Café com Chai

Observações de uma brasileira sobre a cultura indiana.

sábado, 24 de outubro de 2015

Quando você tem filhos e ele não

Duas coisas podem acontecer: ele assumir a todos ou esconder de todos.  

De um tempo para cá percebi algumas mudanças no perfil das pessoas que se relacionam com homens de cultura oriental. Muitas dessas pessoas são mulheres que tem filhos pequenos dependentes. Recebo inúmeros e-mails de mulheres que fazem planos de casamento mas o homem deixa claro que a família dele não vai aceitar o filho que ela tem de um relacionamento anterior. Isso acontece muito porque na Índia o divórcio é tabu e um filho fora do casamento ainda passa longe da realidade de muitas famílias. Qual o preço disso? Muitas mulheres vão para o país do marido e deixam a criança no Brasil ou convivem com a ideia de ver o marido esconder a criança da família dele, ou seja, muitos homens vivem anos escondendo da família que a esposa já tinha filho de outro relacionamento.  

Recebo e-mail de mulheres que dizem que o homem aceita a criança como filho dele, mas ele esconde da mãe e do pai, tios, vizinhos e até do camelo que essa criança existe. 

É algo delicado e complicado para eu dar minha opinião mas já vi casos de mulheres que se mudaram, casaram e deixaram a criança aqui para a avó cuidar porque o homem não aceita que ela leve a criança junto porque ele sabe que esse tipo de união é delicada no país dele. 

Claro que existem os homens que aceitam e formam uma família linda sem diferenças, mas quando o homem esconde essa situação da sociedade dele significa que a criança não participará das festas em família na Índia, viagens para a Índia, conversas com a família pelo facetime, fotos nas redes sociais e toda a bajulação que uma criança tem quando é querida. 

Também já vi acontecer o contrário, a pessoa se relaciona com o homem aqui sem estar casada com ele e desse relacionamento nasce um filho, mesmo assim esse homem esconde da família lá na Índia que teve um filho no Brasil porque essa criança não veio dentro de um relacionamento oficializado pelo casamento. 

Não estou aqui para dizer se é certo ou errado esse tipo de pensamento deles, afinal, é obrigação de quem  se envolve saber que é uma cultura diferente da nossa e da mesma forma que nós dizemos que estamos certos, eles também acham que o jeito deles é certo.   Da mesma forma que a cultura indiana leva muito a sério o casamento, aqueles que não estão dentro dos padrões da sociedade enfrentam consequências.  Esteja ciente da realidade.
Os nossos valores morais mudam com o tempo e se adaptam às nossas necessidades sociais, os deles continuam os mesmos e para eles o que é correto está, e não precisa mudar.

Para muita gente é difícil de entender, por isso relacionamento intercultural envolve muito mais diferenças do que roupas, comidas e músicas.



Abraços.

3 comentários:

  1. Sinceramente, deixar de ver um filho crescer para ir viver com um cara que não aceita essa criança é absurdo demais pra mim. Seja pq ele é de uma cultura diferente ou um brasileiro mesmo. Pensem Mulheres, será que vale realmente a pena ficar com um Homem que prefere te privar do próprio filho, e os seus valores, onde fica? O amor de mãe deveria ser mais forte do que fantasias românticas com um cara exótico de algum canto do mundo. Se colocou no mundo, tem criar. E isso vale para os Homens tbm. Não se deve abandonar ou esconder uma criança como se a existência dela fosse uma vergonha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo plenamente com a Nayhara, mas creio que existam muitas que façam isso, pois isso até mesmo em relacionamentos dentro de nossa cultura e país é tão comum, mulheres abandonando filhos com os avós para viver um novo relacionamento, e em relação a homens nem preciso falar né, é muito mais comum ainda. Um relacionamento pode dar errado e se tornarem ex, mas ex filhos não existem.

      Excluir
    2. Isso é verdade, já vi casos de mulheres que o parceiro brasileiro não quer a criança de outro relacionamento ou a maltrata. Infelizmente isso acontece em muitas culturas inclusive no Brasil.

      Excluir