com terrorista. Isso sim precisa acabar. Mas eu só vejo pessoas no Brasil ditando regras, preocupadas em escrever cartilha sobre o que é e o que não é apropriação cultural, atrás do computador batendo de frente com o próprio preconceito. 
Eu faço minha parte, escrevo sobre o sikhismo e  levo pouco da cultura por onde passo, mostro e explico para as pessoas que a cultura indiana e o homem de turbante são do bem. Não fico com aquele clichê..."ele pode, você não". 

Por isso eu substituo "apropriação cultural" por "falta de educação". Simples assim. O uso inadequado dos símbolos de uma cultura independentemente das origens.

No mundo globalizado em que vivemos é irracional esperar que uma cultura não abstraia nada de outra então não dá pra sair julgando a torto e a direito por questão de cor de pele, cor de cabelo etc.

Por exemplo, roupa indiana tem no mundo inteiro e qualquer um pode usar, não ofende ninguém. Mas uma vez eu e meu esposo vimos na praia uma moça estendendo na areia uma canga com a estampa do deus Shiva (deus dos hindus). Ou seja, ela ia se deitar naquela canga com a cara de Shiva!  Eu achei a canga linda mas deus indiano não é personagem de desenho animado, eles são divindades. Sorte dela que fez isso aqui no Brasil, porque se fosse em alguma praia da Índia ela poderia enfrentar sérios problemas. Naquela hora meu marido disse "deixe pra lá, ela não sabe o que está fazendo". Com certeza não sabia.

Agora te faço a pergunta: E se fosse uma indiana? Poderia deitar numa canga com o deus Shiva e não ser taxada? Está explicado porque não gosto desse termo, e não faz sentido essa briga de criança que diz  "isso é meu, aquilo é seu", "eu posso usar, você não". Pra mim só existe uma expressão que é "Falta de Educação" e isso pode surgir de qualquer lado, qualquer cultura, qualquer povo, qualquer cor de pele, cabelo e olhos.

Um exemplo clássico é o da cantora Selena Gomez, que desagradou muitos indianos quando passou a usar bindi, que para eles é um símbolo sagrado. Mas não foi pelo fato dela não ser indiana, o que causou a fúria de alguns indianos, foi o fato dela ter usado o bindi durante os shows com coreografias sensuais. Mas ...as dançarinas de Bollywood também não fazem isso?

Quando alguém me pergunta sobre o uso de bindi, eu digo que não há apropriação de uma coisa que você admira e respeita. Mesmo que você não tenha nascido sob determinada cultura, mas desde que use com respeito. O bindi tem vários significados, então acho importante a pessoa saber porque usa, por exemplo, o bindi clássico que é muito usado por mulheres casadas, e tem o bindi colorido e com brilho que é usado em festas, casamentos ou para acentuar a beleza. As próprias indianas usam o bindi assim, escolhem a cor para combinar com a roupa, com a maquiagem, de acordo com a ocasião.

Veja o que diz a indiana  Anjali Joshi a respeito nesse excelente texto:


Muitas mulheres muçulmanas de outros países também usam bindi ou tilak (enfeite na testa) não é somente a mulher hindu e isso também não é apropriação cultural.

Um provérbio indiano diz  "a beleza da mulher é multiplicada mil vezes quando ela usa bindi". Não há que se falar em apropriação cultural se você quer usar um bindi durante a apresentação de belly dance ou você admira a cultura indiana. Você não precisa ter sangue indiano correndo nas suas veias ou se parecer com uma indiana ou árabe para usar bindi, não é a cor da sua pele ou sua ascendência que vai ditar regras, o importante é o respeito que você dá a isso.

Se a pessoa admira e usa com respeito não há problema. Usar um traje de outra cultura nesses termos não é ofensivo. Às vezes a rejeição pode é ofensiva! Imagine você vai para Dubai eles te oferecem um turbante para passear nas dunas. Você vai dizer ao guia "não posso porque não é da minha cultura além de ser apropriação cultural" ou você vai achar o turbante cool para tirar fotos e aproveitar o passeio de um jeito especial??  Acho que a segunda opção, claro! Além de curtir uma nova experiência você vai ser um adorável turista pois negar algo tão importante na cultura árabe e indiana como o turbante, seria uma ofensa. Entendeu onde quero chegar? Ou então você é noiva de um indiano, acha lindo o casamento indiano, o vestido vermelho bordado, a comida exótica, jóias e todas aquelas cores, então você não pode se casar assim porque não é sua cultura?? O que você vai fazer? Vai dizer "meu bem, não vou casar na Índia porque sou descendente de europeus e isso seria apropriação cultural, tudo culpa dos meus antepassados agora não posso aceitar e seguir sua cultura". Pelo amor de Deus, gente. Não podemos chamar tudo de apropriação cultural.

Não sejamos radicais! Ninguém está proibido de usar uma parte de vestuário de outra cultura.  Eu uso bindi porque me identifico com a cultura indiana e admiro. Isso faz parte de mim da mesma forma que a roupa indiana faz parte do meu guarda-roupas e de muita gente que também não nasceu na Índia. Eu não me aproprio culturalmente porque gosto de comida indiana, ouço músicas indianas, visto roupas indianas...vixe, até o marido é indiano! (Complicado ..será que ele está se apropriando de algo brasileiro também? melhor eu consultar as cartilhas da internet sobre isso )

  Vejo muita gente radical por aí mas não se trata de apropriação cultural quando uma pessoa admira e usa com respeito.

Quando somos radicais, proibimos a aceitação de tal cultura numa sociedade, esta acaba se dividindo em grupos e toda divisão em grupos gera rivalidade.

Veja  dois casos abaixo que não se trata de apropriação cultural. O que aconteceu aqui foi desrespeito porque cobrir o corpo é obrigatório por em Dubai, então nesse caso não se discute o uso das roupas, mas o comportamento inadequado em local sagrado, ou seja, faltou educação:

 Rihanna Sensualizando na mesquita em Abu Dhabi

http://www.thenational.ae/uae/tourism/rihanna-was-asked-to-leave-sheikh-zayed-grand-mosque-after-photoshoot

Selena e amigos se comportando de forma inadequada:

http://exposingsmgpt.tumblr.com/post/106811866530/selena-gomez-e-amigos-ofendem-mu%C3%A7ulmanos-ao

O mundo precisa de mais informação e tolerância. As pessoas se preocupam com a apropriação cultural quando deveriam se preocupar com a educação e o bom senso primeiro.

Abraços!!

9 comentários:

  1. OI, Star!!!!Que alegria ver voce escrevendo novamente!!Sabe que sou fa ha anos, ne? Gostei muito do tema e, concordo em numero e grau. Tudo eh valido, desde que seja com o devido respeito. Eu mesma levei varios bindis de presente ano passado para o Brasil e a mulherada da minha familia A-DO-ROU!!! Beijos!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Juliana!! Estou muito feliz de conseguir voltar a escrever!! Obrigada!! Você sabe que também adoro seu blog né!! Não consigo deixar de comentar kkkk

      Então agora as pessoas saem dizendo que tudo é apropriação cultural, ficaram alienadas! Outro dia a Maria Eugênia de Mtv que fez o episódio na casa dos indianos, colocou no Instagram dela uma foto com roupa indiana e já veio gente alienada dar lição de moral dizendo que era apropriação cultural!! Imagine, uma roupa que ela ganhou da família indiana com o maior carinho!!! Se ela recusasse seria exatamente como o exemplo que dei, poderia até ofender. Por isso as pessoas estao alienadas e usam o termo onde não faz sentido.

      Quanto ao bindi aqui no Brasil faz o maior sucesso mesmo e eu nunca vi nenhum indiano ofendido, ao contrário, quando fui numa festa indiana aqui no Brasil eles não paravam de elogiar a forma que eu estava vestida, com punjabi suit e Bindi!! Aliás eu vi os seus outro dia no vídeo e adorei!!
      Beijos

      Excluir
  2. Nossa, Star, você disse tudo. Para você também saber, muitas pessoas têm preconceito com pessoas vindas do Oriente Médio. Algumas pessoas que conheço, que são bem próximas a mim, acham que esse tipo de gente é terrorista, que todos são maus e ainda indagam que são de "raça ruim". Nossa, Star, nessa hora me dá vontade de dar um soco em cada um. Poxa! Vai pesquisar sobre a cultura, os significados, tudo. Uma amiga minha, que estava no aeroporto do Galeão, de volta pra Aju, disse que viu dois rapazes árabes vestidos com roupas tradicionais e começaram a rezar no meio do aeroporto e disse que ficou horrorizada, pois estava com medo dr derrubarem o avião. Então, sempre me pergunto: Pq a sociedade sempre impõe esse tipo de"achismos"? Beijos, Star!!!

    ResponderExcluir
  3. muito bom o texto... a partir de agora vou dar sermäo em todo gringo que eu vir usando a camiseta da selecao brasileira (brinks)

    ResponderExcluir
  4. Olá! Discordo muito que apropriação cultural seja "brasileiro querendo definir quem pode ou não pode". Como brasileira, sinto-me até ofendida!
    Por isso mesmo, vou te linkar um artigo de uma mocinha que definiu muito bem apropriação cultural, porque isso é muito mais do que "ele pode, você não".
    Apropriação cultural é sobre racismo, sobre supremacia branca, sobre desrespeito aos costumes e a cultura alheia.
    Eu, como mulher negra, me sinto muito desrespeitada quando uma pessoa branca usa dreadlocks, canta rap ou usa nossas amarrações de turbante. Sabe por quê? Porque quando nós mulheres negras o fazemos, somos chamadas de sujas de "macumbeiras" (macumba é o nome de um instrumento musical muito tocado nas religiões de matriz africana. Com "macumbeira" estão condenando nossas práticas religiosas), de feias, de "exóticas"...
    Quando pessoas brancas o fazem, elas são "trend", são "evoluídas", "cultas", "estilosas".
    Elas são aplaudidas POR ROUBAR NOSSA CULTURA, enquanto quando NÓS somos apontados, feridos e discriminados por apenas sermos quem somos!
    Apropriação cultural é algo bem mais profundo do que "Eu posso usar turbante e você não". Até porque, apropriação CULTURAL considera também o fato de você não ter sido criado sobre os preceitos daquela cultura, mas a estar usurpando por estética ou autoafirmação.
    É um abuso, por exemplo, que naquelas feiras de jovens que gostam de quadrinhos e animações, eles se vistam como nossos deuses e deusas. Falando sério, tem gente que faz COSPLAY de divindade! Sim, gente que SE FANTASIA de nossas divindades pra ganhar prêmios ou fama no seu meio! Vê? Isso não é SÓ falta de educação.
    Apropriação cultural é roubar a cultura de alguém com o propósito de sentir-se bem esteticamente ou lucrar com isso (seja fama, status ou dinheiro).
    Isso é, novamente, manifestação de supremacia dos povos eurocêntricos. Porque, quando eles performam nossa cultura, é bonito, é legal! Quando nós o fazemos, somos esquisitos, exóticos, "supersticiosos", sujos...!
    Vou te contar 1 história real:
    Quando Carlota Joaquina (Rainha de Portugal)vinha para o Brasil, ela pegou piolhos no navio. O resultado? Ela e as outras mocinhas da corte tiveram de raspar a cabeça pra conter a infestação dos parasitas! Carlota sentia-se muito feia de cabeça raspada, então ela exigiu que as escravas (mulheres negras escravizadas) a ensinassem a fazer amarrações de turbante.
    Legal, né? Só que não. Quando ela aportou no Brasil, os turbantes viraram um frenesi! Todas as moças queriam usar turbante e se parecer com a rainha! Virou nova moda! Todos, de repente, adoravam turbantes! Turbante era "moda", era lindo! ERA COISA DE RAINHA!
    Mas, na mesma época, quando as mulheres negras usavam turbantes (que era da cultura delas), elas eram ainda só escravas. Só pretas sujas que os brancos exploravam! Só objetos, máquinas!
    Vê? Isso é apropriação cultural! É quando alguém de fora da cultura ganha aplausos por performá-la, e as pessoa de dentro dessa cultura, pertencente àquela etnia, são perseguidas, apontadas, discriminadas ou tratadas como um animalzinho raro!
    Aqui está o artigo, caso você queira dar uma lida:
    https://www.facebook.com/notes/rachel-furtado/apropria%C3%A7%C3%A3o-cultural-um-pequeno-guia-sobre-o-que-%C3%A9-e-o-que-n%C3%A3o-%C3%A9-traduzido/10203757225116973?__mref=message_bubble

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo isso eu resumo em uma palavra: racismo.

      Excluir
  5. Concordo com a Alana. Existem pequena atitudes que alimentam o racismo, apropriação cultural é uma delas.

    ResponderExcluir