Café com Chai

Observações de uma brasileira sobre a cultura indiana.

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Como são feitas as pulseiras indianas

Um trabalho que exige talento e dedicação. Ao assistir os vídeos posso dizer que dou ainda mais valor a  a cada detalhe que não foi deixado para trás, a cada gota de suor. 


Pulseiras de vidro:

Acrílico:

Karas:


E haja mulher para usar tanta pulseira, hein!

Beijos!!!

domingo, 25 de novembro de 2012

Assista Logo! Filme Proibido na India - Oh My God!

Acredita-se que esse filme corre o risco de ser retirado do youtube por motivos religiosos e políticos na India, pois sua exibição nos cinemas foi proibida. Então não percam a oportunidade de assistir a verdade.

Sim, é verdade que a India é o país da espiritualidade, deuses, gurus, santos, sadhus, mahatma´s e devotos.

A India é o país da espiritualidade, mas os indianos não são espiritualizados. Entendeu?

Apesar disso também é uma verdade que na India algumas pessoas tornam uma pessoa normal como um deus. Infelizmente muitos se aproveitam disso e fazem da religião uma profissão, apenas querem fazer dinheiro em cima da fé de outras pessoas. 

Por isso coloquei esse filme aqui a pedido de meu marido, a fim de informar as pessoas a não seguirem qualquer um que se diz religioso.

O que são os santos? Santos são aqueles que não tem intenção de tomar dinheiro de você. Não fazem nada em troca de favores. Eles vivem para Deus e apenas para Deus. Eles abrem mão do conforto da vida material para uma total dedicação a Deus. Não são pessoas VIP, milionárias ou maharajas. Eles são simples, puros.

De acordo com esse filme, esses tipos de pessoas "sagradas" fazem os outros tolos. Não sigam nenhum tipo de aproveitador em nenhum lugar do mundo nem mesmo na própria India. Meu marido diz: "sejam cuidadosos com esse tipo de pessoa porque eles brincam com seus sentimentos espirituais e seus deuses".

Esse é o principal motivo que meu marido pediu para colocar esse vídeo e pediu para escrever isso a fim conhecimento a respeito de falsos sadhus.


Filme completo - legendas em inglês


De acordo com o filme, os personagens foram inspirados em líderes religiosos idolatrados na India. Na coluna da esquerda, são os personagens do filme. Na coluna da direita são os reais e famosos "santos" criticados no filme, famosos na India seguidos por várias pessoas independente da classe social. Seus seguidores fazem dessas pessoas deuses. Esses "santos" vivem como presidente dos EUA e tem poderes políticos de não autorizar a exibição do filme na India.

Isso não quer dizer que todos são assim da forma que o filme mostra ou tenham más intenções. Existem aqueles que levam uma vida religiosa verdadeira.


Beijos!!


terça-feira, 20 de novembro de 2012

Quando as metades não são iguais

Hoje consegui tempo, inspiração e um pouco de sossego pra escrever sobre algo muito comum entre os casais mas pouca gente gosta de tocar no assunto.

Se eu recomendo casamento entre diferentes culturas? Não recomendo. 

Não estou dizendo que tudo é assim ou assado, do jeito que escrevo aqui, mas quero deixar o meu ponto de vista.

Como eu digo, relacionamento não é manual  e nem tem bola de cristal. Mas uma coisa é importante parar pra pensar em quem se envolve pela internet: na personalidade do seu amor.
Ahh todos eles são carinhosos, românticos, afetuosos, amorosos, respeitam muito, religiosos, etc e tal...isso tudo nós já sabemos! A ladainha é a mesma e eu poderia ficar dias tecendo adjetivos para esses seres do outro lado do mundo. Sim, eles parecem alienígenas, vieram de outro mundo só para corresponder aos nossos corações aflitos e partidos. Parece que eles entendem a gente como nenhum outro poderia entender. Você vira para os outros e diz: "É ele!!" 

Ehhh eu também já disse isso! Mas e na hora que o amorzinho lindo da webcam chega e você vê o que é viver com ele todos os dias de sua vida? Eu pensava que seria fácil!!! Mas não é!! Pode ser pra uma ou outra, assim como também pode não ser. Não importa se a maioria é 100% feliz. O importante nesse caso é a exceção. E o que fazer se seu amor se enquadrar na exceção? Nós achamos que as diferenças culturais são toleráveis, mas com a convivência descobrimos detalhes da nossa personalidade que nem imaginávamos que poderíamos ter.

Tudo parece lindo, maravilhoso. Mas a vida não fica só no idioma e religião. É muito mais que isso. É uma pessoa de carne e osso. Alguém que tem um passado, tem um ponto de vista, teve uma criação totalmente diferente da sua. Alguém que também teve sonhos diferentes, talvez também nunca tenha  imaginado que um dia se casaria com uma estrangeira.

A gente sempre torce pra dar certo. Mas você já pensou no oposto? Se o cara tiver bafo, chulé, não tiver boa higiene. Se o príncipe virar sapo? Eu pensava nisso tudo antes de encontrar meu marido. Me programei para com jeitinho resolver esses probleminhas caso existissem. Graças a Deus não precisei disso, ele se cuida  muito, é cheiroso, vai ao dentista regularmente, etc.. porém tive que me ajustar a uma personalidade diferente da vida virtual que eu não imaginava que seria tão difícil de enfrentar. Não dá pra viver de romantismo 24 horas por dia, ninguém é assim, nem eu! O seu amor de internet não é um bichinho virtual daqueles que a gente dá comida, faz carinho e coloca pra dormir.

E nesse caso não importa o tempo de conversa. Eu por exemplo, conversei com meu marido por 3 anos na internet antes de nos conhecermos pessoalmente. Ele nunca mentiu nada, nadinha pra mim. Hoje vejo que tudo o que ele falou da vida dele sempre foi verdade. Porém até hoje tem coisas que ele me surpreende no quesito convivência, e eu também o surpreendo. Já tive momentos que me senti a mulher mais feliz do mundo, como já houveram momentos que pensei em jogar tudo para o alto.

Mas tem gente que cria uma imagem da pessoa e depois se decepciona com isso. Gente vamos enxergar a realidade. Não existe regra, não dá pra dizer que todos são ótimos maridos ou isso ou aquilo. Não posso dizer "são responsáveis" bla bla bla". Cada um é cada um.

Além do amor tem a personalidade. O romantismo existe, assim como existem os dias de impaciência, manias, superstições. Ele pode ser um homem rude, conservador, sistemático. E se isso acontecer? Você está preparada para lidar com isso? Casamento para eles é algo pra vida toda. Até o casal tomar uma decisão favorável para os dois, tal qual uma separação, o caminho poderá ser longo e espinhoso.

 Eu que nunca fui casada antes e sem filhos já precisei me transformar na Xena (denunciei minha idade agora rs) em determinadas situações, então aconselho você que tem filhos, ou alguém que dependa de você, a pensar 10 vezes mais antes de entrar de cabeça num relacionamento assim. É um tiro no escuro.

Vale a pena? Se você estiver preparada para amadurecer e não se iludir. Se você entender que príncipes não existem e perceber que já é hora de acordar do sonho de Cinderela. O que existe é um homem de carne e osso com muitas qualidades e também muitos defeitos.


 Estou sempre aqui com energias positivas pra vocês, mas também não quero tirar seus pés do chão!

Beijos!!








sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Vida Real

Gente, depois venho com mais tempo escrever tudo o que penso milhares de vezes por dia mas chega na hora esqueço rs

Uma coisa é importante falar hoje...as dores e as delícias de uma vida real.
Quando você está na net, tudo parece mais fácil. As dificuldades são um grãozinho de areia no deserto. Mas quando está na vida real tudo toma proporções diferentes.

Graças a Deus meu marido voltou da viagem, e agora é hora de viver a nossa realidade e não apenas as conversas pelo telefone ou messenger. Ele precisou viajar às pressas e agora estamos novamente na luta de arrumar emprego fixo para ele.

Tenho dedicado meu tempo integral a ele, principalmente pra não cair na rotina pois essa experiência já tivemos no início da relação e não foi fácil.

 Recomendo muito esse texto   aqui.do blog "Manual(Quase)Prático".

Beijos!!!





sexta-feira, 2 de novembro de 2012

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Tornozeleira Indiana

Jhanjar ou Jhanjran é o nome dado para a tornozeleira punjab.  Tornozeleiras e anéis de dedo, historicamente, têm sido usados ​​há séculos por meninas e mulheres na Índia. 

Em português pronuncia-se Jan Jaran.

Elas também foram usadas ​​pelas mulheres egípcias nos tempos da pré-dinastia. 

Nos Estados Unidos, o par de tornozeleiras casuais e formais tornou-se moda no final do século XX. 

Na cultura popular ocidental homens mais jovens e mulheres podem usar tornozeleiras de couro ocasionais ( populares nas regiões litorâneas) e tornozeleiras formais de prata, ouro, ou pérolas são usadas ​​por mulheres como jóias de moda no ocidente em somente um tornozelo.  

Na India, elas são uma parte importante das jóias da noiva, usadas junto com os saris ou salwar kameez. Mas também é um símbolo de feminilidade da mulher punjab.




Há muito tempo atrás a tornozeleira foi feita com a intenção de limitar os passos. Esta prática foi prevalente no Sudeste da Ásia, onde o efeito era dar um ar mais feminino com passos pequenos. Hoje algumas mulheres ocidentais seguem esta prática, mas raramente em público. Muito raro encontrar pessoas que ainda têm ' tornozeleiras permanentes' soldadas.



As mulheres do Rajastão usam um tipo mais pesado de tornozeleiras, elas são de prata e significam a qual "tribo" pertencem. As mulheres usam como bijuterias, mas também para mostrar a sua bravura como uma tribo contra outras tribos rivais. A moda das tornozeleiras pesadas ​​está em declínio na Índia,  mas ainda é comum nas áreas rurais.


A palavra  jhangheer  quer dizer tornozeleira em hindi e punjabi. Jhangheer significa corrente/cadeia. Isto é significativo na medida em que a tornozeleira era uma "corrente" que a mulher usava em seu casamento. Algumas das tornozeleiras eram pesadas ​​e difíceis de andar, por isso recebeu esse nome. 

Tornozeleiras metálicas são de dois tipos - flexíveis e inflexíveis. As flexíveis, são muitas vezes chamadas de paayal, pajeb ou jhanjhar na Índia. Muitas tem aqueles sininhos de modo que fazem sons agradáveis ​​ao andar. 

O som era também um lembrete para avisar as pessoas que havia uma mulher por perto, durante os tempos de Purdah (ato das mulheres cobrirem o rosto e corpo com a burca, niqab, dupatta ou ghoonghat, por exemplo).

Alguns modelos são adequados para serem usados diariamente. São mais leves e mais finos, mas sempre com muitos sininhos como estes abaixo.





Tornozeleiras inflexíveis muito antigas. 




Dourada ou Prateada?

As tornozeleiras indianas são na maioria prateadas. Os indianos não tem o costume de usar dourado nos pés. Eles acreditam que o ouro é símbolo de riqueza portanto não pode ficar perto do chão (isso depende de cada região, no Punjab por exemplo, esse pensamento prevalece). No dia do casamento algumas noivas até usam tornozeleiras feitas de ouro, mas no dia-a-dia as mulheres preferem as prateadas.


Salangai ou Ghunghru/ Ghungroo é o nome dado aos pequenos sinos que os bailarinos amarram nos tornozelos. No caso dos bailarinos, os sininhos são usados em maior quantidade do que a tornozeleira normal. 
Esse um  modelo próprio para dança.










Esquerda ou direita?

Na Índia, as tornozeleiras são usadas ​​em ambos os tornozelos. 

Qual seu significado?

São simplesmente usadas como enfeite sem conotação sexual. Não é enfeite de prostitutas, mulheres que dançam no harem, bla bla bla..nada disso.  

Sempre retratam a tornozeleira como o enfeite mais desejado pelas mulheres. Geralmente ganham como presente de casamento. É o sonho de toda indiana ganhar de presente do marido e que o marido coloque nela! Geralmente a tornozeleira não fica visível pois a calça (salwar) acaba cobrindo os tornozelos, por isso o som dos sininhos mexem com a imaginação masculina..rs

Inclusive as deusas indianas costumas aparecer em pinturas usando tornozeleiras. As mulheres na Índia vestem e se enfeitam da forma que uma deusa indiana se veste, com tornozeleiras, pulseiras, anéis, bindi, etc

Para os indianos, o ato de tocar os pés é um ato de muito respeito. Só fazem isso para cumprimentar alguém mais velho. E nesse caso é uma exceção do marido ao colocar as tornozeleiras na esposa. O que para muitos de nós ocidentais só de pensar em calçar os sapatos em alguém nos traz uma imagem submissão, para o homem indiano, tocar os pés de uma mulher também é submissão. E é nessa exceção que ele se coloca aos pés da esposa, o que demonstra carinho e respeito. É o sonho de toda indiana viver esse dia, mas não é uma regra. 




A tornozeleira é considerada algo delicado, feminino. É a marca da mulher indiana, beleza, inocência e inspiração de dezenas de músicas e filmes.










beijosss







Deusa Durga


Durga é uma popular deusa hindu chamada pelos indianos de Mata Ji, que significa mãe. Mata = Mãe/ Ji=  sufixo que indica respeito.

A saudação a ela é  "Jai Mata Ji"

Ela é descrita com múltiplos braços (alternadamente, até 18) carregando várias armas e montando um leão ou tigre feroz. Ela é frequentemente retratada matando demônios, particularmente Mahishasura, o demônio búfalo.

 Para os devotos, Durga é por vezes comparada com Mahadevi, a Deusa Suprema. Seu triunfo sob o Demônio búfalo é um episódio central da Devi escritura Mahatmya. Sua vitória é comemorada anualmente nos festivais de Navaratri e Durga Puja.
A deusa Durga mostra o poder feminino combinado com energia de todos os deuses.  Cada uma de suas armas foram dadas a ela por vários deuses: tridente de Rudra, disco de Vishnu, o raio de Indra, kamandalu Brahma, Ratnahar Kuber, etc

De acordo com uma narrativa na história Mahatmya Devi do texto Purana Markandeya, Durga foi criada como uma deusa guerreira para combater um demònio chamado Mahishasura. Brahma tinha dado Mahishasura o poder de não ser derrotado por ninguém do sexo masculino. O demônio  desencadeou um reinado de terror na terra, e ele não poderia ser derrotado por qualquer homem ou deus, em nenhuma hipótese. Os deuses eram impotentes. Shiva, percebendo que nenhum homem ou deus (masculino) podia derrotar Mahishasura, fez um pedido à sua esposa Parvati para assumir o papel de um guerreiro do sexo feminino, a fim de matar o demônio. Parvati atendeu ao seu pedido e foi  assumir o papel de um guerreiro.

 Enquanto isso, os deuses foram pedir ajuda a Brahma. Para salvar o mundo, Vishnu, Shiva e todos os deuses emitiram ferozes feixes de luz de seus corpos. O mar de luz cegante chegou até Parvati e Durga surgiu a partir deste raio de luz. Ela se apresentou dizendo que era a suprema forma feminina de Brahman (Prakriti) que criou todos os deuses. Ela veio para lutar contra o demônio e salvar os deuses. Eles não criaram ela, pois ela saiu de sua energia combinada. Os deuses foram abençoados com a sua compaixão.

Para combater o demônio, Durga apareceu de uma uma intensa luz ofuscante. O demônio Mahishasura tinha gravemente subestimado ela, pensando: "Como uma mulher pode matar aquele que derrotou a trindade dos deuses?". No entanto, Durga caiu na gargalhada, o que causou um terremoto que fez Mahishasur consciente dos poderes dela.

E o Mahishasur começou a mudar de forma muitas vezes. Primeiro, ele era um demônio búfalo, e ela derrotou-o com sua espada. Em seguida, ele mudou as formas e se tornou um elefante que amarrado ao leão da deusa e começou a puxá-lo para ela. A deusa cortou seu tronco com sua espada. O demônio Mahishasur continuou aterrorizante, tomando a forma de um leão, e, em seguida, a forma de um homem, mas ambos foram  mortos por Durga.

Então Mahishasur começou a atacar uma vez mais, começou a ter a forma de um búfalo novamente. A deusa ficou muito irritada. Quando Mahishasur surgiu em sua forma de búfalo, ele foi paralisado pelo emissor de luz extrema do corpo da deusa. A deusa então vinha abaixo com risos, antes de cortar a cabeça Mahishasur com sua espada.

Assim Durga derrotou Mahishasur.

Mata Durga também é conhecida como Mahishasurmardhini (a matadora de Mahishasur). De acordo com uma lenda, a deusa Durga criou um exército para lutar contra as forças do demônio-rei Mahishasur, que aterrorizava o Céu e a Terra. Depois de dez dias de combates, o exército de Durga  derrotou Mahishasur e o matou. Como recompensa por seus serviços, Durga deu ao exército o conhecimento na fabricação de jóias.

A espada e o tridente são suas armas mais comuns.

*curiosidade: uma vez perguntei ao meu marido porque ela tem vários braços. Ele disse que é uma forma de mostrar que ela pode estar em vários lugares ao mesmo tempo. Se é essa teoria "oficial" eu não sei, mas faz sentido, então tá né!








108 nomes de Durga









Nos próximos posts vamos conhecer a trindade de deusas Lakshmi, Kali e Saraswati. 
Acreditam os indianos que elas são extensões da deusa Durga.
Lakshmi

Kali

Saraswati