Café com Chai

Observações de uma brasileira sobre a cultura indiana.

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Carne Halal e Carne Jhatka

Quando vamos ao Mercado Municipal aqui em São Paulo, é muito comum nos oferecerem carne halal.  Mas quando meu marido diz que não precisa porque ele não come carne halal as pessoas ficam sem entender, e perguntam, como assim? Isso se dá ao fato de que na região que moramos a comunidade muçulmana é muito maior do que a comunidade sikh. Mas ao contrário do que muita gente pensa os indianos sikhs (também hindus) não comem carne halal.   

Então pensei em escrever sobre isso, não quero mostrar o que é melhor ou não. Quero apenas mostrar o que é permitido ou não no sikhismo e por quê.

Da mesma forma que você pode ouvir de um muçulmano "é carne halal?" você poderá ouvir de um sikh (ou hindu) "é carne jhatka?"

 A carne halal é a carne abatida nos moldes islâmicos. Os sikhs são proibidos de comer carne halal, de acordo com o Código Oficial de Conduta Khalsa, porque é considerada uma forma cruel. Os sikhs só podem comer a carne abatida  chamada jhatka, ou seja, é o animal abatido sem rituais, sem sangrias ou sem qualquer outra forma de abate que cause longo sofrimento ao animal. 

Jhatka é a carne consumida pelos hindus e sikhs.

O 'Código de Manu "(em torno de 1500 a.C), um livro de leis Hindus dá as regras de dieta. Ele descreve o sacrifício ritual de animais específicos e a ingestão da sua carne para determinados fins.
O abate de forma lenta como halal (exceto para rituais) foi fortemente condenado, com igual culpa sobre o abatedor, açougueiro, cozinheiro, e quem se alimenta. De acordo com o Código, o  animal deveria ser abatido de forma instantânea.

Séculos se passaram e hindus pararam de comer carne. Castas superiores (especialmente brâmanes) tornaram-se vegetarianas, os indianos de casta inferior (Shudras) passaram a comer qualquer coisa que estivesse disponível.

Quando os muçulmanos passaram a governar a Índia trouxeram o abate Halal baseado no Quran. Os governantes muçulmanos não permitiam outro abate que não fosse Halal.
O Guru Gobind Singh  viu um problema com a prática de Halal e argumentou que o ritual religioso não faz bem a qualquer animal ou matadouro. Deixou um homem satisfazer sua fome por carne se ele assim o desejar. Gobind Singh tornou a carne Jhatka  obrigatória para Sikhs que desejavam comer carne. Comer carne tornou-se uma escolha pessoal para os Sikhs.

Hoje, a carne Jhatka  é aceitável pelos Sikhs e, em seguida, os hindus. 
Não há nenhum ritual religioso envolvido com Jhatka.

Akali Takht emitiu seu último Hukamnama (decisão) em 1980 permitindo aos Sikhs se alimentarem de carne, desde que o animal fosse abatido de acordo com Jhatka.

Abraços!


12 comentários:

  1. Ai que difícil é tantos detalhes até para comer precisa estudar história e origens, ser vegetariana acho que se torna mais fácil, só. de ler o texto e imaginar a morte do animal já sinto desânimo até de pensar em um bifé. kkkk abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha é verdade!! Eu nem fazia ideia dessas coisas, a razão disso ou daquilo. A humanidade sempre enfatiza a discórdia todos querem ter razão enquanto poderia ser tudo mais simples! rsrs

      Por isso não entrei em detalhes para explicar e nem coloquei foto nem vídeo, acho desnecessário, também não consigo nem imaginar essas coisas!

      Abraços

      Excluir
    2. Eu não sou vegetariana mas uma coisa eu não faço! Comer carne de um animal que eu vi vivo ou que alguém fale que vai mata-lo pra eu comer, misericórdia , como só a de açougue minha consciência me condena menos haha. Na minha casa eu e meus filhos tem o desejo de se tornarem vegetarianos agora só nós falta a iniciativa e a vergonha na cara ai.

      Excluir
  2. Eu penso como você !
    No meu caso falta vergonha na cara mesmo kkkk Imagine que Incentivo aqui em casa é o que não falta pra deixar de comer carne de vaca! Meu marido perguta qual a diferença não ter coragem de ver mas ter coragem de comer kkk
    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Oi Star, tudo bem?
    Já pensei em ser vegetariana, mas gosto de carne e todos aqui em casa também, ficaria difícil.

    Gosto muito de saber sobre culturas diferentes e gostaria que você falasse sobre como é o parto na Índia, se lá há uma grande demanda de cesárea como aqui, se lá é comum parto domiciliar, qual destino dão para a Placente, etc. Afinal, tudo lá tem um significado não é?!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Mariana!! Acho que definitivamente eu parei de comer carne, eu ia postar um vídeo que parecia muito inocente só explicando a diferença do halal e jhakta, mas ao final eles mostraram em Londres um frigorífico halal e parei de assistir na hora mas o pouco que vi já tive mal estar muito grande. Como aqui em casa só eu como carne acho que fica mais fácil .

      Sobre o parto vou ver o que consigo achar sobre isso mas todas as indianas que conheço e estão tendo bebê estão tendo parto em hospitais normais como aqui e acho que todas tiveram parto normal. Não vi como aqui no Brasil que as pessoas já marcam cesárea como se estivessem marcando hora no salão de beleza. Existe cesárea sim mas não como aqui no Brasil, a maioria ainda prefere o parto normal por dizerem que é mais saudável .

      Mulheres de vilarejo fazem parto em casa mas com ajuda de parteiras, mas o destino da placenta tanto de hospitais quanto dos vilarejos não faço a mínima ideia do destino que levam, assim que eu ficar sabendo virei aqui comentar!
      Beijos

      Excluir
  5. Oi, estou escrevendo uma história com personagens indianos, por isso preciso saber muito sobre essa cultura, poderia informar se o povo da Índia costuma ter muitos filhos? Seis filhos é demais? Não é normal ter tantos filhos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. olá!! Muitas coisas na Índia estão mudando. Hoje em dia tudo depende de que região da Índia você fala. Nas grandes cidades muitas famílias preferem ter no máximo 3 filhos porque sabem das dificuldades que terão com uma família muito grande, na educação e futuro dos filhos. Em áreas rurais e famílias que tem fazendas eles costumam ter mais filhos porque assim eles ajudam no trabalho, cultivo e proteção das terras. Em vilarejo as mulheres precisam ter filhos para mostrar que são saudáveis e o controle de natalidade é praticamente nulo nessas áreas.
      Em grande parte da Índia os métodos contraceptivos não são bem vistos, são ignorados ou até mesmo desconhecidos.

      Ainda existem famílias numerosas mas a geração dos jovens de agora preferem ter menos filhos e investir mais no futuro dele como estudos e trabalho no exterior, por exemplo, para garantir um bom padrão de vida do que ter um monte de filhos e não poder cuidar.

      Excluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Oi, Star!! Tudo bom?? Adorei o tema, viu?? Nao sabia que os sikhs tinham tambem sua maneira de sacrificar o animal. Esse tema coincidiu com o que vou postar amanha, que eh justamente sobre o Bakr-Eid, o festival do sacrificio do cordeiro, realizado pelos muculmanos aqui. Eu sempre aprendi que o metodo halal nao causava quase nenhum sofrimento no animal, mas agora, lendo o seu post, fiquei na duvida. Meu esposo eh veterinario e vou perguntar para ele sobre estas duas praticas. Certamente ele deve ter ouvido falar da pratica sikh, tambem. Obrigada por compartilhar estas informacoes preciosas conosco! Um abraco!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Juliana! Tudo bom e você? Eu também não sabia que isso tinha tanta importância para eles! Como não entendo do assunto seria ótimo se você pudesse sanar essa dúvida com seu marido seria muito bom ouvir a opinião de um profissional. Eu já tentei entender isso, mas existem vídeos e vídeos de muçulmanos e sikhs discutindo sobre isso, todos usam ótimos argumentos, mas até agora foram argumentos religiosos e não profissionais. Então a opinião imparcial de um profissional vegetariano seria perfeita!
      Obrigada!
      Beijos!

      Excluir