Café com Chai

Observações de uma brasileira sobre a cultura indiana.

terça-feira, 29 de setembro de 2015

Ouro, muito ouro!!

Não dá pra falar da Índia sem pensar em ouro! Os indianos são os maiores compradores de ouro no mundo junto com a china. O ouro é o bem material mais importante na vida de um indiano, tanto que eles dizem "no gold, no wedding" algo como "sem ouro, sem casamento".



E por que os indianos gostam tanto de ouro? Porque o ouro é um investimento, nunca perde seu valor além de ser uma forma de passar as riquezas de geração a geração. Aqui no Brasil a mãe repassa as joias à filha. Na Índia, as joias da sogra vão para a nora. Um dia quando eu conversava com meu marido fiz um comentário de alguma coisa que não me lembro o que era, mas me lembro muito bem da resposta dele quando eu disse: "vou guardar isso aqui para quando eu tiver uma filha" e ele respondeu "e para sua nora, você não vai guardar nada??"
www.thisismoney.co.uk

Quando os pais tem uma filha, desde pequena já começam a comprar e guardar para ela peças de ouro, como brincos, pulseiras, colares, para o dia do seu casamento porque além de garantir o respeito da família perante a sociedade, o ouro da noiva é o porto seguro num momento de dificuldade financeira, o ouro é tudo o que a mulher tem como garantia na vida.
www.ibtimes.co.uk

Eu me lembro de uma pesquisa que colocou os indianos em primeiro lugar no ranking mundial como as pessoas que mais guardam o dinheiro pensando no futuro (uma pena que não encontro o link assim que puder colocarei aqui).

Além de ser uma segurança para o futuro, eles acreditam que a joia traz benefícios terapêuticos para quem usa, os astros da pessoa agem em sintonia e a deusa da prosperidade fica feliz, assim a pessoa atrai cada vez mais. Dizem que dinheiro chama dinheiro.  Aqui no Ocidente as pessoas dizem que comprar roupas de marcas internacionais, bolsas, cintos, sapatos da moda é investimento porque são peças que duram anos. Na Índia, você não vê todo mundo com roupas de grife, mas no mínimo um brinco, colar ou anel de ouro. Confesso que antes eu não enxergava dessa maneira, mas do jeito que nosso país está comecei a pensar, num momento de crise o que vale mais: o ouro ou a bolsa?

Na cultura indiana o ouro é prosperidade material e espiritual porque o bolso fica feliz e os deuses também!




Leia mais aqui http://tabibitosoul.com/2015/07/30/os-indianos-e-o-ouro-uma-estoria-de-amor/

Abraços!

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Carne Halal e Carne Jhatka

Quando vamos ao Mercado Municipal aqui em São Paulo, é muito comum nos oferecerem carne halal.  Mas quando meu marido diz que não precisa porque ele não come carne halal as pessoas ficam sem entender, e perguntam, como assim? Isso se dá ao fato de que na região que moramos a comunidade muçulmana é muito maior do que a comunidade sikh. Mas ao contrário do que muita gente pensa os indianos sikhs (também hindus) não comem carne halal.   

Então pensei em escrever sobre isso, não quero mostrar o que é melhor ou não. Quero apenas mostrar o que é permitido ou não no sikhismo e por quê.

Da mesma forma que você pode ouvir de um muçulmano "é carne halal?" você poderá ouvir de um sikh (ou hindu) "é carne jhatka?"

 A carne halal é a carne abatida nos moldes islâmicos. Os sikhs são proibidos de comer carne halal, de acordo com o Código Oficial de Conduta Khalsa, porque é considerada uma forma cruel. Os sikhs só podem comer a carne abatida  chamada jhatka, ou seja, é o animal abatido sem rituais, sem sangrias ou sem qualquer outra forma de abate que cause longo sofrimento ao animal. 

Jhatka é a carne consumida pelos hindus e sikhs.

O 'Código de Manu "(em torno de 1500 a.C), um livro de leis Hindus dá as regras de dieta. Ele descreve o sacrifício ritual de animais específicos e a ingestão da sua carne para determinados fins.
O abate de forma lenta como halal (exceto para rituais) foi fortemente condenado, com igual culpa sobre o abatedor, açougueiro, cozinheiro, e quem se alimenta. De acordo com o Código, o  animal deveria ser abatido de forma instantânea.

Séculos se passaram e hindus pararam de comer carne. Castas superiores (especialmente brâmanes) tornaram-se vegetarianas, os indianos de casta inferior (Shudras) passaram a comer qualquer coisa que estivesse disponível.

Quando os muçulmanos passaram a governar a Índia trouxeram o abate Halal baseado no Quran. Os governantes muçulmanos não permitiam outro abate que não fosse Halal.
O Guru Gobind Singh  viu um problema com a prática de Halal e argumentou que o ritual religioso não faz bem a qualquer animal ou matadouro. Deixou um homem satisfazer sua fome por carne se ele assim o desejar. Gobind Singh tornou a carne Jhatka  obrigatória para Sikhs que desejavam comer carne. Comer carne tornou-se uma escolha pessoal para os Sikhs.

Hoje, a carne Jhatka  é aceitável pelos Sikhs e, em seguida, os hindus. 
Não há nenhum ritual religioso envolvido com Jhatka.

Akali Takht emitiu seu último Hukamnama (decisão) em 1980 permitindo aos Sikhs se alimentarem de carne, desde que o animal fosse abatido de acordo com Jhatka.

Abraços!


quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Eu não pratico o desapego

Um texto meu sem pé nem cabeça, meio lá meio cá...

Vejo um número muito grande de mulheres que admiram e desejam ter cabelos longos, daqueles quase na cintura. Eu fico triste ao ver no youtube o quanto de mulheres que tiveram seus cabelos totalmente danificados por corte químico, quebra e precisaram de uma mudança radical, resultando num cabelo esfarelado, ralo, com pontas finas. Sempre recomendo umectação indiana, reconstrução, hidratação e só. A pessoa não precisa ter um cabelo liso para ser bonito, não precisa ter um cabelo colorido, descolorido, etc. Eu já sofri por isso e só Deus sabe como mexeu com minha autoestima, como gastei horrores para recuperá-lo. Hoje parei de usar química e tantos produtos que alteram sua  estrutura.

Mas nem todas as pessoas admiram um cabelo comprido, ou pelo menos algumas acham que é coisa de mulher submissa ou porque o marido não deixa cortar, etc. As pessoas falam "corta esse cabelo", " tá parecendo crente", "está pagando promessa?" , "brasileira é muito apegada ao cabelo", " cabelo cresce!". Imaginem quando um homem quer ter cabelos compridos, então! 

Por que esto falando isso? Eu sou muito apegada ao meu cabelo e não me perguntem de onde isso veio porque nem eu sei responder.  Tem pessoas que não contratam um homem ou mandam ele embora porque tem os cabelos longos. Tem profissionais que também criticam nós mulheres que gostamos de cabelos compridos, dizem ser fora de moda. 

Tem gente que diz que é besteira ter apego ao cabelo porque isso significa medo de mudanças. Não concordo, e eu rebato essa crítica que ouvi a vida toda:  acho  importante você ter apego e gostar de algo que existe em você. Eu já acho que aquelas pessoas que dizem não terem apego a nada podem não ter uma personalidade definida ou tem alguma dificuldade de cultivar sentimentos ou até mesmo demonstrar as emoções, por isso estão em constantes mudanças, ou seja, aquilo que a gente é por dentro muitas vezes exterioriza. Sinceramente, eu tenho medo de pessoas que se dizem "desapegadas". O que esperar de quem não pode cultivar um amor, uma amizade. Parece que a pessoa cria uma armadura fria contra uma possível decepção. 

Já parou pra pensar que a primeira coisa que a maioria das mulheres fazem ao passarem por uma grande decepção amorosa é mudar o visual? Quem nunca? Isso mostra a necessidade de mudar aquilo que está dentro dela, é uma forma de exteriorizar sua luta interna para se estabilizar emocionalmente, e se sentir renovada.  Quando estamos mais equilibrados e com uma boa autoestima não temos a necessidade de exteriorizar nossas emoções com tanta frequência. 

É natural do ser humano se apegar àquilo que tem algum valor seja emocional ou material, então porque é politicamente correto dizer que uma pessoa não deve se apegar a nada?   Então não devemos nos apegar à família, ao trabalho, ao parceiro, ao nosso corpo? Por que uma pessoa que está sempre mudando o visual radicalmente é considerada jovem e moderna enquanto uma mulher de cabelo comprido é considerada antiquada e um homem com cabelos longos é inaceitável na sociedade e mercado de trabalho?  Por que isso causa temor ? 

Ter apego não significa  domínio, não é carência, submissão ou dependência. Apego significa afeto, carinho, fidelidade,  cuidado.

Hoje em dia é bonito dizer que não nos apegamos a nada. É bonito exigir isso dos outros dentro das empresas, nas escolas, na rua. Mas talvez o que falta no mundo seja exatamente o contrário:  apego à família, ao próprio corpo, ao trabalho, ao próximo, ao amor, a Deus.

Abraços


Eles só falam inglês!

Uma das maiores dificuldades para quem está aprendendo inglês é compreender o idioma com sotaque. Me lembro da primeira vez que vi um vídeo indiano no youtube e pensei "isso é inglês?" porque eu não entendia nada! Eu tinha aquela visão do hindi como algo mágico, milenar e pensei que seria necessário eu aprender o idioma. Mal sabia que a  coisa mais  difícil seria ouvir alguém conversar  em hindi quando o inglês é considerado o idioma universal. 

Com o passar do tempo a gente passa a compreender os diferentes sotaques e identificar quando é um russo, chinês, brasileiro, etc. Sobre o indiano, eu só consigo diferenciar quando é indiano de Delhi/Mumbai e Punjab. Quando escuto algum indiano aqui no Brasil falando inglês percebo que aqueles que são do Sul da Índia falam mais baixo e uma pronúncia fácil de compreender. Quando vem de cidade grande como Mumbai ou Nova Delhi eles tem um inglês mais voltado para negócios, falam alto e gostam de usar expressões americanas ou gírias. Quando é Punjabi, bom... eles falam punjabi! Na verdade uma parte dos indianos do Punjab não querem que o idioma se torne esquecido devido a grande preferência das pessoas usarem o inglês hoje em dia. Lembro que há uns dois anos atrás fui num restaurante indiano, e uma mesa estava cheia de indianos, acho que tinha uns 10 entre homens e mulheres. Eles falavam alto, riam, se divertiam. O idioma? Inglês.

 Esse ano, estava em outro restaurante indiano, mais uma mesa cheia de indianos e o idioma entre eles? Inglês! 

Nesse dia marido virou pra mim e disse "não entendo porque os indianos quando estão juntos não conversam mais em hindi, hoje em dia até entre eles só falam inglês sendo que o hindi é a língua materna, todas as casas falam hindi".

Também não sei!

Quando algum indiano vê que entendo algumas coisas em hindi ou punjabi eles ficam chocados como se o código tivesse sido decifrado! Dá uma sensação muito boa! Mas só não podem saber que não sei ler nem escrever um pingo !

Aproveitando o gancho, conheça os diferentes sotaques dos indianos, achei muito interessante esse vídeo:


Abraços!


Comédia - Indians (Gabriel Iglesias)

Para descontrair!!

Abraços!

terça-feira, 15 de setembro de 2015

Os Heróis de Dubai,Qatar, Bahrain, Arábia Saudita..

Tudo bem com vocês? Depois de um tempo sem colocar nada novo aqui, peço desculpas pela ausência. 
Não quero bancar a boa samaritana, quem acompanha o blog sabe que sou imparcial, mas não aguento ver tanta generalização por aí a respeito dos indianos. Algumas pessoas que passam por desilusão amorosa saem fazendo todo tipo de crítica. Não estou aqui para contestar nada nem desmentir ninguém porque cada pessoa passa por uma experiência. Mas não acho certo fazer campanha contra um povo e menosprezar determinada nacionalidade.

Tudo o que envolve relacionamento amoroso é um risco. Pessoas que tentam tirar vantagem das outras na internet estão em todo o lugar inclusive no Brasil mas não podemos generalizar a ponto de instigar o ódio como vejo acontecer num blog ou outro.

A maior qualidade que tenho para falar do povo indiano é: um povo trabalhador. Tirando aquela porcentagem que não tem oportunidades na Índia por isso passa o tempo livre na internet, o povo indiano que sai do país está sempre na luta por um trabalho e é sobre isso que eu quero falar hoje. Vocês já viram aqueles prédios monumentais dos países árabes???
Já viram aqueles prédios de Dubai? Arábia Saudita, Qatar, Bahrain, Kwait??? Mais de 75% dos trabalhadores que constroem aquelas beldades são indianos, paquistaneses, nepalenses, idosos, jovens, que trabalham debaixo de sol de 50 graus, sem moradia e salário justo.
Essa é minha simples homenagem àqueles que deixam seu país em busca de dignidade.

Você quer saber quem realmente são esses homens?  Assista o vídeo: 




http://www.theguardian.com/world/2014/dec/23/qatar-nepal-workers-world-cup-2022-death-toll-doha  









Abraços!

segunda-feira, 7 de setembro de 2015

Sikhs ajudam refugiados

Sempre menciono no blog que o principal trabalho de um sikh é  a caridade e o esforço em acabar com diferenças de casta, cor, raça e religião. Ek Om Kar significa Deus é um só. Por isso o slogan "ONE". Se você quer conhecer mais sobre a filosofia de um ensinamento sikh sugiro que assista. Eu chorei quando assisti o vídeo. Que situação nosso mundo está.




Fundada em 1999, Khalsa Aid é uma organização internacional sem fins lucrativos, ajuda baseada nos princípios sikhs de serviço e amor universal. Khalsa Aid é uma Instituição britânica registrada (# 1080374) com a UK Charities Commission ( Comissão de Caridades do Reino Unido) e também tem voluntários na América do Norte e Ásia. Khalsa Aid tem prestado ajuda de emergência às vítimas de catástrofes, guerras, e outros trágicos acontecimentos ao redor do mundo.


  No início de julho, Khalsa Aid ajudou na saída de Punjabis do Iraque. É de se esperar que os esforços de Khalsa Aid no Iraque ter parado naquele ponto, mas não, eles enviaram Ravinder Singh, CEO da KhalsaAid para ajudar os refugiados.

Ravinder Singh,  é um sikh, mas considera que seu dever é ajudar a todos os que estão em necessidade, independentemente de onde eles são ou qual religião pertencem. Se um outro ser humano está em necessidade, Sikhs estão lá para ajudar.

Sikhs e voluntários atendem pedidos de viúvas e fornecem uniformes escolares às crianças na Índia.

"Não importa em que língua oramos ou como oramos. Deus é UM! Somos todos um! "Ravinder Singh, CEO da Khalsa Aid"

Primeiro Ministro britânico elogia o trabalho do Khalsa Aid durante o Vaisakhi (uma data festiva no Punjab)












Waeguru ji ka khalsa
Waheguru ji ki fateh!