Café com Chai

Observações de uma brasileira sobre a cultura indiana.

terça-feira, 5 de novembro de 2013

Pergunta de uma leitora

"Queria uma opinião sua! Acho que é quase unânime entre todas que comentarem aqui, o fato dos indianos fazeram a proposta de casamento logo no início. Isso me deixa em dúvida.... Pensar que se ele tivesse encontrado alguma outra menina uma semana antes de me conhecer, o pedido teria sido feito a ela, e nao a mim. Pensar que ele poderia ter escolhido qualquer uma para casar, contanto que fosse decente. Me deixa triste pensar que, talvez, ele não me escolheu porque eu era especial e realmente AQUELA com quem ele queria estar.. E que o mesmo amor que ele entrega a mim agora, ele poderia entregar a qualquer outra mulher que parecesse boa.
O que você acha? Não sei se consegui passar a ideia direito.. "


Dia desses me deparei com uma pergunta interessante que uma leitora fez no blog e achei melhor responder em uma postagem. 

De fato, os homens indianos, paquistaneses, árabes propõem casamento de uma forma rápida. Isso porque não existe namoro na cultura deles.  
Quando estão na idade certa para casar, os preparativos se iniciam, o casamento acontece, e a intimidade só ocorre depois do casamento.
Apesar da modernidade, essa é a regra na sociedade indiana e vou fazer uma comparação, sei que parece chato comparar mas acho importante ver os dois lados da moeda:

Homem indiano
O homem indiano se casa com a "certeza" de que a mulher nunca foi de ninguém, nenhum homem a tocou. Isso faz ele se sentir especial.
É uma sociedade machista que controla muito a maneira da mulher viver. 

Muitas vezes isso gera desrespeito por parte desses homens quando eles se casam com mulheres estrangeiras, porque hoje em dia na nossa sociedade é comum a mulher namorar , ter intimidade com o namorado e só depois casar. Se porventura houver incompatibilidade no namoro cada um vai para um lado e assim ela e o rapaz recomeçam a vida e se entregam a um novo amor.

Isso pode acontecer com qualquer um, você pensa que encontrou uma pessoa legal, que a pessoa é séria, se declara, imagina uma vida a dois e de repente tudo acaba. 

É muito difícil para um indiano compreender a forma que os países ocidentais lidam com a sexualidade, ele dificilmente vai entender porque a mulher não foi só dele, por que ela não soube esperar, porque se entregou a outro homem antes do casamento, porque se apaixonou por outro, porque beijou outro antes de se casar.. 

Sim, eles aceitam se casar com estrangeiras, mas no íntimo eles pensam desse jeito, mesmo que não demonstrem, porque é dessa forma que eles cresceram, é dessa forma que eles foram ensinados e é assim que eles pensam sobre uma mulher.

 No país dele todo mundo sabe que vai se casar perto de certa idade, porque  a maioria dos casamentos são arranjados então isso é quase que uma certeza e um dever na vida deles. Eles cresceram ouvindo falar em casamento, dificilmente eles ouviram falar em namoro.

Para os indianos o amor de verdade vem no dia-a-dia com o casamento, às vezes vem depois de anos de casados. É muito diferente. Não é porque ele propôs casamento a uma mulher que na mesma hora ele entregou seu amor a ela. O amor do homem oriental na maioria dos casos vem com a convivência. Ele só assume o amor pela mulher e a faz se sentir realmente especial quando ela se torna sua esposa.



Duda encontrou um novo amor depois de ser deixada por Raj






















Os indianos deixam a paixão chegar aos poucos, e é depois do casamento que um vai fazer o outro se sentir especial para manter a chama acesa. Eles dizem que se você fizer tudo antes do casamento a curiosidade vai acabar e a rotina vai chegar mais cedo na vida do casal, resultado de muitos divórcios no ocidente.

Se a gente comparar vai ver que um indiano pede várias moças em casamento, mas isso é da cultura dele.  Existe até agência que faz cadastro para ajudar a encontrar o par ideal. Se a moça ou a família não aceita, o rapaz propõe casamento a outra, mas isso não quer dizer que ele não amará a garota que ele escolheu para ser sua esposa.

Homem brasileiro
Já o homem brasileiro é a mesma coisa, ele tenta um relacionamento, e se não der certo ele parte pra outra: namora com uma mulher, ou fica sem compromisso.. se o sexo não for bom ou ele enjoar dela ele termina, some ou parte para outra. Ás vezes ele só está com a mulher pelo corpo dela, porque é gostosa ou qualquer outro adjetivo, ou seja, o fato do brasileiro namorar ou dormir com uma mulher também não quer dizer que ele a ame ou que ele ficou com ela porque ela é especial.

Aqui no ocidente o homem se sente livre para escolher e trocar de parceira quando bem entender ou estiver de "saco cheio", dando assim o direito à mulher de agir da mesma forma, o que permite que muitos homens e mulheres tenham tido durante a vida de solteiro mais de um relacionamento até o casamento chegar.

A maioria dos jovens não sabem se um dia vão encontrar o amor verdadeiro e casar. As pessoas costumam deixar a vida conjugal na "mão do destino" ou "nas mãos de Deus" para que Ele coloque a pessoa certa caminho, que tenha algum diferencial,  totalmente diferente da cultura indiana.

Aqui no Brasil algumas pessoas costumam ter intimidade depois de uma balada mesmo não achando o parceiro tão especial a ponto de se tornar um futuro marido ou futura esposa. 

Nosso país é diferente, a paixão arrebatadora ocorre antes do casamento, às vezes nem paixão existe, é comum o rapaz sair com a garota para se divertir e aos poucos ele vai se envolvendo com ela. O pedido de namoro nunca vem primeiro. Se um brasileiro tentar explicar que saiu numa noite com uma garota e aconteceu algo mais porque rolou um tesão, os homens indianos nunca vão entender. Eles vão pensar: "Como é possível, uma mulher entregar seu corpo a outro homem antes do marido?? Como é possível um casal fazer isso sem ser casado?" 

Por outro lado, nós também não conseguimos entender como os indianos pedem alguém em casamento como se diz "bom dia". Nós pensamos: "Como ele pode propor casamento a várias mulheres antes de chegar até mim?? Como ele propõe casamento a uma mulher que ele nunca viu na vida? Como ele propõe casamento a uma mulher somente porque ela é decente, mas não por que a ama?? Então eu sou apenas uma mulher decente, não sou especial?"   


Conclusão

Devemos usar o bom senso, casamento é uma coisa séria, se o homem propõe casamento a uma mulher diferente a cada semana, algo errado pode existir na intenção dele mas o que podemos dizer dos homens aqui no Brasil que terminam um namoro de anos luz e na outra semana já estão na balada saindo e dormindo com outra mulher??

Ao meu ver, sexo também é coisa séria, mas vocês já perceberam que os rapazes aqui saem com várias garotas sem compromisso?
Então quer dizer que todo o prazer, romance e atração que ele deveria sentir pela futura esposa ele sentiu por outra mulher primeiro? Será que por esse motivo a futura esposa deixará de ser especial? Ou será que tudo o que ele deveria sentir pela esposa ele sente por outra?  Por que nós aceitamos isso?

Uma coisa é simples: o indiano vai atrás da mulher decente ou com passaporte promissor. O brasileiro vai atrás da mulher gostosa (sim, temos as decentes também) mas todos os homens tem seus ideais e princípios. Cada um busca aquilo que mais lhe convém e que melhor lhe satisfaça.

O homem indiano pode pedir várias mulheres em casamento desde que elas preencham os requisitos (ser bonita, boa dona-de-casa, boa filha, decente, estudiosa) até que uma delas diga "sim" e as famílias não tenham objeções.
O homem brasileiro faz o "test drive" com várias mulheres que também preenchem seus requisitos ( bonita, sexy, dama na sociedade e pta na cama, independente_ que não dependa do dinheiro dele porque para os brasileiros gastar $Dinheiro com mulher é uma coisa e sustentar uma mulher é outra) até que uma delas seja a ideal.

A diferença cultural muitas vezes está na forma de pensar e não apenas na forma de comer, falar ou  vestir. É extremamente complicado porque quando isso acontece em um relacionamento intercultural  ambos (o casal) pensam que estão certos e dificilmente um dos dois dá o braço a torcer para aceitar o que é "correto" ou aceitável na cultura do outro. Sempre o indiano vai pensar que a cultura dele é certa e a gente vai pensar que a nossa também é.  

Entendo que a mulher ocidental em alguns casos não se sinta tão especial porque na maioria das vezes o indiano quer apenas uma mulher decente para se casar, nem sempre ele se casa com uma paixão arrebatadora e o rapaz indiano também não se sente sempre especial porque a esposa estrangeira pode ter tido algum namorado ou algum caso antes dele.

 Esse é um dos maiores desafios em relacionamento intercultural. Cada um tem uma história de vida, uma experiência, uma bagagem, uma criação e uma forma de pensar. E cabe a cada um adaptar essas diferenças na vida familiar, no dia-a-dia sem entrar em conflito, sem lamentar águas passadas. O amor é infinito e essa é uma das maiores virtudes dele! 


Não sei se consegui me fazer compreendida e me desculpem por alguns erros pois não fiz revisão do texto, escrevi diretamente sem rascunho nem nada. 
Beijos!!

5 comentários:

  1. Otimo post, Star!!!Assino embaixo!É muito fácil criticar ou julgar a cultura alheia, mas muitas vezes não percebemos o quanto a mulher é desvalorizada no Brasil e não passa de um mero objeto. No Brasil, eu nunca namorei, já que os meninos todos queriam só sexo e eu não estava a fim de ter apenas uma experiência sexual, mas sim um compromisso e casamento. Acho que cada um encontra a tampa certa para a sua panela, né? Não sou indiana e não sei como funciona a mente de uma em relação a se casar com alguém que nunca viu o viu poucas vezes, mas eu vejo pela minha sogra e cunhada, que são bem "indianas" e vivem bem felizes com meu sogro e meu cunhado. Tudo depende de como você foi criado e seu parâmetro de felicidade. Um beijo!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Juliana!! Sim, o problema aqui é exatamente a falta de compromisso, eu sempre tive dificuldade em encontrar quem quisesse algo sério aqui no Brasil. Os homens não acreditam mais em relacionamentos sérios, e as mulheres que acabam sofrendo com isso, principalmente quem é contra esse feminismo exacerbado que vemos por aí, dizendo que a mulher pode tudo sem compromisso. Mas.. e quando queremos compromisso, como fica??
      Gostei da sua colocação, também acredito que tudo depende do modo que a pessoa foi criada. Vejo pela minha cunhada que teve um casamento arranjado e leva uma vida normal e feliz.
      O problema do namoro é o desgaste emocional na fase mais importante do jovem, pois enquanto o jovem deveria se preocupar em ter um bom trabalho e estudar.. ele se preocupa com fofocas em redes sociais, com ciúme, com brigas, términos de relacionamentos etc.
      Beijos!!!!

      Excluir
  2. O Brasil a mulher e realmente muito desvalorizada, mas é porque o valor da família tem caído muito, a falta de valor da mulher aqui é uma escolha própria da mulher. Eu por exemplo, estou me guardando para a pessoa certa, quero me casar virgem, também não fico por ai beijando e namorando um e outro, estou aguardando o homem que o Senhor escolheu pra mim, tenho valores cristãos e também familiares. O Brasil é um pais muito livre pra escolhas, dou graças a Deus por isso, não temos uma cultura tão marcada, mas isso pode afetar um país de forma positiva e também negativa, nesse lado, isso tem nos afetado de forma negativa. As pessoas de fora, geralmente tem um julgamento muito 'sexual' sobre o Brasil, sempre somos relacionados a mulher gostosa e oferecida, eu não gostaria que nossa cultura tivesse isso tão marcado, mas o que eu posso fazer é escolher um outro caminho, para ter uma vida familiar diferente, mas é triste pensar que alguns que querem se preservar e esperar até o casamento, tem começado a sofrer preconceitos por causa de suas escolhas. O que eu posso fazer é mesmo orar pelo meu país, pra que esse conceito mude.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você está certa em acreditar em suas escolhas e não se deixar levar por preconceito. Realmente as pessoas confundiram liberdade de escolha com banalização. Não deveria ser assim, pois se um rapaz diz que é virgem ou que está se guardando para o casamento as pessoas dão risada e o ridicularizam. Na nossa sociedade os valores estão invertidos. Eu acredito que a televisão escravizou a sociedade brasileira, novelas só mostram brigas de casais, os programas de tarde de domingo só mostram mulheres de shortinho rebolando na TV, Panicats quase peladas na tv, isso vem desde a época do "banheira do Gugu", testes de fidelidade, danças pornográficas do É o Tchan e Cia...agora a moda é quadradinho disso, quadradinho daquilo..isso caiu no gosto do brasileiro infelizmente, que permitiu esse monopólio de vulgaridade.
      Eu também gostaria que o conceito do nosso país mudasse.
      Abraços!

      Excluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir