Café com Chai

Observações de uma brasileira sobre a cultura indiana.

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Os Sikhs no Punjab


As raízes do Sikhismo começaram na época da conquista do norte da Índia por Babur. Seu neto, Akbar, apoiou a liberdade religiosa e depois de visitar o langar (tipo de refeitório onde são servidas refeições para a comunidade)  de Guru Amar Das Ji  teve uma impressão favorável do Sikhismo. 

Como resultado de sua visita, ele doou terras para o langar e teve uma relação positiva com os Gurus Sikh, até sua morte em 1605. 
Langar

Seu sucessor, Jahangir, viu os sikhs como uma ameaça política. Ele prendeu Guru Arjun Dev por causa do apoio Sikh para Khusrau Mirza e ordenou que ele fosse condenado à morte por tortura. O martírio de Guru Arjan Dev levou ao sexto Guru: Guru Har Gobind, que declarou a soberania Sikh na criação do Takht Akal (símbolo da soberania sikh) e a construção de um forte para defender Amritsar. 

Akal Takht Sahib, Amritsar
Akal Takht iluminado no Guru Nanak Jayanti ( Aniversário do Guru Nanak), no complexo do Golden Temple em Amristar. 

Akal Takht e Harmandir Sahib (Golden Temple), Amritsar, Punjab, India. 
Jahangir tentou afirmar sua autoridade sobre os sikhs prendendo o Guru Har Gobind no Forte Gwalior. 
Forte Gwalior
Depois Jahangir começou a sofrer premonições de uma morte precoce e brutal e se sentiu obrigado a libertar o guru, mas o Guru se recusou a ser libertado a menos que as dezenas de príncipes hindus presos com ele  também fossem libertos, e Jahangir concordou.

Sikhismo não teve problemas com o Império Mughal (império persa) até a morte de Jahangir em 1627. Os indianos chamam o império persa de Mughal. Seu sucessor, Shah Jahan "ofendeu" a soberania Guru Har Gobind e após uma série de problemas na cidade de Amristar  forçou os sikhs a recuarem para as colinas nas montanhas do Himalaia (Sivalik)  . O sucessor de Guru Har Gobind, Guru Har Rai, manteve a guruship (local de reuniões sikhs) nas montanhas do Himalaia derrotando tentativas locais de confiscar terras Sikh e teve um papel neutro na luta de poder entre Aurangzeb e Shikoh Dara para o controle da dinastia Timurid.

Rio Ganges cortando as colinas Sivalik no Himalaia
O 9º Guru , Tegh Bahadur, mudou  a comunidade sikh para Anandpur e viajou para visitar e pregar em comunidades sikh contra o governo de Mughal. 
Ele ajudou pandits da Caxemira ao recusar a conversão ao Islã e foi preso e confrontado por Aurangzeb. Os Mughals exigiram uma escolha entre a conversão à religião ou a morte. Ele escolheu morrer ao invés  de comprometer seus princípios e em razão disso foi executado. 
 Guru Gobind Singh assumiu o guruship em 1675 e para evitar batalhas com os Rajas das Montanhas Sivalik, mudou a guruship para Paunta. Ele construiu uma fortaleza grande para proteger a cidade e guarnecido de um exército também. 
O poder crescente da comunidade sikh alarmou os Rajas das Montanhas Sivalik, que tentou atacar a cidade, mas as forças do Guru levou-os para a  Batalha de Bhangani. Depois ele se mudou para Anandpur e estabeleceu o Khalsa (em Persa significa Puro), um exército de batizados sikhs, em 30 de março de 1699. A estabilidade do exército Khalsa uniu a comunidade sikh contra vários ataques Mughals ao guruship.
Exército Khalsa
Em 1701, um exército com os Rajas da Montanha Sivalik e do exército mongol sob Wazir Khan atacou Anandpur e, após um recuo do Khalsa, foram derrotados pelo Khalsa na Batalha de Mukstar. 
Banda Singh Bahadur era um asceta que se converteu ao Sikhismo após uma reunião com Guru Gobind Singh em Nanded. Pouco tempo antes de sua morte, o Guru Gobind Singh ordenou-lhe para acabar com as regras dos persas no Punjab e deu-lhe uma carta, ordenando que todos os sikhs se juntassem a ele. 
Banda Singh Bahadur
Depois de dois anos de ganhar adeptos, Banda Singh Bahadur iniciou uma revolta agrária, tirando as grandes propriedades de famílias influentes e distribuiu as terras aos pobres Sikhs, hindus e camponeses muçulmanos que cultivavam a terra.  Banda Singh Bahadur começou sua rebelião com a derrota dos exércitos de Mughal em Samana e Sadhaura e a rebelião culminou na derrota do Sirhind. 
Durante a rebelião, Banda Singh Bahadur fez questão de destruir as cidades em que Mughals tinham sido cruéis com os sikhs, incluindo a execução de Wazir Khan, em vingança pela morte de filhos do guru Gobind Singh, Zorawar Baba Singh e Fateh Baba Singh após a vitória Sikh em Sirhind.  Ele governou o território entre o rio Sutlej e do rio Yamuna estabeleceu uma capital no Himalaia, a Lohgarh ,e bateu cunhagem em nome do Guru Nanak e Gobind Singh.

O Império Sikh
O Império Sikh (1801-1849) foi formado nas bases do Exército Punjabi por Maharaja Ranjit Singh. O império se estendia desde a passagem de Khyber no oeste, na Caxemira, ao norte, noSindh ao sul, e ao leste o Tibete. 
A principal marca geográfica do império era a região do Punjab. A demografia religiosa do Império Sikh era muçulmana (70%), sikhs (17%), hindus (13%). 
O Império Sikh começou com a dissolução do Exército Punjab na época da coroação de Ranjit Singh, em 1801, a criação de um Estado unificado político. Todos os líderes que estavam filiados ao Exército foram da nobreza com histórias de família geralmente longas e prestígio na história do Punjab. 
Após a morte de Maharaja Ranjit Singh, em 1839, o império foi severamente enfraquecido por divisões internas e má gestão política. Esta oportunidade foi utilizada pelo Império Britânico para lançar as guerras anglo-Sikh. Uma série de traições do Sikhs por alguns líderes proeminentes do exército levou à sua queda. Maharaja Gulab Singh e Raja Dhian Singh foram os principais generais do exército. 


O Império Sikh foi finalmente dissolvido, após uma série de guerras com os britânicos no final da Guerra Anglo-Sikh em 1849, em diferentes estados principescos e a província britânica do Punjab,  foram concedidos Estado. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário