Café com Chai

Observações de uma brasileira sobre a cultura indiana.

domingo, 21 de agosto de 2016

Relacionamentos: Qual o melhor conselho?

Já faz um tempo que deixei de focar em relacionamentos. Não porque não tenho interesse, mas porque o assunto já está escasso. Já dei todas as dicas possíveis sobre relacionamentos entre brasileiras e indianos. Durante 4 anos me dediquei aos e-mails e comentários de mulheres que procuravam por alguém que pudesse entendê-las e aconselhar com imparcialidade.

Tento fazer a minha parte mas não pensem que não respondo por falta de tempo, a verdade é que tem hora que me sinto incapaz de ajudar casos tão sérios.

 Através do blog ganhei queridas amigas ao qual sou imensamente grata e tenho muita vontade de encontrar pessoalmente.

Não tenho coração de gelo, abri o blog justamente com a intenção de trocar ideias, mostrar a convivência com outra cultura e ajudar aqueles que talvez estivessem passando pelo mesmo que eu mas não tinham com quem conversar.

A esse respeito, continuo respondendo e-mails, não me fechei para o mundo, mas eu não sou a "resposta". Vejo pessoas que realmente estão sofrendo, se destruindo por causa de um relacionamento virtual que chega a se prolongar por meses ou anos. Já recebi casos de pessoas em depressão, que não conseguem trabalhar, cuidar dos filhos e estão com o casamento em risco.

Portanto, darei um conselho que talvez nunca tenha dado a alguém: não hesite em buscar ajuda profissional, ou seja, busque um psicólogo. Não estou brincando não, um psicólogo é a melhor maneira para a pessoa dar a volta por cima. Existem várias universidades que oferecem acompanhamento gratuito. Um psicólogo enxerga coisas que eu não consigo através de um e-mail, conhece tecnicamente coisas que eu não conheço. Nada como uma conversa "olho no olho". 

Eu tento dar conselhos, escrever o que penso, mas algumas vezes isso não é o suficiente. Às vezes resposta não está somente em responder se ele está sendo sincero ou não, se vai dar casamento ou não, se a família dele vai aceitar ou não. Às vezes, a própria pessoa precisa refletir, encontrar as próprias respostas, aprender a lidar com as situações, e isso não consigo fazer por ela.


Então é isso meus amores, esse é o melhor conselho que posso dar.

Abraços

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Símbolo da Índia - O Pavão Azul

Proeminente em muitas culturas, o pavão foi considerado o pássaro nacional da Índia em 1963. 
O pavão, conhecido como mayura em sânscrito, tem desfrutado de um lugar especial na cultura da Índia. Freqüentemente representado na arte dos templos, mitologia, poesia, música popular e tradições, o pavão azul (um dos mais admirados) é típico da Índia e Sri Lanka.
O pavão está presente em muitas coisas da cultura indiana, como design de joias, roupas, artigos de decoração, pinturas e tantos outros itens decorativos.
Enquanto usamos dezenas de tonalidades (verde esmeralda, azul céu, azul celeste, azul turquesa entre tantas outras) os indianos encontraram a definição perfeita que é  "peacock color" que significa "cor de pavão".



A derivação de mayura no Sânscrito significa "matador de cobras".  Muitas divindades hindus estão associadas com o pássaro, Krishna é muitas vezes representado com uma pena em sua cabeça, enquanto adoradores de Shiva associam o pássaro ao corcel de Deus da guerra, Kartikeya (também conhecido como Skanda ou Murugan). 




Uma história na Uttara Ramayana descreve a cabeça do Devas, Indra, quem foi incapaz de derrotar Ravana, abrigada sob a asa de um pavão que depois abençoou-o com "mil olhos" e destemor a serpentes. 
Outra história de Indra, que depois de ter sido amaldiçoado com  milhares de úlceras, foi transformado em um pavão com milhares de olhos.  

Na filosofia budista, o pavão representa a sabedoria.

As penas do pavão são usadas ​​em muitos rituais e ornamentos. Ilustrações de pavão são comuns na arquitetura de templos indianos e muitos itens de arte moderna. 





Na mitologia grega, a origem da plumagem dos pavões é explicada no conto de Hera e Argus. A figura principal da Yezidismo, religião curda, Melek Taus, é comumente descrita com um pavão.

Estas aves foram frequentemente mantidas em zoológicos e como ornamentos em grandes jardins.
Numerosas utilizações em Ayurveda foram documentadas. Acredita-se que as aves mantém as áreas livres de cobras.


Em 1526, uma questão jurídica foi levantada para saber se pavões eram aves selvagens ou domésticas. Essa questão se tornou suficientemente importante para o Cardeal Wolsey  convocar todos os juízes ingleses para darem suas opiniões, e chegaram à decisão de que eram aves domésticas.

Na Índia é possível ver as aves nos lindos jardins dos palácios de Jaipur

Termino esse post com essa linda e majestosa cena:




Abraços!

O que fazer e não fazer no Brasil

Quando falamos de cultura indiana, é comum ouvirmos conselhos sobre como se comportar na Índia. Sempre lemos coisas do gênero: "o que fazer e o que não fazer na Índia", "coma com a mão direita", "não use roupas decotadas", "não beije em público" etc.
Vemos listas e mais listas de boas maneiras. 

Mas e quando é o contrário? E quando o indiano vem para o Brasil? Você já parou para pensar que estrangeiro também precisa de dicas para viver no Brasil de maneira harmoniosa sem enfrentar grandes problemas? Nosso país também tem particularidades negativas e positivas que fogem da realidade de outros países. 

Não sei como é o estilo de vida nos outros Estados do Brasil, mas aqui em São Paulo, o manual básico de sobrevivência foi esse:

 Cuidado com "favores". Não aceite encomendas de conhecidos, para entregar coisas a alguém como pacotes e presentes. Você não sabe o que tem dentro.

Só use o celular em locais seguros;

Brasileiro não gosta de dizer o valor do salário, para o indiano é muito normal esse tipo de pergunta, mas aqui ninguém gosta. Muitas vezes a esposa brasileira nem sabe quanto o marido ganha, quem dirá um estranho? Por isso não pergunte o valor do salário das pessoas. 

Nem todas as famílias brasileiras são iguais. Tem família que é conservadora, tem família que pai xinga filho e filho xinga pai, tem família religiosa, tem família que não é. Resumindo, cada família é de um jeito.

Dependendo da companhia e do lugar, o comportamento e o vocabulário mudam. 

Cuidado com comidas de rua, nem tudo é fresquinho e limpo.

A maioria dos brasileiros não  respeitaa horários, compromissos e prazos.
Muitos se atrasam em encontros e desmarcam  com facilidade. Falam que vão ligar e não ligam. A culpa é sempre do trânsito e da correria.

 Cuidado com mulheres que se aproximam para conversar enquanto estiver em bar com algum amigo, elas podem colocar alguma droga em sua bebida que aqui chamamos de "boa noite Cinderela". Você não sabe se tem alguém com ela esperando por uma vítima. Um estrangeiro é alvo fácil. Depois você acorda sem carteira e sem nada. Homens também são vítimas. 

Mesmo sendo casado, tem mulher que acha que estrangeiro é rico e tenta se envolver com ele. Aqui no Brasil existe exame de DNA e pensão, então já sabe... 

Nem todo mundo que te pede dinheiro emprestado vai devolver, até mesmo quantias pequenas. Aquela frase "faça sem esperar nada em troca" faz muito sentido. 

Evite opinar sobre time de futebol, aqui no Brasil as pessoas partem para a violência por causa disso.

 Não aceite caronas de desconhecidos. 

Evite falar mal do Brasil. Brasileiro fala mal do país o tempo todo. Fala mal de tudo, mas não aceita que um estrangeiro faça o mesmo. Acho que os brasileiros são os que mais reclamam do próprio país. Se orgulham quando um estrangeiro diz que gosta do Brasil mas se ofendem quando o estrangeiro diz que não gosta. Não importa se o gringo vive aqui há mais de 20 anos ou tenha se naturalizado. A amizade acaba na mesma hora.
Quando for questionado de um jeito informal é melhor responder com uma visão positiva e todo mundo fica feliz. Dê sua opinião de forma reservada, isso não é se anular, mas é inteligente dividir suas críticas com aqueles que  poderão fazer algo por elas. 

A melhor coisa é ser diplomático  para manter o bom relacionamento.



Por hoje é isso, pessoal!

Abraços



quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Apropriação ou admiração?

Vocês já perceberam o número de cantores que fazem seus vídeos inspirados na Índia? Esses vídeos geram controvérsias porque geralmente as músicas não tem a ver com a cultura indiana, então para a comunidade conservadora  não há o que justifique uma cantora ocidental se vestir de indiana (bindi, henna nas mãos, saris etc) para cantar músicas americanas. Por outro lado, alguns indianos se orgulham e agradecem o reconhecimento. A maioria das celebridades já precisaram se desculpar um dia ou dar explicações a respeito do uso de acessórios indianos em seus vídeos para lá de sensuais. 

Coldplay ft. Beyonce - Hymn For The Weekend

Iggy Azalea - Bounce

Shakira - 


Madonna  - Vogue


Selena Gomez - Come & Get It

Existe uma linha tênue que dificulta identificar o que é "apropriação" e o que é admiração de uma cultura, mas se tratando de música, arte e dança só posso dizer que não fazem nada de diferente de Bollywood que sempre contrata estrangeiras para o corpo de baile dos filmes. 

O que você acha desse vídeo? 


Abraços!

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Economia da Índia - Um país rico ou pobre?

(Por favor, Aguardem as atualizações).

O post será reescrito e reformulado  porque conclui que o anterior não colaborava com o perfil do blog.

 Recebo muitas sugestões para escrever sobre a economia da Índia, pelo fato de ser um país que manteve sua economia estável mesmo com alta do dólar, diferente do que enfrentamos no Brasil. Logo mais teremos a matéria completa.




Abraços!!

Índia nas Olimpíadas - Rio 2016

Essa é a primeira vez na vida que torço para dois países.

"Segundo o presidente da Câmara de Comércio Índia Brasil,  Leonardo Ananda, a delegação conta com um número recorde. Serão 90 atletas de 11 modalidades (atletismo, badminton, boxe, ginástica artística, hóquei sobre grama, levantamento de pesos, luta olímpica, remo, tênis de mesa, tiro com arco e tiro esportivo).

Os indianos conquistaram o maior número de medalhas em uma única edição dos Jogos: seis medalhas, sendo duas de prata e quatro de bronze. Além disso, Sushil Kumar, da luta livre (categoria até 66 kg), se tornou o primeiro esportista do país a conquistar duas medalhas olímpicas em Olimpíadas diferentes. O atleta, que fora bronze em Pequim 2008, foi prata em Londres 2012.

Com uma delegação cada vez mais numerosa, a Índia espera superar novamente o seu desempenho. Além da expectativa por um alto número de pódios, o país quer voltar a conquistar uma medalha de ouro, o que não ocorre desde Pequim 2008, quando o atirador Abhinav Bindra ganhou a prova de carabina de ar 10 metros".






Abraços!!